Utilidades

Cuidados que deve ter quando utiliza o multibanco

Saiba neste artigo quais os cuidados que deve ter na utilização que faz do seu cartão multibanco, para dessa forma evitar ser vítima de fraude.

Rui Aspas Rui Aspas , 12 Agosto 2019

O multibanco é um dos meios de pagamento mais conhecidos e utilizados em Portugal. Este serve para fazer praticamente tudo, mas nem por isso deixam de merecer cuidados redobrados no que toca às tentativas de fraude a que estão sujeitos.

São muito práticos, não têm o inconveniente de andar carregado com notas ou moedas na carteira, mas, ainda assim, são elementos suscetíveis a fraudes e clonagens. Estas situações ocorrem sobretudo em caixas multibanco e nos TPA (terminais de pagamento automático), e em pagamentos online, quando da utilização do cartão de crédito

Saiba neste artigo quais os cuidados que deve ter na utilização que faz do seu cartão multibanco, para dessa forma evitar ser vítima de fraude.  

Qual a técnica de fraude mais recorrente

Uma das fraudes e clonagens mais recorrentes, é aquela que é conhecida como técnica de skimming, isto é, a leitura não autorizada dos dados que estão registados na banda magnética, através do uso para o efeito de um terminal falso ou manipulado, o qual possa assumir a forma em outras situações de um mecanismo de leitura portátil. Os dados bancários roubados, servem para a realização de operações fraudulentas, como por exemplo, o levantamento de dinheiro sem a autorização do titular do respetivo cartão.  

Regra geral, quem burla e utiliza este método de clonagem, instala ranhuras falsas que vão copiar os dados dos cartões, integrando micro-câmaras como forma de obtenção dos códigos pessoais.  

Cuidados ao utilizar o seu cartão multibanco

Assim sendo, seguem algumas recomendações que deve ter em conta, sempre que tiver a necessidade de utilizar o seu cartão multibanco:  

  1. Quando estiver numa caixa multibanco, certifique-se de que este aparelho apresenta um estado e funcionamento normal, onde não haja sinais visíveis de danos. Tendo dúvidas sobre o estado em que a caixa se encontra, não a use; 
  1. Na altura da marcação do código PIN, proteja o teclado onde o mesmo é digitado, por forma a evitar que terceiros ou uma micro-câmara possa gravar ou ficar com o seu código; 
  1. Se a caixa multibanco retiver o seu cartão, sem que para isso tenha havido um motivo ou razão aparente, contacte de imediato o emitente do cartão. Nestas situações, pode acontecer que o terminal de pagamento automático tenha sido alvo de manipulação, com o principal objectivo de evitar a saída do cartão, para que depois se possa utilizar o mesmo em operações fraudulentas.

No terminal de pagamento automático ou TPA, garanta que:  

  1. Este elemento não apresenta sinais de ser sido danificado
  2. Nunca perde o cartão de vista enquanto a operação bancária se realiza; 
  3. Efectua sempre a confirmação do valor a pagar, antes de avançar; 
  4. Protege sempre a digitação do seu código pessoal (PIN), de preferência, colocando a mão ou o braço à frente.

Leia ainda: Perdi o meu cartão de crédito: o que fazer?

Cuidados a ter com o meio de pagamento contactless

Nos casos em que pretender usar o meio de pagamento contactless (em que os pagamentos são efectuados sem ser necessário a introdução do cartão no terminal de pagamento automático):  

  1. Antes de aproximar o cartão do leitor, confirme sempre o valor a pagamento
  2. Evite repetir a operação, com a exceção de uma mensagem que pode aparecer no leitor do TPA a dizer que a tentativa de pagamento foi anulada ou mal sucedida; 
  3. Peça sempre o comprovativo de pagamento
  4. Nunca entregue o cartão ao comerciante, mas se tal se verificar, certifique-se de que não perde o mesmo de vista. 

Cuidados a ter em pagamentos de compras online

Quando fizer pagamentos em compras online:  

  1. Prefira sempre que lhe seja possível, cartões cuja segurança tenha um sinal acrescido, como os cartões temporários (MBNet), cartões pré-pagos ou com o selo 3D Secure;
  2. Jamais divulgue qualquer informação que contenha dados confidenciais (palavras-passe, dados do cartão de pagamento, entre outros), a não que lhe seja pedido para o fazer e que tal passo se revele imprescindível para que a compra seja realizada. Quando isso acontecer, utilize sites que sejam seguros;
  3. Antes da inserção de qualquer dado no cartão e partir para o pagamento, tenha em atenção e verifique se o endereço do website inicia em «http://», garantindo que o site é seguro e confiável;
  4. Não grave os códigos do cartão seja em que aparelho for (computador ou telemóvel);
  5. Evite o uso de acessos públicos para fazer pagamentos;
  6. Recomenda-se que tenha instalado no seu PC um bom antivírus e uma firewall;

Leia ainda: Bancos online: vantagens e cuidados a ter

Resumindo, se desconfiar em algum momento que o seu cartão foi clonado, que houve uma apropriação indevida dos dados nele contidos, ou até mesmo suspeitar que o mesmo foi alvo de falsificação, contacte imediatamente com a entidade emissora do cartão. Uma vez notificado, qualquer valor que venha a ser movimentado na sua conta, já não será da sua exclusiva responsabilidade.  

As movimentações que forem consideradas ilícitas, e realizadas antes da comunicação por parte do proprietário do cartão que tenha sido alvo de clonagem ou falsificação, são da inteira responsabilidade da pessoa lesada até ao valor máximo de 50 euros. No entanto, este limite não é aplicado a menos que o proprietário do cartão multibanco, tenha tido uma conduta fraudulenta ou negligente nas suas obrigações. 

Leia ainda: Pagar em dinheiro, cartão, MBWAY ou cheque: o que fica mais caro?

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #fraudes,
  • #multibanco

Deixar uma resposta