Sabe o que é realmente a independência financeira? Com este artigo fique a saber o que é e conheça alguns dos obstáculos que tem de ultrapassar para atingir a sua independência financeira.

Em algum momento da vida certamente já pensou como seria bom ter rendimentos suficientes para não ter de trabalhar mais. Isto significaria que tinha atingido a sua independência financeira.

Independência financeira é o ponto em que os seus rendimentos não dependem do seu trabalho. Ou seja, se ficasse sem emprego os investimentos que fez garantiriam uma renda suficiente para fazer face às suas despesas, de acordo com a seu nível de vida.

Rendimentos ativos Vs Rendimentos Passivos

Os rendimentos ativos são os rendimentos gerados através da realização de trabalho, em que existe uma troca de tempo e competências por dinheiro. Por seu lado, os rendimentos passivos são gerados quer haja trabalho ou não. Tratam-se dos rendimentos recebidos de ativos que não requererem muito tempo e trabalho para gerar lucros (exemplo: rendas, lucros de livros ou negócios, entre outros)

A não ser que usufrua algum tipo herança ou negócio, este tipo de rendimentos não aparece de um momento para o outro. É preciso que haja um trabalho anterior de construção de um sistema que vai continuar a funcionar depois de parar de investir tempo neleÉ neste ponto que se considera ter atingido a independência financeira.

Neste ponto, importa esclarecer que atingir a independência financeira não é o mesmo que ter capacidade financeira. Ter um determinado nível de vida, mas precisar de trabalhar para o manter apenas significa que não está dependente de terceiros para subsistir. Contudo, está sempre dependente do seu trabalho.

“Então como é que vou conseguir atingir a independência financeira?”

Para atingir o momento em que já não precisa de trabalhar, conseguir viver e manter o seu nível de vida é necessária muita disciplina e até uma certa dose de sorte relativa aos investimentos que faz. Abaixo enumeramos algumas soluções em que pode investir o seu dinheiro e que o podem ajudar a atingir este objetivo.

Depósitos a prazo

São um compromisso entre o banco e o cliente relativamente aos fundos por este disponibilizados, por um determinado período de tempo. Por outra palavras, durante o determinado período de tempo o banco poderá dispor do capital depositado pelo cliente, segundo condições previamente acordadas relativamente ao prazo, remuneração, mobilização e fiscalidade.

No fundo, este é um produto bancário que implica a entrega de um fundo a uma determinada instituição bancária, que por sua vez fica obrigada a restituir esse fundo no final do tempo acordado e a proceder ao pagamento de um determinado valor, correspondente aos juros acordados. 

Com o artigo “Depósito a prazo ou certificado de aforro” fique a conhecer melhor este produtos de poupança e o que lhe vamos falar no ponto a seguir e quais os riscos associados.

Certificados do tesouro e certificados de aforro

Os Certificados do Tesouro são uma opção para um investimento a médio prazo sem assumir um risco. Tratam-se de instrumentos de dívida pública destinados à poupança das famílias, apresentando uma taxa fixa garantida. Este é um produto de aforro, emitido pelo Estado Português, cujo montante mínimo de investimento é de 1000 euros e o prazo mínimo é de 1 ano sendo o máximo de 5 anos. No 4º e 5º ano acresce prémio em função do PIB.

Por seu lado, os Certificados de Aforro são também instrumentos de dívida criado com o objetivo de captar poupança das famílias e têm como característica principal serem distribuídos a retalho. Ou seja, são colocados directamente juntos dos aforradores e têm montantes mínimos de subscrição reduzidos.

Estes só podem ser emitidos a particulares e não são transmissíveis excepto em caso de falecimento. Têm um prazo de 10 anos, com prémios de permanência acrescentados à taxa base de 0.5%, do 2º ao 5º anos, e de 1.0%, do 6º aos 10º ano.

Investimento imobiliário

Comprar imóveis abaixo do valor do mercado e rentabilizá-los através de arrendamento é uma estratégia de sucesso e que traz resultados rápidos, uma vez que as rendas são depositadas mensalmente.

Para além da perspectiva de investimento, os imóveis também funcionam como garantia em outros investimentos, em que seja necessário recorrer ao crédito.

Negócios próprios

Esta também é uma forma de obter rendimentos que cubram as suas despesas. No entanto, para que obtenha realmente a sua independência financeira é necessário que possa e consiga delegar tarefas, o que numa fase inicial poderá ser bastante complexo.

No entanto, neste caso a parte mais difícil será a de encontrar o negócio certo para investir.

Obstáculos a ultrapassar para obter a sua independência financeira

Para atingir a independência financeira é necessário não só um plano rigoroso, como disponibilidade mental e força de vontade para ultrapassar alguns obstáculos, tais como:

Tempo

Todos já ouvimos a expressão “tempo é dinheiro”. Se vai trabalhar para obter a sua independência financeira, certamente não quererá que esta aconteça apenas aos 65 anos. Por isso não perca tempo, comece já hoje a traçar um plano para alcançar a sua independência financeira. Assim, vai conseguir gozar a sua independência financeira ainda enquanto jovem e desfrutar dela durante mais tempo.

Património

O património influencia positivamente os rendimentos e gera quase sempre mais valias, mas este nem sempre existe. Assim, é importante que o seu património gere rendimentos regulares e para isso a busca de melhor património e melhores investimentos deve ser uma constante. Esta deverá ser encarada com uma rotina saudável.

Rendimento

Apesar o património ser uma mais valia, este nem sempre existe e os investimentos podem existir na mesma. Poderá, por exemplo, fazer contratos e gerar rendimentos através do subarrendamento ou fazer investimentos que lhe vão trazer resultados constantes a longo prazo. Para que isto aconteça é preciso que o investidor esteja informado e seja um consumidor ávido de informação sobre investimentos, sabendo o rumo que os mercados em que aposta estão a tomar e assim agir de acordo.

Despesa

 Esta é uma das palavras que mais usamos no Doutor Finanças e que tentamos sempre substituir pela palavra Poupança. Atingir rendimentos que cobrem as despesas mensais sem ter que trabalhar, não é de todo tarefa fácil, contudo fica facilitada se procurar analisar as duas despesas e reduzi-las. Não quer dizer que tenha de abdicar do seu nível de vida, mas se olhar para os serviços que tem subscritos certamente vai encontrar alguns cujos contratos poderão ser alterado e tornar-se mais vantajosos para si.

Conclusão

Atingir a independência financeira é o momento em que consegue que os investimentos que fez gerem rendimentos sem que tenha de trabalhar para eles. Se quiser este é um momento em que o seu dinheiro trabalha por si, enquanto você faz outras coisas que realmente lhe dão prazer. No entanto, este requer  trabalho mas também conhecimento sobre os investimentos que precisa de fazer para obter o retorno necessário à sua sobrevivência. O Doutor Finanças tem à sua disposição cursos gratuitos para poupar e investir. Antes de qualquer investimento procure saber o mais possível sobre ele. Evite perder dinheiro.

 

Etiquetas: