Bem-estar

6 sugestões para melhorar a sua qualidade de vida em 2022

Se está a pensar melhorar a sua qualidade de vida, mas não sabe por onde começar, apresentamos 6 soluções para colocar em prática em 2022

Bem-estar

6 sugestões para melhorar a sua qualidade de vida em 2022

Se está a pensar melhorar a sua qualidade de vida, mas não sabe por onde começar, apresentamos 6 soluções para colocar em prática em 2022

Nas últimas décadas, registou-se um aumento dos debates sobre a importância da nossa qualidade de vida. Mas, este é um conceito bastante abrangente e até subjetivo. Logo, nem todos consideramos alguns fatores como determinantes no aumento da qualidade de vida.

Segundo a OMS - Organização Mundial de Saúde, qualidade de vida é a "perceção que uma pessoa tem sobre a sua posição na vida, dentro da sua cultura e valores, e em relação aos seus objetivos, padrões, preocupações e expetativas".

Contudo, existem fatores chaves que influenciam esta satisfação. Por exemplo, o estado de saúde (físico e mental), a autoestima, o nível socioeconómico, as interações sociais, o suporte familiar, o estilo de vida, a realização profissional e a satisfação no ambiente de trabalho, são alguns dos fatores com maior impacto na qualidade de vida humana.

Se está numa fase em que pretende focar-se em melhorar a sua qualidade de vida, acompanhe as soluções que se seguem. Pondere colocá-las em prática já em 2022.

6 sugestões para melhorar a sua qualidade de vida em 2022

1 - A sua saúde deve estar em primeiro lugar

Pode até ser uma "frase batida", mas, na verdade, nem sempre damos a atenção necessária à nossa saúde. Durante várias décadas, muitos portugueses apenas mudaram os seus hábitos alimentares e rotinas após surgir um problema de saúde. Contudo, hoje em dia, sabemos que a prevenção é a chave para uma vida mais saudável. E esta implica cuidados com a alimentação, a prática de exercício físico e consultas e exames regulares.

Dito isto, se quer melhorar a sua qualidade de vida, comece por cuidar da sua saúde, focando-se nos próximos 5 pontos:

  • Marque uma consulta de rotina no seu médico de família: Peça para fazer exames ou marcar uma consulta de especialidade para algum problema que sinta;
  • Implemente uma dieta alimentar adaptada às suas necessidades e objetivos: Uma boa alimentação, com base em alimentos saudáveis e nas quantidades certas pode prevenir diversos problemas de saúde. Caso precise de ajuda, marque uma consulta de nutrição.
  • Atenção à sua hidratação: O consumo de água é essencial para o funcionamento do organismo. Ao ingerir cerca de 1,5 a 2 litros de água por dia, o risco de contrair algumas doenças é menor. Se tem dificuldade em lembrar-se de beber água, há aplicações que podem ajudá-lo.
  • Pratique exercício físico, no mínimo, 3 vezes por semana. Seja em casa, na rua ou no ginásio, fazer exercício físico é fundamental para cuidar da sua saúde física e mental. No entanto, tenha atenção ao tipo de exercícios que faz, de forma a evitar lesões ou o agravamento de outros problemas de saúde.
  • Durma, pelos menos, 7 horas por dia.

2 - Não descure a sua saúde mental

A saúde mental assume um papel essencial na nossa qualidade de vida. Tendo em conta que vivemos, cada vez mais, num ritmo acelerado, onde a exigência é maior, é fundamental que tire um tempo para relaxar e acalmar a mente.

Para ajudá-lo nesta tarefa, nem sempre fácil, experimente, por exemplo, fazer meditação, yoga ou até caminhadas no início ou fim do dia. Caso nenhuma destas soluções funcione, reserve algum tempo do seu dia e aplique-o em atividades que lhe dão prazer.

Se nos últimos tempos tem vindo a sentir ansiedade, stress elevado, desmotivação ou tristeza, pondere procurar ajuda de um profissional. Lembre-se, a vida é feita de altos e baixos, e nem sempre temos as ferramentas necessárias para ultrapassar os momentos menos bons sozinhos.

Leia ainda: Ganhe consciência digital, pela sua saúde mental

3 - Melhor gestão do tempo, melhor qualidade de vida

A gestão do nosso tempo tende a ser feita em prol do horário de trabalho e das obrigações diárias. Contudo, por vezes, é necessário otimizar esta nossa gestão para sermos mais felizes.

Por exemplo, muitas pessoas afirmam que não têm tempo livre para se dedicarem àquilo que gostam ou que querem fazer. Em alguns casos essa justificação até pode ser verdadeira. No entanto, em muitos outros, esta falta de tempo pode estar simplesmente ligada a uma má gestão das tarefas diárias.

De forma a gerir melhor o seu tempo, seguem-se algumas sugestões, nomeadamente:

  • Acorde cedo;
  • Defina objetivos;
  • Crie uma lista das suas tarefas e obrigações diárias;
  • Defina prioridades para cada tarefa e obrigação;
  • Agende todas as suas tarefas e defina prazos para terminá-las;
  • Mantenha-se focado em completar cada tarefa;
  • Faça pausas pequenas para não perder o foco;
  • Não faça mais que uma tarefa de cada vez;
  • Tenha sempre tudo organizado;
  • Evite distrações enquanto realiza uma tarefa;
  • Defina um período para descansar;
  • Delegue tarefas quando estas não são da sua inteira responsabilidade;
  • Aprenda a rejeitar pedidos e a dizer que não.

Ao implementar algumas destas estratégias, o mais provável é que aumente a sua produtividade e consiga algum tempo livre para fazer aquilo de que gosta.

Ler mais: Está a perder o foco? 10 ferramentas para aumentar a sua produtividade

formação-profissional-no-local-de-trabalho

4 - Invista na sua formação

Olha para o seu percurso profissional e não está feliz? Nunca é tarde para mudar. Esta insatisfação pode estar ligada à área profissional, que pode não ser aquela em que se formou, mas também pode estar associada a não ter progredido na carreira, como gostaria.

A vida profissional influencia significativamente a nossa qualidade de vida. Por isso, é preciso encontrar soluções para sermos felizes a trabalhar. Afinal, a maioria das pessoas passa cerca de 8 horas no trabalho, isto é, um terço do seu dia.

No entanto, se pretende um cargo superior ou ingressar numa área que não tem conhecimentos, mas que adora, a solução pode passar pela formação. Investir em formação é, no fundo, investir na sua carreira e em si. E este investimento pode mudar o rumo da sua vida profissional a curto prazo.

Leia ainda: Formação online gratuita: Que plataformas devo utilizar e o que preciso saber?

5 - Emprego não acrescenta qualidade de vida? Procure oportunidades

Embora possa não associar o conceito de qualidade de vida à sua atividade profissional, um mau ambiente de trabalho e falta de valorização profissional podem fazer a diferença, pela negativa.

Analise a sua situação e, para perceber se tem ou não qualidade de vida no seu trabalho, reflita sobre os seguintes pontos:

  • Tem um bom ambiente de trabalho?
  • Sente-se pressionado psicologicamente ou fisicamente?
  • Está satisfeito ou motivado?
  • A sua empresa dá-lhe a oportunidade de progredir na carreira?
  • Sente que houve um crescimento pessoal e profissional desde que entrou?
  • Considera a sua remuneração justa?
  • Tem benefícios extrassalariais?
  • Sente-se seguro?
  • Os seus chefes diretos dão-lhe feedback sobre o seu trabalho?
  • Costumam reconhecer o seu esforço e empenho?
  • Sente que todos os colaboradores têm as mesmas oportunidades?
  • Tem liberdade para fazer sugestões?

Se depois de responder a estas questões perceber que a sua empresa não oferece as condições mínimas para ter qualidade de vida, então talvez esteja na hora de procurar um novo emprego.

Atenção, não se precipite. Caso não tenha condições para assegurar a estabilidade do seu orçamento, procure um novo trabalho com calma. Só quando tiver assegurada a sua entrada num novo trabalho é que deve apresentar a sua carta de demissão. No entanto, evite ao máximo prolongar esta situação, de forma a não prejudicar a sua saúde mental.

Leia ainda: Está à procura de emprego depois dos 40? 8 dicas que podem ajudar

6 - Tente melhorar a sua estabilidade financeira este ano

A falta de estabilidade financeira é uma das causas do aumento do stress e de desgaste psicológico. Afinal, quando não sabemos se conseguimos pagar as nossas contas, vivemos numa constante preocupação. Esta instabilidade, inevitavelmente, afeta a nossa qualidade de vida.

Assim, é importante que cada família crie uma cultura de poupança, de forma a garantir uma maior estabilidade financeira. Para tal, sugerimos que prepare os seguintes passos:

  • Faça um levantamento dos seus rendimentos e despesas mensais;
  • Crie um orçamento familiar com todas as suas despesas e rendimentos;
  • Analise as suas despesas e veja se existe a possibilidade de cortar em despesas não essenciais;
  • Reveja as condições do seu crédito habitação e informe-se sobre a possibilidade de transferir o seu crédito e poupar com esta mudança;
  • No caso de ter vários créditos, informe-se sobre o crédito consolidado;
  • Reveja a sua carteira de seguros e veja se existem coberturas duplicadas;
  • Caso algumas das soluções anteriores permita reduzir os seus encargos, aplique esse montante numa conta poupança ou num fundo de emergência;
  • Defina um valor fixo, que possa suportar mensalmente, para reforçar a sua poupança ou fundo de emergência.
  • Adote boas práticas de consumo, evitando compras por impulso.

Por fim, invista em literacia financeira. Quanto mais souber sobre, por exemplo, finanças pessoais, mais possibilidades tem de alcançar os seus objetivos.

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.