Finanças pessoais

Novas regras na Via Verde: O que muda e quais os novos custos

Sabia que passaram a existir novas regras na Via Verde em janeiro de 2022? Saiba o que muda e quais as suas implicações.

Finanças pessoais

Novas regras na Via Verde: O que muda e quais os novos custos

Sabia que passaram a existir novas regras na Via Verde em janeiro de 2022? Saiba o que muda e quais as suas implicações.

O início do ano trouxe também mudanças para quem usa os serviços da Via Verde. Assim, desde o passado dia 5 de janeiro estão em vigor novas regras, as quais passa pela diferenciação do serviço em duas modalidades.

Falamos da Via Verde Autoestradas, apenas para portagens; e da Via Verde Mobilidade, com todos os serviços extra, obviamente mais caro, para serviços como o estacionamento ou abastecimento de combustíveis, entre outros.

Recorde-se que, com o serviço que já existia, os utilizadores conseguiam pagar as portagens, mas também os estacionamentos subterrâneos e o abastecimento do carro nas bombas da Galp (entre outros serviços), dado que estava tudo incluído.

Contudo, com a criação destes novos serviços de subscrição, a oferta sofre alterações e os preços também.

Quem optar pela primeira modalidade vai continuar a pagar o mesmo que pagava, mas usa apenas o serviço para as portagens. Outros serviços terão um custo adicional.

Assim, a empresa passa a cobrar pelo aluguer de identificador conforme o serviço de subscrição escolhido.

Leia ainda: Via Verde para Estrangeiros: como funciona o Via Verde Visitors?

Custo dos serviços com as novas regras

Conforme já referido acima, o custo vai depender do serviço que utilizar. Assim, temos:

Serviço básico (Via Verde Autoestradas)

Quem ficar apenas com o serviço básico para pagar as portagens, mantém a subscrição que já pagava e acrescem os custos do próprio serviço. Ou seja:

  • Com fatura digital: 0,49€ por mês ou 5,75€ por ano;
  • Com extrato em papel: 0,99€ por mês ou 11,65€ por ano.

 No tarifário anterior não era comercializada esta modalidade simples.

Serviço com extras (Via Verde Mobilidade)

Quem quiser ter todos os serviços para além das portagens paga mais, mas só a partir de 1 de abril, nomeadamente:

  • Com fatura digital: 0,99€ por mês ou 11,50€ por ano;
  • Com extrato em papel: 1,49€ por mês ou 17,40€ euros por ano.

Esta assinatura dá acesso ao pagamento de portagens e aos serviços complementares, como o pagamento de parques de estacionamento ou abastecimentos de combustível, entre outras parcerias comerciais.

Serviço com extras (Via Verde Mobilidade Leve)

Foi também criada uma alternativa para quem usa este serviço apenas alguns meses por ano: a Via Verde Mobilidade Leve. Neste caso, tem os seguintes custos:

  • Com fatura digital: 1,25€ por mês;
  • com extrato em papel: 1,75€ por mês.

Note que, até 1 de abril pode usufruir de um desconto promocional nesta modalidade de serviço. Até esta data pagará apenas 0,70€ (com extrato digital) e 1,20€ (conta em papel).

pórtico de autoestrada

Como será feita esta transição?

Estas alterações são automáticas para os clientes, a não ser que estes comuniquem por escrito que não aceitam. Assim, a transição só não ocorre se o cliente tiver manifestado, por escrito, a sua oposição no prazo de dez dias úteis após ter recebido a comunicação por parte da empresa, terminando o contrato que o vincula ao operador.

Qualquer que seja a opção, esta pode ser feita numa loja Via Verde ou através da internet, na área pessoal do utilizador.

A partir de 1 de abril, as novas assinaturas sofrem, em definitivo, a atualização de preços à medida que forem terminando as suas anuidades.

Leia ainda: Tenho Via Verde, preciso de me preocupar com as SCUT?

A quem se aplica este novo tarifário?

As novas condições tarifárias só se aplicam a quem tem um identificador na modalidade de subscrição (aluguer). Segundo os números divulgados pela empresa, existem 4,3 milhões de identificadores, dos quais 1,9 milhões foram comprados e 1,2 milhões são alugados. Para os primeiros, mantêm-se as condições contratuais subscritas.

No entanto, a empresa também indica que há mais dispositivos do que clientes e as adesões mais recentes foram todas feitas por subscrição. Por conseguinte, a operadora pretende descontinuar a possibilidade de compra de identificador, pelo que todas as novas subscrições têm de ser feitas numa das duas modalidades que passam a estar disponíveis.

Quando os identificadores adquiridos tiverem de ser substituídos e estiverem fora da garantia, os clientes migram para uma das duas modalidades tarifárias agora em vigor.

Cancelar a Via Verde: quais os procedimentos?

Com estas novas regras, pode decidir cancelar o serviço. Explicamos-lhe como cessar o contrato.

Para tal, basta dirigir-se a uma loja do operador, aceder à área pessoal do site, comunicá-lo por via eletrónica ou enviar uma carta com essa informação com, pelo menos, 30 dias de antecedência em relação à data em que pretende desvincular-se.

Após essa data, tem apenas 30 dias para devolver o seu identificador. Pode também fazê-lo por encomenda postal.

Se o pedido foi feito presencialmente numa loja, a entrega do identificador deve ser imediata. Certifique-se de que guarda uma prova da entrega e do pedido de cessação do contrato, com identificação das respetivas datas.

Leia ainda: Pagamentos de portagens: onde e como fazer?

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.