Finanças pessoais

Como fazer o orçamento familiar quando os rendimentos são irregulares?

Muitas famílias gerem rendimentos irregulares e, independentemente da razão, lidam com maiores constrangimentos que têm de ultrapassar.

Finanças pessoais

Como fazer o orçamento familiar quando os rendimentos são irregulares?

Muitas famílias gerem rendimentos irregulares e, independentemente da razão, lidam com maiores constrangimentos que têm de ultrapassar.

O seu orçamento familiar conta apenas com rendimentos irregulares? Seja por recibos verdes ou trabalho por comissões, a entrada de dinheiro pode variar, no entanto, isto não significa que não consiga orçamentar a sua vida.

Criar um orçamento familiar é sempre importante, por isso, reunimos algumas dicas sobre como conseguir fazer um orçamento com rendimentos irregulares.

Faça um apanhado dos seus rendimentos

Se os seus rendimentos são irregulares, planeie tudo por baixo. Isto significa que deve pegar na entrada de dinheiro mais baixa e crie o seu orçamento. Porquê? É mais fácil planear por baixo e sobrar dinheiro do que o contrário. Para começar, procure nos seus recibos anteriores e veja qual foi o mais baixo. Escolha esse para fazer as suas contas. Se começou recentemente a trabalhar e ainda não tem histórico de recibos, não se preocupe. Faça uma estimativa de qual seria o seu salário mais baixo e use esse valor como base para o seu orçamento mensal.

Leia ainda: Pronto para a subida de preços? 22 dicas para aumentar rendimentos

Faça uma lista das suas despesas

Uma vez que já estimou o dinheiro que vai entrar, deve agora calcular o que vai sair. Para melhor criar o seu orçamento, faça uma lista de todas as suas despesas. Nessa lista inclua tudo: desde despesas fixas a despesas variáveis. Desde renda, luz, água, gás, alimentação, passando por despesas menos necessárias, como subscrições e outros gastos pessoais. Atribua uma categoria para gastos que considera "menos necessários".

No entanto, lembre-se deve dar prioridades aos que são essenciais e obrigatórios. Nesta lista deve também incluir dinheiro que pretenda pôr de lado para poupanças e fundos de emergência. Apesar de ser mais complicado fazê-lo quando os rendimentos são irregulares, é sempre importante garantir que poupa algum dinheiro todos os meses.

Leia ainda: Trabalhador independente: dicas para gerir rendimentos irregulares

Subtraia as suas despesas ao seu rendimento

Este valor deve igualar zero. Porquê zero? A ideia por detrás desta teoria é cada euro ter o seu propósito, seja ele pagar contas, poupar ou gastar. Por isso, é importante que inclua todos os seus "gastos" na lista que falamos no tópico anterior. Dinheiro sem um propósito tende a ser gastado "acidentalmente" em coisas desnecessárias.

Após subtrair as suas despesas ao seu salário, se obtiver um valor positivo, opte por atribuir um valor extra às suas poupanças e guarde-o. Se, por outro lado, o valor for negativo, tem de fazer algum ajuste esse mês (com rendimentos irregulares é normal acontecer algumas vezes). Por essa razão deve nivelar os seus orçamentos por baixo. O que deve fazer nesta situação é cortar alguns gastos desse mês e retomar quando a situação normalizar. Ou seja, quando a diferença entre salário e despesas der zero.

Leia ainda: 12 dicas para aumentar os rendimentos

Faça o controlo das suas despesas ao longo do mês

Controlar as suas despesas é muito importante para garantir que não está a gastar mais do que devia. Fez uma compra, acrescente-a à sua lista de despesas. Assim, evita gastar mais do que o que tem disponível. Este método faz a diferença, especialmente quando os rendimentos são irregulares. Se, por outro lado, obteve algum rendimento extra, acrescente-o ao orçamento mensal.

Porquê controlar despesas se já fiz um orçamento mensal? Lembre-se que um orçamento é estabelecer um plano para onde o dinheiro vai. Controlo de despesas passa por perceber para onde o dinheiro foi efetivamente.

Leia ainda: Trabalha remotamente? Saiba que custos deve ter em consideração

Faça ajustes quando receber

O "truque" para orçamentar com rendimentos irregulares é ser flexível e estar sempre em cima do acontecimento. Assim, uma das formas de é fazer ajustes em dias de pagamento. Se o seu salário acabou por ser mais alto do que esperava, não se esqueça de acrescentar esse valor ao seu orçamento.

Por exemplo, estava a contar receber um salário de 1000€ e recebeu 1500€. O que fazer? Tem algumas opções. Pode reverter esse valor para as suas poupanças ou fundo de emergência. Por outro lado, e visto que tem de conter bastante os seus gastos, pode, nesse mês, aproveitar e dar um mimo a si próprio, comprando algo do qual teve de abdicar noutros meses.

Mas, pelo contrário, como pode ser proativo e garantir que o dinheiro lhe chega para o mês todo? É possível aumentar a carga horária no trabalho? Faça-o. Tem algum cliente com pagamento em atraso? Fale com ele de modo a regularizar a situação. Se estas estratégias não forem possíveis, opte por reduzir gastos.

produção fotográfica de um mealheiro e uma mão com um martelo que se aproxima

Leia ainda: 7 sinais que revelam a sua fragilidade financeira

Planeie a criação de um fundo de emergência

Contruir um fundo de emergência é de extrema importância, especialmente se os seus rendimentos são irregulares. Um fundo de emergência destina-se a situações imprevistas e financeiramente "pesadas", por exemplo, ficar doente durante um longo período de tempo, perder o emprego, entre outros. Idealmente, este fundo deve cobrir as suas despesas por um período de seis meses. No entanto, nem sempre é fácil atingir este objetivo.

De modo a contribuir mensalmente para a criação de um fundo de emergência, trate-o como uma despesa obrigatória. Por exemplo, a conta da luz é uma despesa obrigatória. Todos os meses sabe que tem de a pagar e põe de lado o dinheiro necessário. Faça o mesmo com o fundo de emergência. Todos os meses coloque uma certa quantia de lado para esta finalidade e faça-o como se fosse uma obrigatoriedade.

Leia ainda: 7 formas criativas de ganhar dinheiro online

Deixe algum dinheiro de lado para impostos e contribuições

Especialmente se for trabalhador independente, existem várias obrigações fiscais que deve cumprir. Nem sempre todo o dinheiro que recebe é seu. Por exemplo, se estiver em regime de IVA, em todos pagamentos deve descontar o IVA que tem de entregar posteriormente às Finanças. Caso contrário, se considerar tudo aquilo que recebe como "dinheiro seu", então terá tendência a gastar mais do que aquilo que efetivamente recebe.

Além disso, ao contrário de um trabalhador por conta de outrem, em que a retenção na fonte e contribuição para a Segurança Social são feitas automaticamente, se trabalhar por conta própria não tem esta vantagem. Todo este processo deve ser feito por si. No momento em que emite o recibo verde (no caso da retenção e IVA) e também na entrega da declaração trimestral para a Segurança Social.

Leia ainda: Vai ter de pagar IRS? Saiba como manter as finanças controladas

Não gaste mais só porque o rendimento foi maior

Assim como deve preparar-se para os piores meses, aqueles em que os rendimentos são menores, deve, também, fazê-lo para os melhores meses. Isto porque quando recebe dinheiro com o qual não estava a contar a tentação de o gastar é grande. No entanto, deve sempre dar preferência a destinos "inteligentes" para o seu dinheiro. Já assegurou o seu fundo de emergência este mês? E as suas poupanças? Já abriu uma conta poupança reforma? Não deixde de fazer estas perguntas a si próprio.

Leia ainda: Trabalhador-estudante: Como ganhar dinheiro enquanto se estuda?

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.