Uma das decisões importantes a tomar quando se trata de um crédito habitação é o prazo que vamos querer aplicar ao mesmo. Nesta artigo, fique a conhecer as vantagens e desvantagens de escolher um prazo maior. 

Pedro Pais é o fundador do financaspessoais.pt e do forumfinancas.pt. O Pedro é um dos maiores promotores de literacia financeira em Portugal contribuindo com centenas de artigos, ferramentas e simuladores que ajudam as pessoas a poupar, a investir ou a decifrar os mistérios da fiscalidade.

Prazo de crédito habitação

Uma das escolhas para um crédito habitação é o prazo do crédito, sendo que nem sempre se entende o porquê da opção por um prazo maior ou por um prazo menor. Na realidade há vantagens e desvantagens em escolher um prazo maior.

Vantagens de um prazo maior

  • A prestação mensal é mais baixa – Como a dívida é amortizada num espaço maior de tempo, a prestação é mais baixa;
  • Quando as taxas de juro descem, o valor da prestação baixa mais rapidamente – Como os juros são uma proporção maior da prestação, quando descem a prestação desce mais do que num crédito com prazo menor;
  • É mais fácil (e custa menos) diminuir o prazo do crédito do que aumentá-lo – Normalmente os bancos aproveitam o aumento do prazo para cobrar um valor significativo adicional, o que não acontece no caso contrário.

Desvantagens de um prazo maior

  • A mais evidente é que em cada prestação se paga mais juros e menos capital – Ou seja, em cada mês estamos a pagar mais juros ao banco e a pagar menos a nossa casa, do que se tivéssemos optado por um crédito com prazo menor;
  • Quando as taxas de juro sobem, o valor da prestação sobe mais rapidamente – Como os juros são uma proporção maior da prestação, quando sobem a prestação sobe mais do que num crédito com prazo menor.

Escolher prazo maior ou menor?

Ainda que pesando os diversos factores, o ideal é escolher o menor prazo, tendo em conta o orçamento disponível. Isto significa que se pode pagar €X/mês num empréstimo a 40 anos, não vale a pena optar por um empréstimo a 50 anos só porque a prestação mensal é menor, pois vai acabar por pagar mais juros.

Caso esteja incerto sobre o valor máximo que pode dispor para a prestação, mais vale optar por um prazo maior. Desta forma pode inicialmente pagar um valor mensal menor e, quando calcular melhor o seu orçamento, diminuir adequadamente o prazo do crédito. Esta é uma dica especialmente útil para jovens casais, que ainda não têm uma completa noção das despesas que a vida a dois comporta.

Para uma análise mais detalhada sobre a variação das prestações com a duração do crédito, consulte o mapa de juros ou deixe o seu comentário.

Já agora! Se conseguiu poupar e está a ponderar amortizar algum dinheiro no crédito do seu imóvel leia o nosso artigo “Amortizar empréstimos: sim ou não?”. Faça as contas e decida qual a melhor opção!