Uma das estratégias de poupança mais eficazes, muito recomendada pelo Doutor Finanças, baseia-se em calcular quanto tempo precisa de trabalhar para comprar qualquer coisa.

Este cálculo é particularmente útil no que diz respeito à resolução dos típicos dilemas que, por vezes, surgem quando está prestes a fazer uma compra que pode ou não ser supérflua.

Como calcular o que ganha à hora

O cálculo é muito simples. Basta dividir o que ganha por 160 (160 corresponde a 40 horas de trabalho por semana, vezes 4 semanas).

800€ / 160 = 5€/hora

Como saber quanto custa algo em horas de trabalho

Agora, imagine que quer comprar, por exemplo, um gadget não essencial que custa 80€. Sabe quantas horas de trabalho serão precisas para o pagar?

Agora que já sabe quanto ganha à hora, basta subtrair esse número ao valor do objecto que deseja comprar.

80€ / 5€ hora = 16 horas de trabalho

Neste caso, para comprar o seu gadget que custa 80€, tendo em conta que trabalha 40 horas por semana e ganha 800€ por mês, precisaria de trabalhar 16 horas para pagá-lo.

Comece a pensar em horas e poupe

Vamos experimentar outro cálculo para um artigo que custa 100€

100€            ou            3 dias de trabalho

Olhe para cima; o que lhe parece custar mais? Gastar 100€ ou os quase três dias de trabalho que precisaria para comprar esse artigo?

Comece a fazer esta conta e a questionar-se se vale a pena investir a quantidade de esforço que é preciso para adquirir um determinado artigo. Se se habituar a fazer este exercício, rapidamente começará a olhar para os preços e – automaticamente – a perceber quantas horas de trabalho são necessárias para o comprar. O objetivo não é negar-se tudo, mas sim ter uma ajuda para decidir se compensa o esforço. 🙂

Agora que já sabe efetuar este simples cálculo, ser-lhe-à mais fácil decidir se compensa ou não comprar algo que não lhe é vital. Só não experimente fazê-lo relativamente ao dinheiro que gastou em compras de Natal para não acabar deprimido. 😉 2016 já lá vai, por isso daqui em diante é “ano novo, vida nova”! Já agora, leia este artigo e saiba o que pode fazer já para pôr as suas finanças em ordem para o resto do ano.