Vida e família

Alimentação na gravidez: que cuidados ter?

Durante a gravidez um dos principais cuidados está na alimentação. O que pode, o que deve e o que não é mesmo aconselhável comer? Siga as nossas dicas.

Telma Gonçalves Telma Gonçalves , 13 Agosto 2020

A gravidez costuma ser chamada de “estado de graça” e é uma das fases da vida mais bonitas. No entanto, além da preparação financeira que é necessária, há outros cuidados a ter. Um desses cuidados está na alimentação. Além de ser necessário garantir que o bebé recebe todos os nutrientes, é igualmente importante manter-se saudável, já que a alimentação pode ajudá-la a prevenir o aparecimento de doenças como a diabetes gestacionais.

Dicas para cuidar da alimentação na gravidez

Consulte o seu médico

O primeiro passo para saber qual o melhor plano alimentar para si deve passar por falar com o médico que acompanha a gravidez e mesmo pelo acompanhamento de um nutricionista. Este poderá traçar-lhe um plano alimentar adequado às suas preferências e dar-lhe dicas de receitas saudáveis.

Faça o teste da toxoplasmose

grávida  vestida com vestido branco de mangas

O aconselhamento médico e nutricional deverá ser apoiado no seu historial clínico, que deve estar suportado em exames e análises clínicas. Há uma análise específica que não pode prescindir e que poderá ser impacto na sua alimentação: o teste da toxoplasmose. Esta é uma infeção que pode ser transmitida ao feto através da placenta, pelo que deve ter alguns cuidados.

Se o teste relevar que a grávida não está imune à toxoplasmose, o que significa que pode vir a contrair essa infeção, deve ter particulares cuidados na alimentação, que são facilmente incluídos na sua rotina, nomeadamente alimentos crus.

Cuidado com alimentos crus e carnes fumadas

Uma forma de transmissão da toxoplasmose é através da ingestão de frutas e legumes que usualmente se comem crus, como a alface ou os morangos. Por isso, é aconselhável que as frutas e os legumes que consumir sem serem cozinhados sejam muito bem lavados. Comer esses alimentos fora de casa pode representar um risco acrescido porque não sabe como são lavados.

O consumo de carne crua e malpassada deve ser evitado. Também as carnes fumadas como enchidos, salsichas ou fiambre fumado não são aconselháveis para quem não é imune à toxoplasmose.

Alimentos a moderar

Ainda que seja imune à toxoplasmose e possa continuar a consumir alimentos crus, esse não é o único motivo pelo qual pode ter de redobrar cuidados nos seus hábitos alimentares. Há alimentos cujo consumo deve ser moderado na gravidez.

Se é uma pessoa que não dispensa um ou dois cafés por dia, pode continuar a fazê-lo. Mas o consumo de café também deve ser moderado. Já no caso dos refrigerantes o problema pode estar no açúcar que essas bebidas têm e os seus conservantes.

Pode substituir os refrigerantes por sumos naturais, pois têm mais vitaminais e minerais.

Leia ainda: Parentalidade: Governo reforça apoios à natalidade em 2020

Peixes: atum fresco

O atum em lata, mas especialmente o atum fresco, deve ser consumido em doses moderadas. Embora tenha excelentes propriedades, tem uma concentração elevada de mercúrio e metais, o que pode ser prejudicial. Como alternativas, tem peixes brancos e o salmão muito rico em ómega-3.

Ostras, sushi e marisco

Não despensa comida oriental ou marisco? Também deve ter alguns cuidados. O sushi é cru e, quer este quer o marisco são muito perecíveis e sensíveis à temperatura. Por isso, deterioram-se com mais facilidade que outro tipo de alimentos. Consequentemente existem mais probabilidades de poder ter uma intoxicação alimentar.

O que deve reforçar?

Optar por refeições saudáveis e ao mesmo tempo saborosas, que reúnam proteínas, verduras e hidratos de carbono, especialmente cozidos ou grelhados vai permitir-lhe satisfazer as suas necessidades nutricionais e sentir-se bem.

A carne, o peixe e os ovos podem fazer parte das refeições saudáveis de uma grávida. Na gestação, deve também olhar para os níveis de ferro e de cálcio. Assim, procure alimentos ricos nestes nutrientes para que os níveis dos mesmos estejam equilibrados ao longo do período de gestação.

Alimentos ricos em ácido fólico e ómega-3

O ácido fólico é importante para prevenir más formações neuronais e o ómega-3 ajuda no desenvolvimento cognitivo do bebé. O feijão, o grão, brócolos e avelãs são alguns alimentos com estes nutrientes presentes.

Beber água

Manter bons níveis de hidratação é desejável mesmo sem estar grávida para o bom funcionamento do organismo, a eliminação de toxinas e o normal funcionamento dos rins.

Para as grávidas a água é ainda mais importante, uma vez que melhora a circulação sanguínea, estabiliza a pressão arterial e previne infeções urinárias. Além disso, mantém o líquido amniótico em níveis adequados.

Deve assim manter a hidratação diária para o bom funcionamento do organismo.

Estas são algumas sugestões para controlar a sua alimentação durante a gravidez.

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)