Finanças pessoais

Está a dar a semanada certa aos seus filhos?

Adriana Cabrita Adriana Cabrita , 17 Setembro 2018
No Doutor Finanças, acreditamos que as crianças devem estar envolvidas no orçamento familiar, sendo, muitas vezes, a semanada o primeiro contacto com essa gestão.Neste artigo, fique a saber se está a dar a mesada correcta aos seus filhos.No passado, já tínhamos elaborado um guia prático sobre mesada, pois acreditamos que a educação financeira deve ser passada às crianças desde cedo. Assim, começam desde logo a familiarizar-se, aprendendo a gerir e a poupar a sua semanada/mesada.Esta quantia tem por tendência a aumentar durante a época escolar, devido às necessidades que têm durante o período de aulas, principalmente em alimentação.  No entanto, pode sempre deparar-se com a seguinte questão:

“Quanto é que o meu filho precisa por semana?”

Normalmente há quem faça umas continhas por alto ou pergunte diretamente à criança/adolescente a quantia que precisa. No entanto, não aconselhamos a dar o que pedem, a não ser que seja o valor justo. Isto porque, nestas idades é normal que não exista uma ideia clara de literacia financeira, sendo fundamental o seu aconselhamento e acompanhamento. E quantias superiores ao necessário também podem incentivar ao consumo desmedido.  Assim, gaste algum tempo a fazer contas para conseguir chegar a um número aproximado do que o seu filho precisa. Mas atenção, que numa ou noutra semana, podem existir gastos extra, tais como:  visitas de estudo, materiais extra para trabalhos práticos, folhas de teste, entre outros.  Primeiro defina se vai dar semanada ou mesada. Depois, veja se quer englobar todas as necessidades do seu filho num valor único ou se prefere antes dar apenas para a alimentação e o restante entra numa conta à parte.  Ora, face a esta questão, o Doutor Finanças decidiu fazer um exercício para perceber, em média, quanto gasta uma criança ou um adolescente em alimentação. 

Refeições na escola 

O valor que uma criança/adolescente precisa para cobrir as suas necessidades alimentares, pode ser influenciado por vários fatores. Principalmente se vai comer a casa, se leva de casa o seu lanche da manhã, se almoça na escola ou se vai comer fora.  Façamos as contas para um dia de refeições na escola:Pequeno-almoço (1,80 €) + Almoço no refeitório (1,46 €) + Lanche (0,95 €) = 4,21€  4,21€* x 5 dias = 21,05 €* / semana
  • Valor aproximado

Refeições fora da escola  

Não sabemos se já fez as contas, mas, basta optar por almoçar fora da escola para encarecer bastante a semana, mesmo que o seu filho opte por um menu económico. Pois vejamos:  Pequeno-almoço na escola (1,80€) + Almoço fora da escola (6,50€) + Lanche na escola (0,95€*) = 9,25€ 9,25€ x 5 dias = 46,25€* / semanaE, se calcularmos o almoço fora mais o lanche com os amigos, quando terminam as aulas, estamos a falar que o seu filho gasta: Pequeno-almoço na escola (1,80) + Almoço fora da escola (6,50€) + Lancha fora da escola (3,80) = 12,10€ 12,10€ x 5 dias = 60,50€* / semana
  • Valor aproximado

Refeições na universidade 

A ida para a universidade é provavelmente a fase mais cara da adolescência do seu filho. Primeiro, porque existe um fator de peso: o seu filho precisa ou não sair de casa para estudar noutra cidade? Em ambas as situações têm em comum o facto de, para além dos gastos normais que já tinha até à data, acrescentar a sua vida social. É muito comum que, em vez de comer no refeitório da universidade, queira ir comer fora com os colegas, que vá tomar café com os amigos depois das aulas e que comece a sair mais à noite. Claro que estes fatores variam de adolescente para adolescente e de pais para pais. No entanto, deixamos aqui o valor aproximado de quanto podem gastar, durante o período de aulas, apenas em alimentação. Nunca esquecendo que nesta fase da vida, a alimentação está muito relacionada com o papel social dos jovens.Refeição na cantina da universidade – 2,40€* Refeição nos bares da escola – 6,00€* Refeição fora da universidade – 10,00€* *Valor aproximadoSome a isto os pequenos-almoços, dentro ou fora da universidade, os cafés e o lanches. Na verdade, um jovem universitário pode gastar, apenas em alimentação, aproximadamente 100€ por semana, caso não adote práticas de poupança. 

Sugestões 

Para finalizar, aconselhamos a ter sempre em conta a capacidade financeira do seu agregado familiar. Não faça as contas apenas mediante o que o seu filho precisa, mas também mediante do que lhe pode dar.  E, mesmo que a sua capacidade financeira lhe permita dar ao seu filho tudo o que ele precisa, ensine-o a não fazer compras impulsivas, a moderar o consumismo e a adotar práticas de poupança.  Uma última dica, mas não menos importante, deduza as despesas com refeições alimentares no IRS. Esta foi uma das medidas aprovadas no Orçamento do Estado para 2017. 
Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #como melhorar hábitos de poupança,
  • #mesada,
  • #orçamento familiar,
  • #semanada

Deixar uma resposta