Carreira e Negócios

Colaboradores como co-criadores das organizações

Como a engenharia organizacional pode potenciar simultaneamente pessoas e negócios?

Toda a Arte é um problema de Equilíbrio entre dois opostos.

Cesare Pavese

Desde o início da minha carreira profissional até aos dias de hoje, fosse a trabalhar por conta de outrem, fosse já como facilitador, coach ou trainer, tenho sido testemunha de um desafio comum que encontro nas Pessoas e Organizações – A Separação e os Extremos:

  • Pessoas que têm uma ótima energia, vontade de aprender e de fazer as coisas acontecer, mas os processos, liderança, cultura e tecnologia não acompanham e potenciam essa riqueza;
  • Processos, metodologias e tecnologias state of the art, mas que não proporcionam a potencial riqueza e valor porque a sua contextualização e envolvimento com as Pessoas não é realizada, criando assim muitos anticorpos.

O que surge muitas vezes é um fosso de evolução – sabemos tudo o que precisamos, mas não sabemos/conseguimos aplicar. 

A Liderança e Gestão de uma Organização é uma abordagem híbrida e simultânea de Pessoas [Coaching/Mentoring] + Inovação [Design Thinking + Customer Development+Problem Solving] e Cultura [Management 3.0Liberating Strutures + Cultura por Valores]. 

Leia ainda: A receita para a verdadeira Evolução de Pessoas e Negócios

Visão 720º: Ecossistema Individual e Organizacional

Sendo o Coaching e o Design Thinking as minhas maiores influências profissionais, desde logo detetei bastantes pontos e propósitos em comum.

Há alguns anos comecei a imaginar um caminho, que pudesse servir de orientação a processos de desenvolvimento de lideranças e das organizações, com inspiração nessas abordagens. 

Ao fim de alguns anos de fermentação e envelhecimento, qual vinho, surgiu-me o conceito e a respetiva estrutura da Engenharia Organizacional [EO], após a “validação” do mercado das suas várias possibilidades e conjugações de temas.

Engenharia Organizacional® é um roteiro integrador para o desenvolvimento de Pessoas, Organizações, Cultura e Ecossistemas de Negócios.

Define de que forma o Desenvolvimento de Pessoas, das Lideranças e da Inovação de uma Organização é sempre o resultado de uma interação evolutiva e simultânea de Pessoas, Ideias, Processos e Cultura.

Esquema da Engenharia Organizacional
ROADMAP ENGENHARIA ORGANIZACIONAL | © HUGO GONÇALVES & KNOWMADVENTURES

Vamos lá então explorar isto:

Propósito e Challenge

Termos um propósito definido e concreto ativa sensações de confiança e tranquilidade no nosso sistema límbico, que gere as emoções. A Clarificação do Propósito e Desafio é para mim uma das mais importantes etapas de qualquer Processo de Transformação e Inovação Pessoal e Organizacional. Infelizmente é o mais negligenciado.

Explorar, observar e mapear

Achamos sempre quem sabemos o que fazer, pela lógica ou pelo ego. 

Por isso, explorar, olhar à volta, conversar connosco e com os outros é um processo fundamental para termos uma visão e noção cristalina da realidade e do estado atual das coisas. 

Isso implica o ato neutro e compassivo de observar, sem grandes julgamentos ou preconceitos. Apanhar o helicóptero, aumentar o campo de visão, observar os ecossistemas e identificar as interações, numa grande angular de 720 graus: 360° interno + 360° externo.

Basicamente, é ir “falar” com as Pessoas e o Mundo e perceber quais as suas necessidades, dores e aspirações!

Leia ainda: A importância de transmitir feedback eficaz a um colaborador

Insights

Neste ponto, e através das duas etapas anteriores, já devemos ter claro algumas conclusões. O que se tornou claro através da fase de explorar? Bate certo com o que achávamos? Quais são as dimensões para as quais faz sentido criar soluções e impactos para nós próprios, para as equipas, os clientes, para que todos tenham os seus pains and gains “resolvidos”?

Imaginar e desenhar um futuro melhor

Agora sim, é a altura certa para criar algo ou imaginar soluções para um determinado desafio e problema;

  • TUDO é possível de ser imaginado e só ALGUMAS coisas poderão ser implementadas, e está tudo bem. 

Indivíduos, Equipas e Organizações normalmente começam por aqui e ignoram os passos anteriores e a frase anterior. Ou seja, estagnamos na nossa Inovação Pessoal e Organizacional, porque se começarmos apenas nesta fase não nos proporcionamos o belo, mas também (confesso) doloroso, processo de colocar tudo em causa, nós incluídos.

Validar e planear a nova realidade

Uma ótima solução não é suficiente. A Inovação realmente só acontece quando uma ideia é tecnicamente exequíveldesejável, viável financeiramente e, tendo em conta este mundo líquido e os últimos acontecimentos, que se consiga adaptar rapidamente a novos modelos de negócio e de entrega.

Então aqui temos de experimentar, prototipar e definir quais os critérios de sucesso e insucesso.

Lift-off!

Aqui é fácil. É fazer acontecer, refinar, atualizar, e depois procurar o challenge e propósito seguintes.  

Engenharia Organizacional bateu quase sempre certo. Como roadmap funcionou quase sempre bem como referência para se percorrerem territórios complexos como são um Ser Humano, Equipa, Organização, Negócio. 

As metodologias e ferramentas utilizadas em cada fase é que têm de ser customizadas ao tema, desafio, pessoa, equipa, organização, etc. Aqui pede-se Empatia e Co-Criação com os clientes. 

Leia ainda: A importância das soft skills no processo de recrutamento

A Engenharia Organizacional funciona como uma Galáxia

A  Engenharia Organizacional desenvolve e inova um conjunto de dimensões, princípios ativos e ecossistemas do Profissional e das Organizações que existem por si só e cujos elementos se mantêm unidos entre si devido a mútuas interações, em temáticas chave que funcionam como constelações ou sistemas solares:

As dimensões da Engenharia Organnizacional
GALÁXIA ENGENHARIA ORGANIZACIONAL | © HUGO GONÇALVES & KNOWMADVENTURES

Alguns exemplos de aplicação (entre parênteses apresento as ferramentas/metodologias que materializam o “Como se implementa”)

  • LEADER/PEOPLE EVOLUTION – Processos de Coaching e Mentoring onde se trabalha a Self Leadership, a Definição de Prioridades e tomada de Decisões. Liderar e Imaginar um novo futuro numa organização é ainda muitas vezes um processo solitário e este roadmap da Engenharia Organizacional pode servir de orientador para tornar cristalino e motivador um processo que é complexo e denso. [Self Leadership, Coaching, Mentoring]
  • BUSINESS TRANSFORMATION – Qualquer contexto que implique uma reflexão e trabalho multidisciplinares para resolver problemas, identificar oportunidades, criar produtos, trabalhar na nossa proposta de valor e desenvolvimento de clientes ou simplesmente imaginar como se pode trabalhar melhor. [Design Thinking, Problem Solving, Inovação, StrategyTools, Customer Development]
  • CULTURE AND WORKFLOWS – 85% dos desafios organizacionais são sistémicos e relacionados com comunicação, definição de responsabilidades, informação inconsistente e fluxos de comunicação degradados. São as Meaningful Conversations & Design que levam às melhores Reflexões, Decisões e Distribuição de Responsabilidades e Tarefas. [Design de Culturas e Equipas, Definição de Responsabilidades, Team Development, Cultura por Valores]

Estamos perante um ciclo de mudança e expansão e impermanência vertiginosos, associados ao desenvolvimento e transformação do conceito do que é um profissional, organização, produto e serviço e cliente.

A Engenharia Organizacional é forma que encontrei de “combater” aquele desafio comum da Separação e Extremos, que mencionei no início, que ainda causa muita mossa.

A Engenharia Organizacional na realidade pretende criar e reforçar a Integração, Reconexão, Equilíbrio e Alegria (não propriamente a Felicidade) dos Profissionais e das Organizações.

Esta é a minha proposta de Caminho do Meio.

E pretendo continuar a percorrer este caminho e os seus trilhos nos próximos tempos. Que venham as Oportunidades, Desafios, Pessoas e Organizações para todos percorrermos este Caminho de Evolução!

Leia ainda: Está a pensar dispensar um colaborador? Evite surpresas

Nascido, criado e apaixonado pelo Porto e pelo Mundo, os seus caminhos pessoais e profissionais conduziram-no à descoberta do maravilhoso mundo das Pessoas e Organizações. Trabalha para transformar o potencial, conhecimento e experiência de Pessoas e Organizações em Evolução e Resultados, combinando disciplinas como a Engenharia Organizacional, Coaching, Design Thinking, Agile e Design de Equipas e Cultura. Acredita no Caminho do Meio para a Evolução Mútua de Pessoas, Organizações e Sociedade.

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Um comentário em “Colaboradores como co-criadores das organizações
Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.