Parentalidade

O seu filho vai para o primeiro ciclo? Saiba o que deve fazer

O seu filho vai para o primeiro ciclo este ano? O período de matrículas arrancou a 19 de abril e termina no dia 16 de maio.

Parentalidade

O seu filho vai para o primeiro ciclo? Saiba o que deve fazer

O seu filho vai para o primeiro ciclo este ano? O período de matrículas arrancou a 19 de abril e termina no dia 16 de maio.

O seu filho vai para o primeiro ciclo brevemente? Então, é normal que se sinta ansioso e preocupado com esta nova fase. Afinal, a entrada no primeiro ano de escolaridade implica muitas vezes mudar de escola, mas também que as crianças tenham outro nível de responsabilidades.

Assim, se souber lidar com algumas adversidades deste período e tiver ferramentas para criar uma boa imagem do ensino, poderá facilitar, e muito, todo o processo de adaptação.

Como pai ou mãe, também precisa de preparar-se para outros procedimentos antecipadamente. Por exemplo, terá de tratar, com alguns meses de antecedência, da matrícula do seu filho. Além disso, para muitas famílias, é essencial analisar formas de as crianças ocuparem os tempos livres, de acordo com os seus interesses e/ou necessidades. E se este for o caso, precisa de encontrar atividades extracurriculares para o seu filho.  

Embora alguns pais se esqueçam deste pormenor, nesta fase é preciso orçamentar as novas despesas escolares. Quanto mais cedo preparar o seu orçamento familiar, menor será a probabilidade de enfrentar problemas financeiros devido a um aumento das despesas.

E caso não saiba o que fazer exatamente, de seguida, descubra algumas informações essenciais antes do seu filho ir para o primeiro ciclo. Saiba ainda alguns pontos a ter em consideração e como prepará-lo para este novo desafio.

Leia ainda: Regresso às aulas: Como preparar a carteira e as crianças?

O seu filho vai para o primeiro ciclo? Saiba como matriculá-lo na escola

Antes da entrada no primeiro ciclo, muitos pais começam a questionar-se sobre os estabelecimentos de ensino disponíveis para os filhos fazerem o percurso escolar. Embora esta escolha esteja um pouco condicionada à área de residência, é normal que queira analisar as opções que tem em mãos.

Afinal, as escolas têm um papel fundamental no desenvolvimento pessoal e social das crianças. Já para não falar que a forma como as matérias são lecionadas terão um impacto no desempenho escolar do seu filho.

Quando tiver selecionado o seu top 5 de escolas, deverá ordenar estes estabelecimentos de ensino por prioridade de entrada. Assim, quando abrirem as matrículas, este processo de seleção estará feito e bastará indicar a sua ordem de preferência. No entanto, não esqueça de ter em conta as prioridades de seriação no acesso ao ensino.

Caso não esteja a par de como é feita a matrícula do seu filho no primeiro ciclo, saiba que esta deverá realizar-se no Portal das Matrículas. O Portal das matrículas foi criado pelo Ministério da Educação, e é o meio oficial para submeter a inscrição do seu filho em estabelecimentos de ensino em Portugal. Contudo, este portal serve para formalizar um pedido de matrícula, renová-la ou pedir a transferência do seu filho para outra escola.

Mas este serviço não se destina apenas ao Ensino Público. No Portal das Matrículas poderá tratar da matrícula em estabelecimentos de ensino pré-escolares, do ensino básico e secundário em estabelecimentos públicos, privados e ainda em IPSS (e estabelecimentos equiparados).

Atenção às datas de inscrição no primeiro ciclo

Quanto às datas de inscrição é preciso estar atento, pois têm vindo a alterar-se todos os anos. Este ano, o período para matricular as crianças no pré-escolar e no primeiro ano do primeiro ciclo vai de 19 de abril até 16 de maio.

Não deixe passar os prazos e garanta que o seu filho tem vaga numa das escolas da sua preferência, uma vez que tem menos de um mês para tratar da matrícula.

Os seus rendimentos são baixos? Veja se tem direito à ação social escolar

Caso ainda saiba o que é a Ação Social Escolar (ASE), esta consiste num conjunto de medidas que podem ser uma preciosa ajuda para diminuir certas despesas com a educação do seu filho. A ASE foi criada para garantir que os alunos do ensino básico e secundário que englobam agregados familiares com dificuldades económicas, têm as mesmas condições de acesso e sucesso escolar.

E isto traduz-se em auxílios económicos, consoante os rendimentos do agregado familiar, mais concretamente, de acordo com o abono de família. Ou seja, os apoios da Ação Social Escolar são definidos com base nos três primeiros escalões do abono de família. O primeiro escalão corresponde à letra A, o segundo ao B e o terceiro ao C.

Em termos de apoios, a ASE foca-se em três áreas específicas, sendo estas a alimentação, o material escolar e as visitas de estudo. É importante relembrar que desde 2019 que os manuais escolares são concedidos de forma gratuita a todos os alunos que frequentam a escolaridade obrigatória no ensino público.

Contudo, para perceber melhor, os apoios da Ação Social Escolar são atribuídos após à análise dos rendimentos do agregado familiar. Isto significa que para beneficiar da ASE terá de entregar uma cópia do comprovativo de beneficiário do abono de família. Uma forma de comprovar o escalão do abono de família é através da declaração emitida pela Segurança Social (através da Segurança Social Direta).Esta poderá ser entrega na altura da matrícula ou posteriormente no estabelecimento de ensino, após serem fixadas as listas de admissão.

Leia ainda: Como ter acesso aos manuais escolares gratuitos?

Como são distribuídos apoios da ASE para os escalões A e B?

Dado que o seu filho vai para o primeiro ciclo, se ele beneficiar da Ação Social Escolar, poderá ter os seguintes apoios:

  • Alimentação: A alimentação no refeitório é um apoio concedido a 100% aos alunos que pertencem ao Escalão A da ASE. Se o seu filho estiver incluído no escalão B, o apoio é concedido a 50%.
  • Material Escolar: Quanto ao material escolar a Ação Social Escolar comparticipa o valor anual de 16€ aos alunos que se enquadrem no Escalão A. Caso o seu filho se enquadre no Escalão B, a comparticipação é de 8€.
  • Visitas de estudo: Por fim, a ASE também dá uma pequena ajuda em relação às visitas de estudo. Este valor tem o limite anual de 20€ para o Escalão A e 10€ para o Escalão B.

Além destes apoios, também existe a possibilidade de beneficiar do transporte gratuito para escola do seu filho, caso não exista a possibilidade de deslocação por meios próprios. No entanto, informe-se junto do agrupamento escolar para confirmar todas as condições.

Procure atividades extracurriculares adaptadas ao primeiro ciclo

Não é novidade que a gestão do tempo é uma tarefa complicada para a maioria dos pais. Afinal, os horários escolares nem sempre são compatíveis com os horários profissionais, o que torna esta gestão mais complexa. Uma das soluções mais comuns para resolver este problema é inscrever o seu filho em atividades extracurriculares.

Além de ocupar o tempo livre da criança, existem atividades que trazem inúmeros benefícios, como desenvolver as capacidades individuais, sociais e psicológicas. Embora muitos pais procurem soluções fora das instalações escolares, as famílias com mais dificuldades financeiras podem optar por inscrever as crianças do primeiro ciclo nas AEC, Atividades de Enriquecimento Curricular.

No entanto, tenha em consideração que está a decidir como o seu filho irá aproveitar o seu livre. Assim, ele deve ter uma palavra a dizer, caso contrário ele poderá não desfrutar destas atividades. Fale abertamente sobre o assunto, mostre-lhe que opções existem, e tente perceber o seu interesse em cada opção.

Embora as atividades mais comuns estejam ligadas ao desporto, como praticar futebol ou natação, também existem atividades lúdicas, artísticas e formativas. São exemplos destas atividades aprender a tocar um instrumento, dançar, pintar ou integrar um grupo de teatro. Contudo, explique-lhe que ele terá de dedicar-se, comportar-se bem, ser assíduo e pontal.

Caso opte por inscrever o seu filho em atividades extracurriculares privadas, tenha em consideração que estas terão um peso no seu orçamento familiar. Quanto mais atividades o seu filho frequentar, maior será o esforço financeiro que terá de fazer. Além disso, poderá sobrecarregar o seu filho com atividades e estas terem um efeito contrário ao desejado.

Prepare psicologicamente o seu filho para a entrada no primeiro ciclo

A entrada no primeiro ciclo requer muitas vezes um período de adaptação mais longo. Afinal, o tempo lúdico das crianças diminui e as suas responsabilidades aumentam. Já para não falar que o nível de exigência é maior, há mais trabalhos para fazer e a sua capacidade de foco é testada todos os dias.

Se juntarmos a tudo isto uma mudança de escola, é normal que o processo de adaptação não seja simples, pois o seu filho terá de lidar com um cenário novo, onde poderá não conhecer ninguém.

Logo, é importante preparar antecipadamente o seu filho para esta nova fase. E para que ele não crie uma associação negativa ao ensino, fale com ele e mostre certos pontos positivos. Poderá ainda:

  • Adaptar as rotinas gradualmente, para diminuir a dificuldade com novos horários escolares.
  • Mostrar-lhe que no primeiro ciclo vai aprender matérias muito importantes para a vida futura. Tente passar algum entusiasmo sobre as coisas giras que ele irá aprender diariamente.
  • Reforçar que terá a oportunidade de fazer novos amigos e brincar com outras crianças.
  • Explicar que a entrada no primeiro ciclo não significa deixar de ter tempo para fazer o que gosta. Ou seja, mostre-lhe que sim, vai ter novas responsabilidades, mas continuará a ter tempo para divertir-se e brincar.
  • Transmitir-lhe segurança e tranquilidade nesta fase e durante os primeiros tempos.

Mantenha as boas práticas e incentivos após o seu filho estar na escola

Não é novidade que cada criança lida à sua maneira com novos desafios. E por isso, o processo de adaptação requer atenção por parte dos pais, para garantir o suporte necessário nesta fase. Assim, é fundamental que desde o primeiro dia transmita confiança, e trabalhe a motivação do seu filho. 

Para mantê-lo motivado, mostre interesse pela sua vida escolar. Pergunte-lhe como foi o seu dia, o que aprendeu, o que fez e o que gostou mais nesse dia. Esta é uma forma da criança perceber que os pais têm realmente interesse no seu dia, melhorando assim a autoestima e, claro, o processo de adaptação.  

Outro ponto importante é valorizar as conquistas e as novas aprendizagens do seu filho. No entanto, na hora que ele demonstre dificuldades, seja compreensivo. Oiça ativamente os problemas e frustrações, e em conjunto tentem encontrar soluções para lidar com as adversidades que vão surgindo.

No fundo, deve sempre valorizar mais as conquistas do que as derrotas. Este processo ajuda a diminuir o stress, a ansiedade e frustração das crianças, e torna-as mais equilibradas e felizes.

Leia ainda: O seu filho vai para a escola pela primeira vez? Saiba como incentivá-lo

Faça contas a todas as despesas com a ida para o primeiro ciclo

Por último, se o seu filho vai para o primeiro ciclo deve sentar-se e fazer um levantamento de todas as despesas adicionais que passará a ter. Caso não saiba que tipo de encargos são estes, saiba que variam de escola para escola, mas também conforme as suas opções, seja devido às atividades extracurriculares ou opções de alimentação, marcas, etc.

Se não tiver direito à Ação Social Escolar, terá de suportar todas as despesas sem qualquer tipo de apoio do Estado. Logo, faça um levantamento do valor que gastará em materiais escolares, alimentação, transporte, entre outras despesas.

Por exemplo, quanto ao material escolar, saiba que no primeiro ciclo deverá analisar o preço de uma mochila, estojo, lápis, borracha, canetas, caixa de lápis de cor, caderno pautados e quadriculados, cola em stick, régua, tesoura, pinceis, bloco de cartolinas, entre outros materiais.

Quanto à alimentação, se esta for feita no refeitório, veja o valor ao dia desta despesa e analise quanto gastará mensalmente. Já em relação às atividades extracurriculares, é preciso olhar bem para o orçamento e ver o que pode ou não suportar. Compare o valor de cada mensalidade, tendo em conta o número de vezes por semana que pretende.

Como posso poupar para suportar os encargos escolares?

Após ter feito o levantamento de todas as despesas escolares, é hora de debruçar-se sobre o seu orçamento familiar. A primeira pergunta que deve colocar é: "Consigo suportar todas estas despesas com os meus rendimentos?". Se a resposta for afirmativa, mantenha o seu orçamento debaixo de olho ao longo do ano. Esta é uma forma de garantir que as suas finanças continuam saudáveis.

Caso a resposta seja negativa, então é hora de fazer alguns cortes, ajustes e ver de que forma poderá poupar para cobrir todas as despesas escolares essenciais. Por exemplo, veja quais as despesas não essenciais que pode cortar, e se está a gastar demais em certos serviços que tem contratados.

Outra solução e rever a sua carteira de seguros e as condições dos seus créditos. No caso dos seguros, poderá analisar se não está a pagar coberturas em duplicado ou coberturas que não utiliza. Tente renegociar as suas condições e peça simulações a outras seguradoras. Com várias propostas em cima da mesa poderá ver quais as opções mais vantajosas para esta fase da vida.

Quanto aos seus créditos, saiba que caso possua um crédito habitação, cartões de crédito ou outros créditos ao consumo, poderá ser vantajoso informar-se sobre o crédito consolidado. Se reunir as condições necessárias, os seus créditos serão consolidados num só, com uma taxa mais atrativa. E isto significa que existe a possibilidade de poupar mensalmente um valor significativo.

Mas se apenas tem um crédito habitação, poderá renegociar as condições do seu contrato. Veja se pode poupar ao transferir os seus seguros para outra entidade ou se o seu banco está disposto a melhorar as suas condições atuais, baixando, por exemplo, o spread no crédito habitação.

Contudo, caso o seu banco não mostre interesse, pondere a transferência do crédito habitação para outro banco. Informe-se sobre eventuais despesas, compare propostas e, caso precise, peça ajuda a um intermediário de crédito experiente.

Leia ainda: Como reduzir os custos dos créditos?

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.