Vida e família

8 dicas para evitar cair em burlas e esquemas fraudulentos em nome de outras entidades

Se pretende evitar cair em burlas e e esquemas fraudulentos online, leia as nossas dicas que o vão ajudar a detetar burlas e a saber como agir.

Natacha Figueiredo Natacha Figueiredo , 22 Maio 2020

Quando pensamos em burlas e esquemas fraudulentos, temos tendência a achar que dificilmente seríamos vítimas deste tipo de ação. Contudo, muitos destes esquemas estão tão bem desenvolvidos, que uma simples distração pode levar-nos a acreditar que estamos a ser realmente contactados por uma entidade credível. Por isso, é essencial toda a população estar bem informada sobre o modo de atuação destes crimes, de forma a evitar cair em burlas em nome de outras entidades.

Segundo o Diário de Notícias, no primeiro trimestre de 2020 houve um aumento de 34% das denúncias registadas no Portal da Queixa. Muitas destas denúncias envolvem burlas com o MBWAY ou esquemas fraudulentos em nome de entidades bem conhecidas.

Na maioria dos casos existem vários indícios que aquele tipo de comunicação é uma tentativa de burla. De forma a facilitar a identificação destes esquemas, reunimos neste artigo um conjunto de dicas que o podem ajudar a evitar cair em burlas em nome de outras entidades.

1 - Confirmar se os contatos pertencem à entidade é o primeiro passo para evitar cair em burlas

Atualmente existem várias abordagens no mundo digital que escondem esquemas fraudulentos. Seja através da criação de falsas notícias, clonagem da comunicação oficial de algumas empresas ou o simples contacto direito por email ou SMS. Embora as opções sejam muitas, uma das práticas mais comuns é o contacto direto por email ou SMS.

Por isso, se receber um email ou um SMS de uma entidade que não o costuma contactar, muito menos para cobrar algum serviço, deve verificar o remetente. Na maioria dos casos, os números ou emails utilizados não pertencem a estas entidades. E se está a questionar-se como pode ter a certeza de tal, o primeiro passo é pesquisar o mesmo num motor de busca.

No caso dos emails pode verificar se o domínio do mesmo corresponde ao da entidade oficial. Se tiver dúvidas sobre a veracidade do contacto em causa, é aconselhável ligar para a entidade e explicar a situação.

rapariga loira no parque a falar ao telefone

2 - Verifique a ortografia e gramática das mensagens que recebe

Alguns dos esquemas mais conhecidos tentam reproduzir a comunicação de várias entidades, tanto na cobrança de serviços, como para angariação de fundos. Por isso, é importante estar atento aos pequenos detalhes, como o tipo de escrita que é utilizada e se existem erros ortográficos ou gramaticais.

Caso detete alguma incoerência na escrita utilizada ou erros gramaticais que podem derivar de uma tradução automática, opte por contactar o serviço de apoio ao cliente dessa entidade.

3 - Não pague as suas contas antes de receber a sua fatura

Se costuma receber os dados para pagamento das suas faturas por email ou por SMS, existem alguns cuidados que deve ter para evitar cair em burlas e esquemas fraudulentos.

Algumas das burlas mais conhecidas têm como base a cobrança de supostas dívidas ou valores em atraso de mensalidades. Por norma é dada uma referência multibanco ao cliente, que pode até ser muito idêntica à da entidade em causa. Para além disso, este tipo de comunicação costuma ser fora do horário do apoio ao cliente e indicam um prazo muito curto para o pagamento.

Uma boa prática para evitar cair neste tipo de burla é proceder aos pagamentos dos serviços apenas quando recebe a fatura. Desta forma consegue comprovar se existem valores em atraso ou dívidas, e se os dados para pagamento correspondem aos que vêm indicados pela entidade. Caso tenha recebido um SMS ou um email com uma referência que não corresponde à sua fatura, deve entrar em contacto com as entidades policiais e apresentar uma queixa formal.

Leia ainda: Que compras/serviços posso adquirir sem sair de casa?

4 - Não carregue em links de mensagens que parecem suspeitas

Recebeu no seu email ou telemóvel uma mensagem suspeita, como uma encomenda que não realizou ou um assunto que não tem conhecimento? Então evite clicar nos links que estão no corpo dessa mensagem. E isto porquê? Porque muitos desses links servem para a subscrição de serviços de valor acrescentado ou reencaminham para formulários com o intuito de roubo de dados pessoais e bancários.

A melhor forma de lidar com este tipo de comunicação é ignorar todos os procedimentos indicados e de seguida contactar as entidades envolvidas nas mensagens. A maioria das entidades promovem as suas iniciativas nos seus sites oficiais ou nas redes sociais. Por isso, em caso de dúvida, procure por essa informação nos canais oficiais, e ignore emails e mensagens suspeitas.

pessoa com facturas na mão a mexer no computador

5 - Se quer fazer um donativo a uma causa, visite o site da entidade ou contacte a mesma para saber os procedimentos

O uso de causas nobres para a angariação de fundos é provavelmente das burlas mais conhecidas. Embora muitas pessoas estejam conscientes desta prática, quando a causa é de conhecimento geral existe uma tendência a contribuir facilmente para a mesma.

Se pretende fazer um donativo para uma causa específica ou para uma associação, opte por consultar o site da entidade de cariz social e ver como pode efetuar um donativo. Pode também ligar para o número oficial da entidade e pedir esclarecimentos sobre os procedimentos para contribuições e doações. Esta é sempre a forma mais segura de ajudar as entidades que estão credenciadas para recolher donativos.

Ler mais: IRS consignado: como preencher e ajudar as instituições sociais

6 - Para evitar cair em burlas financeiras em nome de entidades de crédito tenha atenção às promessas

Embora muitas entidades concedam créditos com maior facilidade que outras, a verdade é que existem sempre vários procedimentos envolvidos para tal. Por isso, se receber uma mensagem ou um email com promessas de concessão de crédito automático ou num prazo muito curto, deve ter alguns cuidados.

Por exemplo, no site do Banco de Portugal é possível verificar se a entidade de quem recebeu uma mensagem tem autorização para conceder créditos. Para além disso, nunca deve fornecer os seus dados a uma instituição bancária que não conhece, sem antes pedir todas as informações e confirmar que existe segurança em fazê-lo. Pode sempre indicar em caso de dúvida que pretende formalizar o pedido num balcão oficial da entidade.

Se as dúvidas persistirem, o melhor é não concretizar nenhuma operação nem fornecer os seus dados. Caso tenha a certeza que foi vítima de uma tentativa de burla, deve denunciar a situação ao Banco de Portugal e às autoridades policiais.

Ler mais: 8 sinais de alerta para evitar burlas com crédito na internet

7 - Esteja informado sobre as aplicações de pagamentos online antes de utilizar as mesmas

São muitas as pessoas que ainda têm dúvidas sobre os pagamentos online e as aplicações que existem para tal. Por exemplo, hoje em dia o MBWAY é uma forma bastante segura de efetuar pagamentos.

Contudo, têm existido algumas burlas através desta aplicação. Mas afinal qual é o motivo para tal acontecer? A resposta é simples. Estas burlas acontecem devido à falta de informação sobre as funcionalidades e procedimentos deste tipo de aplicação.

Por isso, se pretende fazer pagamentos através de aplicações a desconhecidos, o melhor é informar-se primeiro sobre as funcionalidades da aplicação e procedimentos. O mesmo acontece com o uso do homebanking ou outro tipo de aplicação online para pagamentos. Informe-se sempre sobre as questões de segurança, os procedimentos de ativação, que códigos são pedidos, e como pode fazer pagamentos sem correr riscos desnecessários.

E nunca dê acesso a estes sistemas a outras pessoas.

pessoa com cartões de crédito a mexer numa app de fundo azul

8 - Por fim, em caso de dúvida não forneça os seus dados pessoais e bancários

Nunca é demais dizer que sempre que duvidar da credibilidade de um email, sms, contacto telefónico ou uma abordagem presencial, não deve fornecer nenhum dado pessoal ou bancário.

Se houver insistência deve terminar de imediato a conversa ou a comunicação, e informar-se junto das entidades oficiais. No caso de conseguir perceber que está perante um esquema fraudulento deve apresentar queixa às autoridades competentes. E pode utilizar o Portal da Queixa Eletrónica para apresentar a sua denúncia, sem ter que sair de sua casa.

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)