Aqui no Doutor Finanças já o habituámos a artigos de poupança, certo? Mas não pense que defendemos que deve poupar em todas as esferas da sua vida! Na verdade, existem algumas coisas em que somos mais fãs de investir do que em poupar. Descubra seis coisas em que – havendo essa possibilidade – consideramos que não vale a pena poupar a favor da saúde e da qualidade de vida.

Cuidados de saúde

Sabemos que nem toda a gente tem a liberdade financeira para escolher ter um seguro de saúde, mas num momento de maior fragilidade física em que se sinta mal, a precisar de cuidados de saúde com uma certa urgência, mas que saiba que lhe será certamente atribuída a pulseira verde no hospital e não aguenta passar muito tempo na sala de espera do centro de saúde, faça uso (se for necessário) do seu fundo de emergência e vá às urgências de uma clínica como a CUF ou a ICIL, por exemplo. Havendo folga orçamental, nada paga a nossa saúde e bem-estar.
Um cuidado extra que poderá ponderar em adoptar é aderir a um cartão de saúde (existem vários como o da Medicare ou do Sams Quadros) que custa apenas 25€ por ano e que lhe confere descontos consideráveis em consultas e tratamentos em várias clínicas do país.

Sapatos

De uma forma geral, existem menos excepções no calçado do que no vestuário quanto às peças baratas poderem ser de boa qualidade. Ou seja, normalmente o calçado barato não será muito bom nem duradouro e terá que ser substituído um ou dois anos após a compra. Especialmente se trabalha de pé ou se anda muito a pé, invista em calçado de qualidade, não só por uma questão de conforto, mas também por uma questão de saúde.
Habitue-se; vamos insistir bastante na “tecla” da saúde neste artigo. 🙂

Comida verdadeiramente nutritiva e consciente

A única forma de poupar em comida que recomendamos é mesmo aproveitar promoções. A propósito, . 🙂 No que diz respeito à qualidade de vida, nunca nos ouvirá (ou lerá) a incentivar a compra de comida “barata” só para poupar dinheiro.
Este ano, aproveite para investir na sua saúde de várias formas, uma delas passando por uma alimentação mais saudável e consciente. Aposte, sempre que puder, em produtos regionais e, se possível, biológicos. Esse sim, é um investimento na nossa saúde alimentar que vale a pena fazer. Já existem vários serviços que levam cabazes de fruta e legumes biológicos a casa dos clientes. Algumas empresas e quintas prestam que prestam esse serviço são a Quinta da Pedra Branca, Dona Horta e Pede Salsa.
Outra forma de ter uma alimentação mais consciente (ainda que não biológica) é recorrer à Fruta Feia, um projecto que vende “fruta feia” a preços simpáticos para combater os cerca de 30% de desperdício de fruta produzida pelos agricultores e que não é escolhida pelas cadeias de supermercados por não cumprir os padrões estéticos da fruta que normalmente vendem ao público. Saiba mais sobre este projecto fascinante aqui.

Comida para os seus animais de estimação

Se pensa que ao poupar no preço da comida do seu animal de estimação está a poupar dinheiro, saiba que poderá estar muito errado. Talvez esteja a poupar dinheiro no imediato, sim, mas a longo prazo o seu animal de estimação poderá desenvolver vários problemas de saúde, pelo que irá gastar mais dinheiro em cuidados veterinários.
De facto, muitos são os veterinários que alertam para a qualidade inferior de muitas rações de supermercado e, para além disso, em muitas lojas especializadas em animais, ao comprar em quantidade, acaba por lhe sair quase ao preço de sacos de ração mais pequenos no supermercado.

Escapadelas ao fim de semana

Neste caso, nem estamos bem a falar de viagens propriamente ditas, mas sim escapadelas mais breves para repor energias e – em alguns casos – o equilíbrio mental, especialmente após períodos de grande stress. Claro que também temos dicas para poupar em viagens dentro do país e até sugestões de destinos low-cost em Portugal, mas há alturas da vida em que simplesmente merecemos mimar-nos com “tudo aquilo a que temos direito”, seja serviço de quarto, tratamentos num SPA, etc.

Colchão

Se passa (cerca de) oito horas por dia num colchão, seria uma boa decisão investir num bom. Colchões velhos e com altos afectam a qualidade do seu sono, a sua produtividade no trabalho e o seu funcionamento geral. Por outras palavras, um investimento num bom colchão é um investimento na sua saúde.
Este é apenas um dos vários exemplos de coisas que temos em casa e nas quais fazemos melhor em investir do que poupar. Veja este nosso artigo para a Sapo no qual enumeramos outras coisas fundamentais em que não deve poupar na sua casa.

 

No que não estaria disposto a poupar na sua vida para garantir a sua felicidade, saúde e conforto? Partilhe connosco na caixa de comentários deste artigo. 🙂