Carreira e Negócios

Seguro de desemprego: uma forma de assegurar os seus rendimentos

Mesmo em situação de desemprego, as despesas continuam a bater à porta, como é o caso dos créditos. Há soluções que cobrem estas despesas temporariamente, como os seguros de desemprego.

Adriana Cabrita Adriana Cabrita , 27 Maio 2020

Organizar a sua vida confiante no emprego e estabilidade económica que tem no momento é normal. Acaba por adotar um estilo de vida que se adapte à sua carteira e aproveita para concretizar alguns sonhos - tais como comprar uma casa ou um carro - recorrendo a créditos bancários.

Em muitas situações calcula a sua taxa e esforço e vê que é possível aguentar mais uma despesa e que está tudo controlado... Mas será que está mesmo? 

Existem muitos fatores exteriores que não estão no seu controlo, que podem acabar por colocar tudo em cheque. Exemplo de disso é a pandemia do novo coronavírus que assolou o país e o mundo.

De um momento para o outro, aquele emprego que parecia tão estável e seguro deixa de existir, dando lugar a uma situação de desemprego. Contudo, as despesas continuam a existir e as mensalidades com o crédito habitação ou pessoal, por exemplo, continuam a ter que ser pagas.

Leia ainda: Poupar em tempos de covid-19: O que ganho em transferir o meu crédito habitação?

Mulher com máscara e caixa com os pertences do escritório

Por isso, nada como contratar um seguro para proteger-se na eventualidade de ficar desempregado.  

Leia ainda: Subsídio de desemprego durante a pandemia: saiba o que mudou

O que é o seguro de desemprego? 

O seguro de desemprego é um serviço que tem como objetivo garantir o seu rendimento numa situação de desemprego involuntário.

Tal como em qualquer outro seguro, este também requer o pagamento de uma mensalidade, que vai variar consoante as coberturas contratadas. Por exemplo, em alguns casos pode estar apenas coberto em caso de desemprego, mas, noutros casos, pode adicionar uma cobertura para também estar assegurado em caso de invalidez.

Leia ainda: Os meus rendimentos não foram muito afetados, vale a pena pedir a moratória?

Que tipos de seguros de desemprego existem? 

Na verdade, a oferta é variada. São muitas as instituições bancárias e seguradoras que têm este tipo de oferta para os seus clientes, variando as condições em cada uma delas, mas sendo comum em todas o facto de que se, de repente, ficar desempregado, não ter que se preocupar com o pagamento das suas contas.  

Quando contrata um seguro de desemprego pode subscrevê-lo com uma cobertura independente, isto é, com um valor fixo, ou com uma cobertura no valor de um determinado encargo.  

No caso do seguro de desemprego com a cobertura independente, este garante apenas a mesma prestação todos os meses, independentemente de quanto era o seu salário ou quais são os seus encargos.  

Se optar pelo seguro de desemprego com a cobertura de um determinado encargo, este, tal como o nome indica, no caso de ficar sem emprego, vai garantir o pagamento dessa mesma despesa. Por exemplo, imagine que escolhe a prestação mensal do crédito habitação, este seguro vai garantir que esta vai ser paga todos os meses.  Mas se quiser garantir o pagamento do seu empréstimo confirme, antes de subscrever um novo seguro, se o seguro que contratou para o crédito habitação não inclui esta proteção.

Em ambos os casos, a prestação mensal coberta não vai ultrapassar o valor pré-determinado. 

O seguro de desemprego é obrigatório nos créditos? 

Embora seja aconselhado por muitos, principalmente para alturas como esta que estamos a viver, o seguro de desemprego não é obrigatório. Este é um tipo seguro oferecido pelas seguradoras e pelos bancos, que pode estar associado a outros produtos, como é o caso do crédito habitação, e que pode ser subscrito sozinho ou pode ser uma cobertura adicional de um outro seguro, como o seguro de vida, por exemplo.  

Este seguro representa uma mais-valia para a entidade credora, por isso é normal que o recomendem, uma vez que vai assegurar que o crédito seja pago no caso de desemprego. Ainda assim, o perfil do cliente é sempre avaliado e, se se tratar de um perfil de risco, com ou sem seguro de desemprego, pode ver o seu crédito ser recusado.  

Leia ainda: Dicas para que o seu crédito habitação seja aprovado

Posso contratar esse seguro se já estiver em situação de desemprego? 

Não, tal como não pode solicitar um novo crédito se se encontrar em situação de incumprimento e com o nome no Banco de Portugal, o mesmo se passa neste caso. Para ser elegível para este seguro terá que, no momento da sua subscrição, estar a trabalhar por conta própria ou por conta de outrem. 

O que devo analisar antes de contratar este seguro?  

Na verdade, seja este ou qualquer outro seguro, existem sempre questões que devem ser bem analisadas para que não seja apanhado de surpresa. Neste caso, aconselhamos a que antes de contratar analise: 

As coberturas 

Dentro do produto que é o seguro de desemprego existem várias coberturas que, tal como o nome indica, este pode ou não cobrir. Veja se o que lhe estão a oferecer é o melhor para o seu caso e para a sua carteira. Aqui pode complementar o seu seguro adicionando coberturas ou até mesmo retirar aquelas que não considera necessárias e que encarecem o seu seguro. Uma vez que, por norma, no seguro de desemprego, existe também a opção de o complementar com uma cobertura de invalidez total temporária, por exemplo.  

Os períodos de carência 

É transversal a (quase) todos os seguros terem presentes na sua apólice uma alínea que se refere ao período de carência. No entanto, este período não é uniforme entre seguros, sendo que, mesmo dentro do mesmo seguro podem existir diferentes períodos de carência para cada tipo da cobertura.   

Por isso, deve-se informar junto de quem vai contratar o seguro, uma vez que o período de carência pode variar de entidade para entidade.  

As exclusões 

Este é um fator muito importante que deve analisar na apólice do seguro, uma vez que as coberturas associadas ao seguro de desemprego não estão isentas de exclusões. Para além das exclusões particulares que a seguradora poderá vir a aplicar no seu caso, tem que ter ainda em atenção às exclusões gerais. 

Os prazos 

No caso do seguro de desemprego existe um prazo máximo no qual eles pagam a mensalidade pré-acordada em caso de desemprego involuntário, e esse prazo é de 6 meses.  

Como posso escolher o melhor seguro? 

Como em qualquer situação, o ponto de partida consiste em perceber quais as suas necessidades. Isto porque, muitas vezes, acabamos por contratar mais do que que aquilo que provavelmente necessitamos. Assim, deverá saber à partida: 

Tal como refere o último ponto, é necessário que verifique ainda o seu orçamento familiar para que possa perceber se pode assumir mais esta despesa mensal.  

Doutor Finanças

Se precisar de ajuda para escolher o melhor seguro para si, poderá contar com a ajuda do Doutor Finanças, um serviço totalmente gratuito, que não só vai procurar a melhor cotação para as suas necessidades como, também, o ajudará em todo o processo antes, durante e após a contratação. A mais-valia desta opção é ter alguém que conhece o mercado das seguradoras e consegue identificar em todas elas qual será a melhor proposta consoante as características do cliente e os diferentes seguros que pretende. 

Leia ainda: Trabalhadores independentes: Conheça preços e coberturas do seguro de acidentes de trabalho

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #desempregados,
  • #seguro ao crédito,
  • #seguro de desemprego,
  • #seguro rendimentos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)