Vida e família

Qual a idade que deve dar dinheiro ao seu filho e ensiná-lo a poupar

Quando se devem incutir noções de poupança às crianças? A partir de que idade se deve começar a dar semanada? Neste artigo vamos responder a algumas dúvidas

Adriana Cabrita Adriana Cabrita , 29 Maio 2020

No Doutor Finanças, acreditamos que a literacia financeira deve fazer parte da nossa vida desde muito cedo, o mais cedo possível. É importante que as crianças comecem a ter noção do que é o dinheiro e que sejam chamadas à responsabilidade de fazer a gestão do seu próprio dinheiro. Isto vai permitir que, desde cedo, percebam a importância de uma boa gestão para ter uma carteira saudável e feliz. 

Contudo, nem sempre é fácil explicar e educar os mais pequenos neste sentido. Isto porque, mesmo sabendo da importância da literacia financeira na sua vida, a questão que os pais levantam muitas vezes é: a partir de que idade e como o posso fazer? Não existe uma fórmula mágica. Aliás, não existe apenas uma fórmula... O truque passa mesmo por adaptar os conceitos às idades. 

Por isso, neste artigo vamos explicar-lhe, por idades, quando deve começar a introduzir conceitos financeiros e de poupança, quando deve começar a dar dinheiro aos mais pequenos e se é mais adequada a semanada ou a mesada.  

A partir dos 3/4 anos

Também conhecida como a idade dos porquês, este é também o momento em que os mais pequenos começam a fazer os seus primeiros pedidos. Por isso, é fundamental começar a explicar-lhes que o dinheiro não nasce nas árvores, nem cai do céu e que este não é um recurso ilimitado. Aproveite para falar sobre o “valor” do dinheiro e explicar-lhe que existe uma relação entre o dinheiro e a capacidade de adquirir coisas, por exemplo. 

Leia ainda: Literacia financeira com brinquedos: como as crianças podem aprender o valor do dinheiro?

A partir dos 6 anos

Mais tarde, na altura em que as crianças entram para a escola, poderão ser introduzidos novos conhecimentos. Uma vez que começam a ficar familiarizadas com números e contas, podem começar a aplicar os ensinamentos na gestão do seu próprio dinheiro. 

Aproveite ainda para começar a introduzir os princípios básicos da poupança e da gestão do dinheiro. Pode até mesmo deixar que a criança "pague" pequenas compras e ajudá-la a verificar o troco, por exemplo.  

Leia ainda: Estratégias para a gestão do mealheiro das crianças

A partir dos 10/12 anos

Com a entrada dos mais novos no 2.º ciclo de ensino, é normal que surja a necessidade de existir uma semanada, para que possam assim fazer face às pequenas necessidades diárias, como por exemplo os lanches, os almoços ou até mesmo as famosas folhas de teste.

Embora não seja aconselhável dar valores muito altos às crianças, é fundamental que, por muito pouco que seja o dinheiro, saibam geri-lo da melhor maneira e que consigam, já nesta idade, perceber as prioridades e no que devem, ou não, gastá-lo. No futuro pode vir até a aumentar o valor da semanada para fazer face às necessidades crescentes, ou até mesmo como forma de recompensa da boa gestão do dinheiro. 

Nesta etapa deve também começar a introduzir algumas noções relacionadas com o orçamento familiar

Leia ainda: Está a dar a semanada certa aos seus filhos?

A partir dos 13 anos

Finalmente, na adolescência, altura em que os filhos vão para o liceu, os gastos começam a ser superiores, uma vez que a vida social começa a ter um certo peso nas suas vidas e nas suas economias.

Para os adolescentes que fizerem uma boa introdução à literacia financeira no início da sua vida, vai ser mais fácil perceber como devem gerir o seu dinheiro, no que devem gastar e como podem poupar e ajudar. Para os adolescentes que não têm estes conhecimentos, nunca é tarde.

Nesta idade aconselhamos a mesada no lugar da semanada, para que possa assim estimulá-lo na gestão do dinheiro ao longo do mês. Esta é uma boa oportunidade para reforçar a diferença entre o desejo e a necessidade, entre o essencial e o supérfluo. A mesada deve ser sempre gerida de acordo com estes conceitos, passando a ideia de que há compromissos mensais que têm de ser sobrepostos aos desejos imediatos e que é importante fazer uma poupança para o futuro.

Leia ainda: Como poupar dinheiro na adolescência

Nunca é tarde...

Acabou de ler o nosso artigo e está preocupado porque ainda não começou a introdução da literacia financeira juntos dos mais novos? Embora aconselhemos que quanto mais cedo melhor, também defendemos a ideia do “nunca é tarde demais”. Sendo as crianças e adolescentes o futuro e a próxima geração que irá lidar com a economia, o emprego, os créditos e as dívidas, é muito importante que estes conhecimentos sejam passados, tarde ou cedo. Uma vez que, até mesmo os próprios adultos, têm por vezes alguma dificuldade em gerir o orçamento familiar e acabam por aprender e encontrar maneiras de melhorar a sua saúde financeira.  

Leia ainda: Literacia Financeira: Conheça tudo sobre o livro infantil “Doutor Finanças e a Bata Mágica”

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #como ensinar a poupar,
  • #crianças e o dinheiro,
  • #literacia financeira para crianças,
  • #poupança
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)