Contas bancárias

Como evitar as comissões de manutenção de conta?

As comissões de manutenção de conta podem ter algum peso no seu orçamento familiar. Saiba neste artigo como ficar isento deste custo.

Contas bancárias

Como evitar as comissões de manutenção de conta?

As comissões de manutenção de conta podem ter algum peso no seu orçamento familiar. Saiba neste artigo como ficar isento deste custo.

Com o custo de vida a aumentar, devido à inflação, é altura de refazer o seu orçamento familiar e tentar cortar as despesas que possam ser cortadas. Uma delas é a comissão de manutenção da(s) sua(a) conta(a) bancária(s). Sim, é difícil, sabemos, mas ainda é possível ter uma conta isenta deste custo. Neste artigo explicamos-lhe tudo o que necessita saber.

O que são comissões de manutenção de conta?

As comissões de manutenção de conta são um custo associado a contas à ordem, cobrado pelos bancos, mesmo que não haja saldo ou movimentos. Desta forma, para evitar surpresas, faça um levantamento de todas as suas contas e encerre aquelas que não utiliza regularmente. Para ter a certeza das contas que tem ativas num determinado momento, pode consultar o Mapa de Contas disponível no site do Banco de Portugal através do seguinte link: Base de Dados de Contas | Banco de Portugal (bportugal.pt)

As instituições bancárias são livres de fixar o valor das comissões, dentro dos limites fixados por lei. O valor de uma comissão de manutenção pode rondar os 5 euros por mês, mais imposto de selo. Ao final de um ano, este custo pode facilmente ultrapassar os 60 euros. Se tiver duas contas, o valor pode superar os 120 euros.

Leia ainda: Bancos: Quanto anda a pagar em comissões sem saber?

Bancos que não cobram comissões de manutenção de conta

Existem bancos que não cobram comissões de manutenção de conta, por norma, os mais digitais, aqueles que não possuem uma vasta rede de agências físicas, como é o caso do Activo Bank e do Banco Big. Se está familiarizado com as novas tecnologias, esta pode ser uma excelente opção para si de forma a evitar esta despesa.

Se tiver património financeiro acima de um determinado valor

Alguns bancos isentam o pagamento das comissões de manutenção de conta se os clientes tiverem um património financeiro na instituição superior a um determinado valor. Por exemplo, no Banco Montepio se tiver um património financeiro acima dos 10.000 euros, não paga comissão de manutenção. Contudo, só é considerado património financeiro o montante aplicado em produtos de poupança e/ou investimento, como é o caso dos depósitos a prazo, fundos de investimento, seguros de capitalização, carteira de títulos e planos de poupança. Ou seja, se tiver os 10.000 euros na conta à ordem, paga na mesma comissão de manutenção.

Se tiver o ordenado domiciliado

Algumas instituições financeiras isentam o pagamento de comissão de manutenção de conta se a entidade empregadora tiver protocolo com o banco e o cliente domiciliar o seu ordenado. É o caso, por exemplo, do Banco BPI.

Destacamos ainda o exemplo do Bankinter que, além de isentar as comissões de manutenção de conta, ainda remunera os clientes que domiciliarem o ordenado, ou fizerem transferências mensais de valor igual ou superior a 800 euros. Esta instituição bancária remunera 5% TANB (3,60 TANL) no primeiro ano e 2% TANB (1,44 TANL) no segundo ano até um limite de 252 euros.

Desta forma, aconselhamos que se informe devidamente das condições e protocolos existentes junto das instituições bancárias.

Atenção às anuidades dos cartões de débito e crédito

A comissão de manutenção de conta não deve ser a única despesa a ser considerada na hora de escolher ou mudar de banco. Existem outros custos que não deve ignorar como, por exemplo, a anuidade dos cartões de débito e de crédito. Esta despesa pode rondar os 20 euros por ano.

Assim, deve consultar o preçário dos bancos antes de avançar com a abertura de conta.

Um banco que isenta este custo é o Activo Bank. Esta instituição bancária não cobra a anuidade do cartão de débito nem do cartão de crédito Classic.

De forma a minimizarem estes custos, muitos bancos disponibilizam um pacote de serviços que, por norma, isenta a comissão de manutenção de conta, as anuidades dos cartões de débito e crédito, os custos com um determinado número de transferências e cheques, e por vezes oferecem também um seguro. No entanto, estes pacotes não deixam de ter um custo mensal. Desta forma, aconselhamos que avalie bem se efetivamente tem necessidade dos produtos que compõem o pacote antes de avançar com a sua contratação.

Leia ainda: Sabe quais as comissões bancárias que pode evitar?

Contas para crianças e jovens

É importante também referir que, por norma, as contas destinadas a crianças e jovens não pagam comissão de manutenção de conta. Desta forma, se tiver filhos e, se ainda não o fez, pode perfeitamente abrir uma conta para eles sem ter preocupação com essa despesa.

A idade em que esta isenção termina depende de cada instituição bancária. Por exemplo, no caso do Millennium BCP, estão isentos deste custo os titulares com idade igual ou inferior a 23 anos.

Alternativa: Conta de Serviços Mínimos Bancários

Se não consegue cumprir com os requisitos acima descritos ou se não se sente à vontade com as novas tecnologias e dá preferência à relação de proximidade, então a alternativa pode passar por converter a sua conta numa Conta de Serviços Mínimos Bancários.

Com esta conta, tem acesso a serviços bancários básicos, como transferências, cartões, débitos diretos, levantamentos, etc, mas a um custo mais reduzido. Paga apenas 4,43 euros por ano.

A Conta de Serviços Mínimos Bancários é uma conta normal, que pode ter associado outro tipo de produtos como, por exemplo, um crédito habitação. Os bancos não podem recusar a abertura ou a conversão da sua conta para esta.

O único aspeto que deve ter em atenção é que para usufruir desta conta, só pode ser titular de uma única no sistema bancário português. Ou seja, só pode ter esta conta.

Em suma: se encontrar melhores condições noutra instituição bancária não hesite em mudar. As comissões de manutenção de conta, bem como outros custos associados, nomeadamente as anuidades dos cartões, podem ter algum peso no seu orçamento familiar, além de que os bancos, nos últimos tempos, têm aumentado estes custos com alguma frequência, bem como limitado as condições para a isenção dos mesmos.

Mesmo que tenha outros produtos no seu banco como, por exemplo, um crédito habitação ou um PPR, pode perfeitamente fazer a transferência dos mesmos para outras instituições bancárias. No caso específico do crédito habitação, pode inclusivamente encontrar melhores condições, além de que, dependendo da instituição financeira, pode ficar isento dos custos com a transferência do mesmo.

Leia ainda: O que é a transferência de um crédito habitação?

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.