Utilidades

Homebanking: poupe tempo e dinheiro

Telma Gonçalves Telma Gonçalves , 21 Março 2019

Começa a ficar cansado do tempo perdido em filas de espera quando vai ao banco para fazer tarefas rotineiras? E se pudesse ter o seu banco em casa? Saiba que agora já pode. O homebanking pode ser o seu melhor aliado para poupar tempo e mesmo dinheiro com operações bancárias.

homebanking na era da digitalização 

A Internet, os computadores, os telemóveis, as tecnologias de informação fazem parte da nossa vida. Os bancos e a as instituições financeiras já compreenderam isso e como que as novas tecnologias os podem ajudar a aumentar a eficiência, reduzir custos de manutenção e oferecer condições mais vantajosas aos seus clientes seja nas comissões, no crédito ou na poupança. É por isso que fazer transações online sai mais barato. Existem mesmo bancos que não têm presença física, apenas virtual, estando acessíveis 24h por dia.

Está a perguntar-se o que pode fazer através do homebanking?
(Quase) todas as operações que faz num balcão ou numa caixa multibanco: consultar extratos, definir débitos diretos, pagar compras, fazer transferências, transacionar valores mobiliários como ações, investigações, adquirir unidades de participação em fundos de investimento, entre outras funcionalidades.

Leia ainda: 6 vantagens em utilizar um banco 100% online (N26)

Homebanking

Afinal o que é o homebanking? 

Sabe quando precisa mesmo de fazer aquela transferência bancária, mas não quer sair de casa para enfrentar filas de espera ou está em viagem e não pode ir à sua agência habitual? É aí mesmo que está o homebanking, uma webpage disponibilizada pelo seu banco, que lhe dá a possibilidade de aceder a uma panóplia de serviços bancários por meio de uma ligação de Internet através de um telemóvel, computador ou mesmo de um relógio, se tiver no pulso um smartwatch. Por exemplo, permite fazer uma transferência bancária em poucos minutos.

O seu principal e grande inconveniente continua a ser a segurança que constitui um entreve à confiança e utilização pelos consumidores.   

Que operações posso fazer? 

Através do homebanking pode, entre um e outro clique:  

  • Consultar extratos bancários sempre que quiser;
  • Fazer transferências bancárias para Portugal e para o estrangeiro;
  • Dar ordens de compra e venda de ações e subscrever unidades de participação de fundos de investimento;
  • Subscrever opções de poupança como depósitos a prazo;
  • Consultar os movimentos do cartão de crédito e gerir pagamentos;
  • Conhecer todo o seu património em todo o momento e o saldo das suas contas, cartões, evolução da cotação das unidades de participação dos fundos, ações, obrigações ou de outros valores mobiliários que tiver em carteira, diariamente;
  • Efetuar pagamentos de serviços, pagamentos ao estado e setor público;
  • Pedir cheques.

Via homebanking estes serviços ou são gratuitos ou têm um custo muito inferior ao que pagaria se se dirigisse a um balcão, já para não falar na possibilidade de aceder «fora de horas» e sem estar restringido ao seu horário de funcionamento.

Por exemplo, no caso das transferências bancárias, a forma mais prática, rápida e fácil de realizar transferências bancárias é através do homebanking. Em alguns casos é lhe cobrado uma taxa e imposto de selo pela transferência. Tudo depende do seu banco e do banco para onde estiver a transferir o dinheiro. Para transferências rotineiras tem também a vida facilitada pois o homebanking permite-lhe gravar esses dados e mais, não correrá o risco de se esquecer de fazer transferências, uma vez que permite-lhe agendar as transferências para o dia e hora que quiser e até estabelecer uma periodicidade. Por exemplo, se tem que pagar todos os meses a explicação de matemática do seu filho pode ativar essa funcionalidade para uma periodicidade mensal, definido o respetivo dia. E o usufruto destas funcionalidades não têm qualquer custo associado.

Se faz regularmente compras online, o homebanking pode ser o meu melhor aliado porque lhe permite consultar a todo o momento aceder à sua conta bancária e consultar os registos das operações efetuadas e detetar atempadamente alguma incorreção e agir imediatamente comunicando-a ao seu banco, por exemplo, um movimento bancário que não autorizou.

Leia ainda: 5 regras essenciais para proteger os seus cartões em compras online

Quais são as vantagens? 

1.Poupa tempo e dinheiro e ganha em conforto e eficiência 

A principal vantagem do homebanking é a poupança de tempo e dinheiro, além do conforto de poder ir ao banco onde e quando quiser.  

2. Não perde a oportunidade do contacto personalizado

Se prefere um contacto mais personalizado, saiba que não é por estar à distância e aceder aos serviços virtualmente que perde a oportunidade de um contacto mais próximo e a possibilidade de um tratamento/atendimento mais personalizado como quando vai à sua agência em que está o seu gestor de conta. Com o homebanking pode, igualmente, manter esse contacto com o seu gestor de conta através de chat ou correio eletrónico.

3. Pode aceder às suas contas e fazer movimentos onde quer que esteja

Outra vantagem que não pode esquecer é a possibilidade de aceder às suas contas e movimentá-las quando está num país estrangeiro onde o seu banco não tem representação. Por exemplo, pode rapidamente fazer um pagamento que se esqueceu ou transferir a mesada para a conta do seu filho. 

Para os bancos a desmaterialização também tem vantagens: proporciona poupança de recursos, terem menos agências ou trabalharem exclusivamente online. Graças a essa poupança de recursos, estão em condições de oferecer taxas de juro mais competitivas ou disponibilizar serviços mais baratos ou mesmo sem custos, como cartões de crédito ou de débito sem anuidade e cativar mais clientes.  

Tenha em atenção ao phishing 

Se estiver a fazer operações de homebanking, tenha medidas de segurança para proteger os seus dados. Os ataques informáticos e as tentativas de phishing e de outros tipos de fraude podem estar a facilitar o acesso indevido às suas contas.  

As páginas de homebanking sejam consideradas páginas seguras e a informação que contêm esteja encriptada, contudo que existe a possibilidade de hackers conseguirem aceder a computadores pessoais vulneráveis, intercetarem e roubarem códigos de acesso. O problema da segurança exige uma atenção permanente por parte das instituições financeiras pelos danos financeiros e reputacionais que podem causar os incidentes por falta de segurança.

Uma das formas de os bancos aumentarem a segurança na página de homebanking é a solicitação sucessiva de autenticações para determinadas operações ou montantes. É por isso que há operações, como transferências bancárias, que exigem segurança acrescida para evitar fraudes caso a proteção fornecida pela senha de acesso falhe.

Assim, ao serem sucessivamente solicitados códigos de autenticação como os códigos de cartões-matriz que resultam em combinações de números que apenas podem ser utilizados uma vez e, em determinada operação, os códigos recebidos por telemóvel que tem que introduzir para poder avançar com a operação, ou ainda a utilização de certificados digitais que servem para assinar e também autenticar determinadas operações financeiras efetuadas, é mais difícil existirem tentativas de fraude.

Não descure as regras de segurança 

1.Conheça o formato de autenticação que o seu banco exige 

Se os serviços de homebenking estão mais ou menos padronizados e são semelhantes entre bancos, é importante conhecer e não descurar o que os diferencia: a forma de acesso – que tipo de informação solicitam? Como tem acesso aos códigos de acesso? 

2. Digite o endereço completo da sua instituição bancária

Embora dê mais trabalho também é mais seguro: tenha o cuidado de digitar o endereço completo da sua instituição bancária, em vez de aceder ao banco online através de um link previamente definido.

3. Evite o acesso através de redes públicas e de equipamentos partilhados

Utilizar o seu computador pessoal e uma rede que não seja pública também é recomendável para não ter surpresas em matéria de seguranças evite também o uso de computadores e tablets públicos ou partilhados. 

4. Considere ter sempre o antivírus atualizado

Não só é importante acautelar a sua segurança informática para efeitos do acesso ao banco, mas também num sentido global, por isso, atualize sempre os sistemas antivírus anti-spyware e ative firewalls

5. Utilize senhas de acesso seguras

Para maximizar a segurança dos seus acessos, não deve utilizar senhas de acesso óbvias (por exemplo, ABCDEF), associadas a informação pessoal como a data de aniversário ou o número do Cartão de Cidadão.  

Deve também alterá-las com frequência e escolher um local e uma forma segura de as guardar, sendo de evitar locais como o computador pessoal, papel ou mesmo mensagens de correio eletrónico ou de telemóvel.  

Optar por uma senha de acesso diferente da que utiliza em outros serviços ou ligações que exigem menos segurança como é o caso das redes sociais. Esta é outra forma de manter o acesso ao seu homebanking seguro.

6. Tenha sempre o cuidado de «terminar a sessão» de homebanking

No final de cada sessão deve terminar a sessão e sair da página da entidade bancária fazendo mesmo «terminar sessão» e não apenas clicar na cruz para fechar a janela do seu homebanking.    

7. Ignore os mails que lhe parecem suspeitos e pense duas vezes em abrir links que estão em mails enviados por entidades bancárias, mesmo que o remetente seja o seu banco

Deve ignorar também os e-mails que lhe solicitem informações sobre a sua conta bancária, mesmo os que pareçam ser enviados pelo seu banco, podem ser mails fraudulentos, ou seja, tentativa de phishing e, se os abrir, não clique em nenhum link ou descarregue anexos.  

Se descobrir que está na presença de fraude, entre em contacto com o seu banco e não deixe de comunicar o sucedido às autoridades policiais. 

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #homebaking

Deixar uma resposta

3 comentários em “Homebanking: poupe tempo e dinheiro