Crédito

Finanças Pessoais – Crédito

João Barbosa João Barbosa , 29 Setembro 2015
Nesta série de artigos apresentámos-lhe três pilares das finanças pessoais. Falámos da organização das finanças pessoais, da poupança e do investimento. Neste artigo vamos falar-lhe do quarto pilar das finanças pessoais: o crédito.

Porque ficou o crédito para o fim?

Optámos por deixar o crédito para o final exatamente porque acreditamos que deverá ser apenas considerado no último cenário. Como sabe, o Dr. Finanças dedica a sua vida a ajudar as pessoas a reduzir os seus custos com créditos. Sabemos, por experiência própria, que o crédito é uma das grandes prisões do ser-humano. E sabemos, também, que o crédito surge muitas vezes por pequenos descuidos que poderiam facilmente ser evitados.O crédito é uma ferramenta financeira que quando bem utilizada pode trazer-nos muitas vantagens. Podemos poupar dinheiro ou mesmo ganhar dinheiro com investimentos que tenham no crédito um impulso. Mas o que acontece se utilizarmos mas o dinheiro que nos emprestam?

O que é o crédito

12696032183_0d9622ae98_bSe a poupança é deixar de consumir hoje para consumir no futuro, o crédito é antecipar o consumo do futuro para o presente. Se na poupança recebemos juros, no crédito temos de pagar juros. São dois conceitos opostos mas que não vivem um sem o outro. Ou seja, para podermos receber dinheiro emprestado alguém teve de poupar o seu dinheiro. Não é um jogo de soma nula pois em todo o processo existem intermediários financeiros que se fazem pagar bem pelo seu trabalho e pelo risco que correm.

Quando devo pedir dinheiro emprestado?

Para evitar pedir um crédito deveremos ter um fundo de emergência ou uma poupança (para conseguir poupar, sugerimos-lhe 5 dicas de poupança do Dr. Finanças). Se hoje precisamos de dinheiro e a única alternativa é o crédito, deveremos perguntar-nos:
  1. Preciso mesmo de fazer esta despesa?
  2. Não posso esperar uns meses e, despois de poupar, fazer a compra?
  3. Não encontro alternativa de empréstimo junto de familiares?
Se depois de responder a estas perguntas conclui que não pode passar sem aquele crédito, sugerimos que tenha em atenção algumas cautelas:
  • O crédito rápido costuma ter associadas elevadas taxas de juro;
  • O crédito pela internet pode estar associado a situações de burla. Assim, procure informações sobre a consultora financeira e nunca pague comissões de estudo de processo;
  • O crédito particular é perigoso e nunca deve ser considerado como alternativa.

Procure diversas alternativas

No seu processo de crédito deverá procurar diversas alternativas e negociar as taxas de juro com os diversos credores. Infelizmente muitas pessoas não fazem esta negociação ou por falta de tempo ou por falta de conhecimentos. Se é uma destas pessoas sugerimos que utilize o nosso simulador de crédito. O Dr. Finanças faz toda esta pesquisa por si e não lhe cobra qualquer custo de dossier ou de análise. Bastará apenas enviar-nos o seu mapa de responsabilidades de crédito e o seu último IRS para ter um diagnóstico em 48 horas.
Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #ajuda financeira,
  • #crédito,
  • #crédito rápido,
  • #finanças pessoais,
  • #orçamento familiar,
  • #orçamento mensal

Deixar uma resposta