Sabe o que é realmente a independência financeira? Com este artigo fique a saber o que é e conheça alguns dos obstáculos que tem de ultrapassar para atingir a sua independência financeira.

Em algum momento da vida certamente já pensou como seria bom ter rendimentos suficientes para não ter de trabalhar mais. Isto significaria que tinha atingido a sua independência financeira.

Independência financeira é o ponto em que os seus rendimentos não dependem do seu trabalho. Ou seja, se ficasse sem emprego os investimentos que fez garantiriam uma renda suficiente para fazer face às suas despesas, de acordo com a seu nível de vida.

Rendimentos ativos Vs Rendimentos Passivos

Os rendimentos ativos são os rendimentos gerados através da realização de trabalho, em que existe uma troca de tempo e competências por dinheiro. Por seu lado, os rendimentos passivos são gerados quer haja trabalho ou não. Tratam-se dos rendimentos recebidos de ativos que não requererem muito tempo e trabalho para gerar lucros (exemplo: rendas, lucros de livros ou negócios, entre outros)

Tirando casos em que existe uma herança, este tipo de rendimentos demoram a constituir-se. É preciso que haja um trabalho anterior de construção de um mecanismo que se vai tornar independente e continuar a gerar rendimentos mesmo que deixe de trabalhar neleÉ neste ponto que se considera ter atingido a independência financeira.

Neste ponto, importa esclarecer que atingir a independência financeira não é o mesmo que ter capacidade financeira. Ter um determinado nível de vida, mas precisar de trabalhar para o manter apenas significa que não está dependente de terceiros para subsistir. Contudo, está sempre dependente do seu trabalho.

“Então como é que vou conseguir atingir a independência financeira?”

Para atingir o momento em que já não precisa de trabalhar, conseguir viver e manter o seu nível de vida é necessária muita disciplina e até uma certa dose de sorte relativa aos investimentos que faz. Abaixo enumeramos algumas soluções em que pode investir o seu dinheiro e que o podem ajudar a atingir este objetivo.

Depósitos a prazo

São um compromisso entre o banco e o cliente relativamente aos fundos por este disponibilizados. Por outra palavras, durante o determinado período de tempo o banco poderá dispor do capital depositado pelo cliente, segundo condições previamente acordadas relativamente ao prazo, remuneração, mobilização e fiscalidade.

No fundo, este é um produto em que o cliente “empresta” dinheiro ao banco, que por sua vez fica obrigado a restituir esse capital no final do tempo acordado e a proceder ao pagamento de um determinado valor, correspondente aos juros acordados. 

Com o artigo “Depósito a prazo ou certificado de aforro” fique a conhecer melhor este produtos de poupança e o que lhe vamos falar no ponto a seguir e quais os riscos associados.

Certificados do tesouro e certificados de aforro

Os Certificados do Tesouro são uma opção para um investimento a médio prazo sem assumir um risco. Tratam-se de instrumentos de dívida pública destinados à poupança das famílias, apresentando uma taxa fixa garantida. Este é um produto de aforro, emitido pelo Estado Português, cujo montante mínimo de investimento é de 1000 euros e o prazo mínimo é de 1 ano sendo o máximo de 5 anos. No 4º e 5º ano acresce prémio em função do PIB.

Estes só podem ser emitidos a particulares e não são transmissíveis excepto em caso de falecimento. Têm um prazo de 10 anos, com prémios de permanência acrescentados à taxa base de 0.5%, do 2º ao 5º anos, e de 1.0%, do 6º aos 10º ano.

Investimento imobiliário

Nos últimos tempos esta tem sido a aposta de muitas pessoas que têm algum dinheiro para investir. De facto, comprar os imóveis nos valores certos e rentabilizá-los é uma estratégia que poderá sem muito bem sucedida. Para além de garantirem um rendimento constante, os imóveis também poderão funcionar como garantia em outros investimentos, em que seja necessário recorrer ao crédito.

Negócios próprios

Esta também é uma forma de obter rendimentos que cubram as suas despesas. No entanto, existem dois factores importantes a ter em conta para que tudo corra bem. Primeiro é importante encontrar o negócio certo e estar seguro que está a tomar a melhor decisão. Segundo, para que deixe de trabalhar deverá constituir uma equipa em que confie e que seja capaz de gerir o seu negócio da melhor forma, quando não estiver presente.

Três conselhos fundamentais para atingir a sua independência financeira

Atingir a independência financeira não é uma tarefa fácil, requer muitas disciplina, pleneamento e força de vontade. Conheça os três conselhos importantes que deve ter em conta até atingir a sua liberdade financeira.

1. Constitua poupança

No Doutor Finanças, poupança é a palavra mais dita e mais ouvida. Esta representa também o primeiro passo no caminho da sua liberdade financeira.
Assim, analise o seus gastos e os seus rendimentos ao pormenor e procure formas de cortar em algumas despesas. Poderá negociar os contratos dos serviços que subscreveu, cortar em alguns extras ou até mesmo aproveitar de forma inteligente as promoções de bens essenciais. Embora exija muito rigor poupar é possível e não só lhe dará conforto financeiro, como lhe trará confiança na tomada de decisões que envolvam as suas finanças pessoais

2. Defina prazos

Chegar ao momento em que se diz independente financeiramente não acontece de um dia para o outro, embora os nosso desejo se que ocorra o mais cedo possível. Assim, aconselhamos a que defina várias metas realistas, bem como prazos para as atingir. Desta forma vai evitar distracções e manter-se focado na sua poupança, ao mesmo tempo que se mantém motivado a cada meta alcançada.

3.  Procure ganhar dinheiro extra

Aumentar o seu rendimento nem sempre passa por um aumento do ordenado. Ganhar um dinheiro extra ao seu ordenado pode passar não só por encontrar um part-time, como por otimizar algum tipo de aptidão que nada tenha a ver com a sua atividade profissional. Se sabe cozinhar, fazer pequenos arranjos domésticos ou um interesse especifico que pode gerar algum tipo de rendimento, aproveite-o. Desta forma, não só estará a aumentar a sua poupança, como está a acelerar a sua caminhada rumo à liberdade financeira.

Conclusão

Atingir a independência financeira é o momento em que consegue que os investimentos que fez gerem rendimentos sem que tenha de trabalhar para eles. Se quiser este é um momento em que o seu dinheiro trabalha por si, enquanto você faz outras coisas que realmente lhe dão prazer. No entanto, este requer  trabalho mas também conhecimento sobre os investimentos que precisa de fazer para obter o retorno necessário à sua sobrevivência. O Doutor Finanças tem à sua disposição cursos gratuitos para poupar e investir. Antes de qualquer investimento procure saber o mais possível sobre ele. Evite perder dinheiro.

 

Etiquetas: