Vida e família

Como será o novo ano letivo?

O novo ano letivo está aí à porta. Com todas as alterações impostas pela pandemia de Covid-19, conheça alguns pontos a reter para o ano que agora arranca.

Joana Cidades Joana Cidades , 7 Setembro 2020

O regresso às aulas está mesmo aí e é inevitável refletir sobre o que será o novo ano letivo. Com todas as alterações impostas pela pandemia de Covid-19 é natural que surjam dúvidas sobre o que aí vem. 

O ano letivo anterior sofreu um grande revés com a pandemia de Coronavírus. A quarentena imposta obrigou à paragem e reformulação da metodologia de ensino; depois de interromperem as aulas presenciais, os alunos estrearam as aulas virtuais, a telescola regressou para apoiar o ensino e só para exames e sua preparação houve alunos a deslocar-se fisicamente para salas de aula.

Como será, então, o novo ano letivo? Depois das aulas online e adaptação, o que se segue? Qual a modalidade adotada para 2020/2021? Como está desenhado o calendário escolar? Quais os anos a realizar provas? É possível chumbar por faltas? Vamos responder aqui a estas e outras dúvidas.

Leia ainda: Reduzir encargos para um regresso às aulas mais tranquilo

Modalidade do ensino 

O início do ano letivo, em meados de setembro, instaura novamente as aulas exclusivamente presenciais, respeitando todas as medidas de segurança, distanciamento social e regras de higienização. Contudo, o Ministério da Educação previu ainda um regime misto caso a situação de pandemia volte a agravar, onde se complementam aulas presenciais com aulas virtuais síncronas. 

Em último caso, o plano de contingência anunciado retoma as aulas de forma totalmente remota. As exceções neste regime são o ensino pré-escolar, primeiro e segundo ciclo, assim como casos pontuais como inadaptação, crianças com necessidades especiais e alunos em risco sinalizados. 

Calendário Escolar

O despacho do Governo emitido diz-nos que o ano letivo 2020/2021 se inicia entre 14 e 17 de setembro.

Neste 1.º período, as primeiras 5 semanas são exclusivamente dedicadas a recordar matérias do ano anterior, recuperando assim aprendizagens que possam ter sido afetadas pelas interrupções impostas pelo Covid-19.

Após as férias de Natal, que começam a 18 de dezembro, o 2. período estende-se de 4 de janeiro de 2021 a 24 de março, culminando nas férias da Páscoa, que este ano são mais curtas que o habitual (de 25 de março a 5 de abril). Entre 15 e 17 de fevereiro há uma breve pausa devido ao Carnaval.

O 3.º período inicia-se a 6 de abril e termina em datas diferentes consoante o ano escolar. Se o pré-escolar e o ensino básico apenas terminam a 30 de junho, o 9.º, 11.º e 12.º anos fecham o ano logo a 9 de junho devido às provas e exames. Já o 7.º, 8.º e 10.º anos concluem as atividades a 15 de junho.

Leia ainda: Quem tem direito a refeições gratuitas nas escolas?

Elementos de avaliação

À semelhança de anos letivos anteriores e não impactados pelo surto de Covid-19, os elementos de avaliação para aferir a aprovação ou reprovação dos alunos mantêm-se inalterados. Uma vez que as aulas retomam o registo presencial e obrigatório, a presença e assiduidade são essenciais na nota final. Faltar a aulas traz prejuízo e pode inclusivamente chumbar-se por faltas. Além destes elementos, contam igualmente para a passagem de ano os resultados das avaliações e outras provas.

rapariga a estudar na sua carteira

Exames, provas e notas finais

Como se verifica no calendário referido acima, percebemos que para os alunos que tenham de realizar exames e provas de aferição para a conclusão do ano há um encurtar do período letivo. Além disso, já há datas marcadas para as provas de aferição no Ensino Básico (entre 3 de maio e 18 de junho), provas finais de ciclo para o 9.º ano (de 17 de junho a 22 de julho) e também exames finais do Ensino Secundário (entre 17 e 28 de junho).

Tudo indica que, quanto às notas finais de ano, será para manter a regra aplicada em anos letivos regulares. Ou seja, a média engloba as notas dos vários períodos e exames que possam ocorrer, assim como outros elementos de avaliação (participação e assiduidade).

Manuais escolares

O Governo alargou o acesso a manuais escolares gratuitos ao ensino secundário. A iniciativa abrangia apenas alunos do 1.º ao 9.º, mas desde 2019 passou a englobar todos os anos do ensino obrigatório - público e colégios com contrato de associação. Obter os manuais requer alguns passos. Saiba como ter acesso aos manuais escolares gratuitos.

Dicas

Com todas as alterações nas rotinas escolares durante a quarentena e novas mudanças neste ano letivo, nunca é demais recordar algumas práticas e conselhos a ter em mente para que tudo corra sem ansiedade para as crianças e jovens, assim como para a família que reorganiza as suas rotinas. É importante ter em conta que o fator surpresa afeta todos neste novo ano letivo e devem, em conjunto, trabalhar para ultrapassar os obstáculos.

  • Tenha sempre à mão um calendário com todas as datas dos testes e exames
  • Contacte o diretor de turma caso surjam dúvidas específicas
  • Prepare e verifique no dia anterior livros, materiais, máscara e álcool-gel com atenção para que nada falte na escola
  • Converse regularmente com as crianças e jovens para despistar potenciais problemas na aprendizagem, aproveitamento escolar ou ambiente na escola.
Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)