Setembro é conhecido como o mês dos recomeços, por isso, se está a aproveitar para tentar mudar de emprego ou arranjar um novo, não deixe de seguir nossas dicas de emprego. Depois dos melhores sites para procurar emprego em Portugal, hoje trazemos-lhe algumas dicas para escrever candidaturas de emprego mais eficazes.

Esqueça as formas de tratamento demasiado generalistas

Especialmente o “A quem possa interessar”. Esqueça, risque e simplesmente não use essa forma de tratamento. Em vez disso, procure saber o nome da pessoa que vai receber as candidaturas dentro da empresa (ainda mais fácil se a empresa tiver departamento de Recursos Humanos) ou, à falta desta informação, não há nada de errado com um “Boa tarde”.

Adapte a sua Carta de Apresentação a todas as candidaturas e ofertas

Dependendo daquilo a que se vai candidatar, a informação que vai querer destacar na sua Carta de Apresentação pode também variar. Ou seja, deve optar por salientar a sua experiência e/ou trabalhos prévios mais relevantes para a vaga a que se está a candidatar.

Faça uma pesquisa prévia nos canais da empresa

Antes de começar a escrever a sua candidatura, faça primeiro uma pesquisa no site da empresa a que se está a candidatar. Tente averiguar que palavras usam no site, redes sociais ou mesmo no anúncio de emprego a que vai responder. Se pedem um candidato “jovem, dinâmico e que pense fora da caixa”, tente incluir algumas dessas keywords na sua Carta de Apresentação.

Evite lugares-comuns

Quase toda a gente começa uma Carta de Apresentação com “Vi o vosso anúncio no site X e venho por este meio candidatar-me”. Não o faça. Ou melhor, essa parte já estará explícita no corpo do email de candidatura, certo? Dependendo da empresa a que se candidatas, se esta for jovem e tiver uma presença mais aberta na internet e nas redes sociais, adote o mesmo estilo de linguagem e arrisque algo como “Pretendo com esta breve apresentação mostrar-vos porque sou a melhor escolha para a vossa vaga para o departamento de […] e por que deveríamos encontrar-nos pessoalmente para trocar impressões relativamente à minha candidatura. Terei todo o gosto em aprofundar os motivos que me levam a querer integrar a vossa equipa e as ideias que gostaria de implementar nos primeiros tempos caso seja contratado”.

Que recrutador consegue resistir a um candidato tão pró-ativo, motivado e que já vem cheio de ideias para pôr em prática? 🙂

“Por mares nunca dantes navegados…”

Não entre numa longa narrativa sobre a sua vida. Fale sobre si, sim, e apresente-se bem, mas sem se alongar demasiado. Não ultrapasse uma página de texto na sua Carta de Apresentação, guarde algo para dizer pessoalmente, na entrevista. Se a sua candidatura for boa, haverá com certeza uma entrevista!

Rejeite a incerteza

Tente evitar utilizar expressões que denotem incerteza e insegurança como “acho que” e “talvez”. Por exemplo, em vez de dizer “acho que sou o candidato ideal para este trabalho”, diga algo como “e é por estas razões que acredito ser / sei que sou o candidato ideal para este trabalho”.

Não fale (para já) das expectativas salariais

O momento do envio do email de candidatura e da carta de apresentação e CV não é o momento para mencionar as suas expectativas salariais. Não as mencione neste momento e concentre-se apenas em mostrar a um possível empregador o seu entusiasmo relativamente à posição a que se candidata e ao trabalho que irá fazer caso seja selecionado.

Haverá um momento mais apropriado para discutir as suas expectactivas salariais; normalmente é uma questão que se discute presencialmente na entrevista, por vezes, até mesmo numa segunda entrevista.

Esmere-se na despedida

Se trabalhou tão bem o primeiro parágrafo da sua carta/candidatura para que o recrutador ficasse agarrado ao seu texto, não descure a última frase. Saliente, de forma resumida, quão entusiasmado está pela eventual oportunidade de o vir a conhecer numa entrevista de emprego.

Próximo artigo de carreira do Doutor Finanças

Esperamos que esteja a gostar dos nossos emails de emprego e que, para complementar a leitura deste artigo, veja também os sites que indicamos para procurar emprego em Portugal. 🙂
As nossas dicas de emprego são baseadas no livro “Licenciei-me… e agora?”, onde constam muitas outras, tanto para quem saiu agora da faculdade como para quem já trabalha há vários anos, mas pretende mudar de carreira.

No próximo artigo de carreira abordaremos o momento de preparação para as entrevistas de emprego. 🙂