Finanças pessoais

Recorreu às poupanças durante a pandemia? 7 estratégias para recuperar

A pandemia trouxe dificuldades aos portugueses, fazendo com que tivessem de recorrer às suas poupanças. Saiba como recuperá-las.

Finanças pessoais

Recorreu às poupanças durante a pandemia? 7 estratégias para recuperar

A pandemia trouxe dificuldades aos portugueses, fazendo com que tivessem de recorrer às suas poupanças. Saiba como recuperá-las.

Nos últimos dois anos, muitas famílias portuguesas tiveram de recorrer às suas poupanças para fazer face às dificuldades provocadas pela pandemia da Covid-19. Isto fez com que o seu "pé de meia" tenha reduzido consideravelmente, tornando-se mais difícil enfrentar novos desafios.

No entanto, existem várias formas de recuperar as suas poupanças. Assim, reunimos algumas estratégias para colocar novamente as suas finanças em ordem.

Procure um trabalho extra para aumentar as suas poupanças

Uma das formas mais rápidas de recuperar as suas poupanças é através de um trabalho extra. Embora existam outras alternativas, ter mais um rendimento além do seu emprego normal pode dar-lhe mais capacidade de poupança e sem grandes mudanças no seu estilo de vida.

Atualmente, há cerca de 220 mil portugueses com dois empregos, sendo que existem diversas razões para tal: dificuldade em pagarem as suas contas, ganharem mais experiência profissional ou para aumentarem as suas poupanças. Por vezes, a diferença deste rendimento extra pode ser o suficiente para pôr as contas em ordem e recuperar as poupanças que teve de utilizar num período difícil. Por isso, muitas famílias acabam por recorrer a esta estratégia para estabilizarem a sua situação financeira.

Leia ainda: 7 mudanças no estilo de vida para aumentar as suas poupanças

Defina um orçamento e controle as suas despesas

Ter uma ideia clara do quanto recebe e gasta por mês é um dos primeiros passos para conseguir poupar e fazer uma melhor gestão do seu dinheiro. Assim, comece por elaborar uma lista com todas as suas despesas mensais. Depois, deve associar cada despesa a uma categoria, de forma a perceber para onde o seu dinheiro está a ir. Nesta lista de categorias incluem-se a alimentação, entretenimento, educação, créditos, transportes, entre outras.

A seguir, deve identificar despesas, para si, desnecessárias. Compras por impulso, serviços que já não utiliza, subscrições que já nem se lembra, são algumas das despesas que podem estar a comprometer a sua estabilidade financeira. Dependendo do quão recorrentes são estas despesas, podemos estar a falar de centenas de euros todos os meses.

Por exemplo, se tiver o hábito de jantar três vezes por semana em restaurantes, sendo a despesa na casa dos 10€ por pessoa, significa que durante o mês gastar cerca de 240€. No final do ano são quase 3000€ que saem da sua conta, unicamente para refeições fora. Para algumas famílias, este valor pode significar, por exemplo, o valor do seu fundo de emergência. .

Leia ainda: Não gastar dinheiro? “Nova moda” de poupar mostra como é possível

Elimine as dívidas da sua vida financeira

A par da renda ou do crédito à habitação, muitas vezes as dívidas consomem uma grande parte do orçamento familiar. Portanto, a única forma de inverter esta situação é estabelecer como a prioridade a amortização destas dívidas. Quanto mais tempo demorar, maior a probabilidade destas dívidas se agravarem. Especialmente, se tiver algum imprevisto e se for obrigado a recorrer novamente às suas poupanças.

Existem essencialmente duas formas de amortizar as suas dívidas. Pode começar por amortizar as dívidas com a maior taxa de juro, mas se a dívida for muito elevada, vai demorar algum tempo a fazê-lo. Se não tiver a disciplina necessária, então não é a estratégia correta para si. Ao invés disso, pode começar por amortizar as dívidas mais pequenas. Assim, consegue ver resultados mais rapidamente, ainda que financeiramente não seja a melhor alternativa, pois pode continuar a pagar juros mais elevados.

Leia ainda: 7 sinais que revelam a sua fragilidade financeira

Homem consulta informação no sue telemóvel e faz contas numa máquina de calcular, avaliando o retorno de investimento com base na distribuição de dividendos

Transfira dinheiro automaticamente para as suas poupanças

Começar por transferir automaticamente um determinado valor todos os meses para a sua conta poupança é uma das estratégias para recuperar as suas poupanças. Comece por poupar uma certa quantia, ainda que seja baixa. Depois, tente adaptar o seu estilo de vida ao dinheiro que lhe sobra. Esta é uma boa forma de manter a disciplina e maximizar as suas poupanças.

Esta transferência automática é especialmente importante se não tiver um fundo de emergência. Em situações complicadas, como a pandemia, ter esse fundo de maneio pode fazer toda a diferença. Por isso, contribuir mensalmente para o seu fundo de emergência até este cobrir, pelo menos, 6 meses de despesas, deve ser um dos seus objetivos.

Leia ainda: Devo poupar ou gastar o meu dinheiro extra? Aspetos a considerar

Aproveite o reembolso de IRS para maximizar as suas poupanças

Dependendo da sua situação, o reembolso de IRS pode ser uma grande ajuda para colocar as suas finanças em ordem. De acordo com os dados fornecidos pela Autoridade Tributária (AT), o valor médio do reembolso de IRS ronda os 901 euros. Para muitas famílias, este montante já cobre o pagamento de seguros, material escolar para o próximo ano letivo ou outra despesas importantes. Isto significa que se utilizar o dinheiro do reembolso ao invés do seu salário para cobrir estes custos, tem imediatamente uma poupança de 901 euros.

Este montante é para muitas pessoas é um salário adicional, tendo em conta que quase 25% dos portugueses aufere o salário mínimo nacional, situado nos 705€. Além de poder poupar o reembolso de IRS, também tem sempre a opção de reutilizar esse dinheiro para investir na sua formação ou comprar um equipamento que melhore as suas condições de trabalho.

Leia ainda: Poupança para jovens: 3 caminhos para começar a poupar

Aposte na sua formação para melhorar os seus rendimentos

Ao contrário da poupança, em que existe sempre um limite, pode sempre aumentar os seus rendimentos. Uma forma de aumentá-los é apostando na sua formação. Quanto mais competências tiver, maior a probabilidade de encontrar um emprego que lhe ofereça melhores condições. No entanto, tenha sempre em consideração o que o mercado está à procura. De nada lhe vai valer se gastar centenas ou milhares de euros em formações que não sejam relevantes para as necessidades do mercado.

Por essa razão, deve procurar aprender sobre áreas em que possa evoluir profissionalmente e, ao mesmo tempo, fazer algo que gosta. Caso contrário, será difícil manter a sua motivação e vontade de abraçar novos desafios. Depois de encontrar um bom emprego, não deve deixar de apostar na sua formação. Melhorar as suas competências não têm efeitos positivos unicamente no seu salário.

Além das vantagens monetárias, a formação ajuda-o a ser um melhor profissional, aumentar a sua eficiência e, sobretudo, estar mais preparado para abraçar desafios mais exigentes.

Leia ainda: Ter uma poupança além do fundo de emergência, faz sentido?

Reanalise os seus objetivos financeiros

Devido às mudanças que a pandemia trouxe, os seus objetivos financeiros podem não ser exatamente os mesmos do período pré-pandémico. A adoção significativa do teletrabalho causou alguma disrupção no mercado de trabalho, o que para muitas pessoas foi vantajoso. Outras, acabaram por perder o seu emprego, tendo que se adaptar e procurar opções noutras áreas. Portanto, dependendo da situação em que se encontra, os seus objetivos podem ser completamente diferentes. Se ainda não refletiu sobre estes pontos, deve começar por aí.

Por exemplo, suponha que antes da pandemia estava a considerar poupar para a compra de um automóvel, visto que o seu emprego era longe de casa. No entanto, acabou por receber um aumento salarial após mudar de emprego e, além disso, teve a possibilidade de ficar em teletrabalho. Neste caso, pode já não se justificar a compra de um automóvel. Logo, pode usar essa poupança para outro fim ou continuar a contribuir para esse pé de meia.

Leia ainda: Comece o ano a poupar: Como ajustar a poupança a cada fase da vida

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.