Neste momento está a pensar que o artigo vai passar por dizer que deve aumentar o crédito associado à sua habitação, porque terá uma taxa de juro mais reduzida do que se utilizar o cartão de crédito ou fazer um crédito pessoal. Contudo, essa não é a dica que temos para si. Saiba como pode ter os seus dias de descanso de sonho pagas pelo seu banco. 

Efectivamente, essa poderia ser uma solução, se pretender aumentar o seu endividamento. É uma decisão que pode tomar, mas que desaconselhamos por completo. Ir de férias, serve para relaxar, para recarregar baterias. Com isto queremos dizer, que férias não devem estar relacionadas com aumento do endividamento.  

Em vez de estar a aumentar o endividamento para gozar uns dias de descanso, já pensou em utilizar os bancos para lhe pagarem as férias?  

Pode parecer uma pergunta estranha, mas a verdade é que a partir de hoje e para o resto da sua vida, pode passar a ter férias pagas pelo seu banco. Para isso, basta que reduza a taxa de juro associada ao seu crédito habitação (falamos em taxa de juro e não de spread ou TEAG, porque cada caso é um caso, mas não nos podemos esquecer que o spread é para a vida e  a TEAG é uma taxa calculada naquele momento, pode mudar a qualquer instante).

O caso da Ana

A Ana tinha um crédito habitação de 325.000€ a 35 anos e com uma taxa de 1.85%. Por mês pagava 1.051€ de prestação ao banco. Através do Doutor Finanças, a Ana conseguir negociar a transferência do seu crédito para outro banco, onde ficou com uma taxa de 1.0%.
De 1.051€, a Ana passou a pagar 917€ por mês, resultando numa poupança mensal de 134€. Anualmente, a Ana irá agora pagar menos 1.608€, o que lhe daria uma folga para umas férias de sonho.

“Mas como posso reduzir a taxa de juro associado ao meu crédito habitação?”

Agora vem a parte mais aborrecida, mas que vai certamente compensar! Terá de ligar para o seu banco, enviar e-mails e possivelmente enviar cartas registadas a pedir que lhe reduza o valor que paga de juros. Do outro lado, terá uma pessoa que todos os dias é pressionada para cobrar mais juros aos clientes, porque realisticamente é o negócio deles.

A solução é simples a aplicação pode não ser, vai depender muito do tempo que têm disponível e da sua capacidade de negociação. Eles vão sempre arranjar uma desculpa para não lhe reduzir a taxa, ou pior, vão reduzir-lhe a taxa mas vão pedir para incluir outras garantias como fiadores. É uma situação em que a poupança pode demorar um pouco, mas como pode ver no exemplo acima vai compensar!

Os consultores do Doutor Finanças poderão fazer a negociação por si e aconselha-lo da melhor forma, seja na relação como banco que já tem ou na procura de um banco que lhe conceda uma melhor taxa de juro para o seu crédito habitação. Desta forma, poderemos ajudá-lo a poupar anualmente centenas de euros, para investir dos seus merecidos dias de descanso, pagos pelo banco.

Se não quer gastar toda a poupança obtida e ir de férias na mesma, sugerimos que leia o nosso artigo “5 dicas para planear umas férias low-cost”.