Orçamento Familiar

Crato é onde os preços das casas são mais baixos. Lisboa mais altos

Os preços das casas em Portugal estão em níveis recorde. Mas há muitas diferenças geográficas. Conheça onde estão as casas mais caras e as mais baratas.

Sara Antunes Sara Antunes , 29 Janeiro 2020

Os preços de venda das casas continuam a aumentar em Portugal, atingindo valores históricos. Esta é uma realidade que é transversal ao país, mas há zonas onde o preço de uma casa dava para comprar várias noutra localização. Conheça as zonas mais caras e mais baratas no país.

O preço mediano de uma casa em Portugal aumentou 7,1% para 1.054 euros por metro quadrado. Estes dados referem-se ao terceiro trimestre do ano passado, quando comparado com o mesmo período do ano anterior, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Mas as realidades são muito diferentes de região para região, de município para município e de freguesia para freguesia. Os dados publicados mostram que os preços mais baratos em Portugal são no Crato, no Alto Alentejo. Nesta zona, o preço mediano do metro quadrado está nos 185 euros.  

Do lado oposto está, como habitual, Lisboa, onde a pressão da procura por estrangeiros e o dinamismo populacional é maior, pelo que os preços das casas refletem também esta realidade. Na cidade de Lisboa o preço mediano do metro quadrado é de 3.205 euros. A este preço, era possível comprar mais de 17 casas no Crato.

Leia ainda: O que vai acontecer ao mercado imobiliário em 2020?

Os mais caros e os mais baratos em Lisboa e no Porto

Nas duas cidades portuguesas com maior densidade populacional, Lisboa e Porto, também há diferenças significativas.

Apesar de o preço mediano em Lisboa ser de 3.205 euros por metro quadrado, os valores variam entre os 2.090 euros de Santa Clara e os 4.889 euros de Santo António (freguesia que abrange localizações como a Avenida da Liberdade ou as Amoreiras).

Em Lisboa há mesmo quatro freguesias onde o preço mediano supera os 4.000 euros: Santo António, Misericórdia, Santa Maria Maior e Parque das Nações.

Já no Porto, o preço mediano atingiu os 1.802 euros por metro quadrado, com a freguesia de Campanhã a ser a mais barata (1.170 euros) enquanto a União das Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde a mais cara (2.414 euros).

Braga é a mais barata das grandes cidades, mas foi onde os preços mais aumentaram

Entre as cidades com uma densidade populacional superior a 100 mil habitantes, Braga destaca-se de duas maneiras. Por um lado, é onde estão as casas mais baratas (923 euros por metro quadrado), por outro lado foi onde os preços mais aumentaram desde o início de 2016 (22,6%).

Este indicador serve para medir o pulso ao setor imobiliário em Portugal. O senso comum diz-nos que os preços das casas têm aumentado e estes dados comprovam-no. Juntam-se assim a um outro indicador relevante para o tema: a avaliação bancária dos imóveis.

Os valores da avaliação bancária publicados são mais recentes e referem-se a dezembro de 2019, mas também mostram um aumento dos valores. O preço médio da avaliação bancária nacional atingiu os 1.321 euros por metro quadrado, sendo este o valor mais elevado desde que há dados, ano 2011.

A conjugação destes dois indicadores é importante para, se quiser comprar casa através de um financiamento bancário, ter noção de quanto poderá conseguir.

Isto porque o banco só lhe emprestará até 90% do valor da casa, pelo que se a avaliação for inferior ao preço a que lhe estão a vender o imóvel poderá ter um problema em mãos.

Leia ainda: Financiamento a 100% no crédito habitação: É possível ou não?

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • ##preços das casas,
  • #imobiliário

Deixar uma resposta