Chegámos à época do ano em que, mais do que nos restantes meses do ano, se fala em dar ao próximo e praticar o bem. Dar roupas e brinquedos usados, comprar bens alimentares ou mesmo doar sangue, são algumas das ações incentivadas nesta quadra festiva. Porém, esta última – dar sangue – traz com ela mais benefícios do que os que são óbvios: salvar vidas. Descubra quais são neste artigo.

Vejamos alguns factos sobre a dádiva de sangue, em números.

30 minutos

É o total de tempo “perdido” numa dádiva de sangue. Trinta minutos não farão grande diferença no seu dia, mas poderão fazer uma diferença – literalmente – de vida ou de morta na vida de alguém.

3 ou 4 vezes por ano

Sendo que os intervalos entre doações são de 60 dias para homens e 90 dias para mulheres, se desejar pode dar sangue 4 vezes por ano (se for homem) ou 3 vezes por ano (se for mulher). Uma vez que só gasta 30 minutos de cada vez que vai dar sangue, não gastará mais de duas horas do seu tempo, no total, em todo o ano.

Apenas 450 ml.

É a quantidade máxima de sangue recolhida durante uma dádiva, ou seja, menos de 10% dos 5 a 6 litros que circulam no corpo humano adulto.

Das 8h00h às 19h30h, de terça a sábado

Dentro deste horário pode dar sangue em qualquer um dos Centros de Sangue e da Transplantação de Lisboa, Porto e Coimbra do Instituto Português do Sangue e das Transplantações (IPS). Porém, se lhe for mais conveniente, pode sempre dirigir-se a uma unidade móvel de recolha de sangue. Pode consultar as sessões de colheita realizadas em todo o país no site do IPS, de forma a verificar se alguma se realizará perto de si.

0€ de taxas moderadoras

Um dador de sangue com duas dádivas feitas no último ano ou com mais de 30 dádivas feitas ao longo da vida não paga taxas moderadoras nos serviços de urgência hospitalar. Também estão isentos do pagamento destas taxas na realização de exames nos serviços de saúde públicos ou privados que tenham celebrado acordo com o Serviço Nacional de Saúde (SNS).
O registo das dádivas é feito no Cartão Nacional do Dador de Sangue.

0€ em análises médicas

Um dos grandes benefícios de dar sangue, para além de quando o fazemos estarmos literalmente a salvar vidas, é termos também a possibilidade de termos análises ao nosso sangue sem pagarmos para tal. Assim, periodicamente (sempre que dermos sangue), recebemos uns dias depois uma mensagem a comunicar se os resultados das análises ao nosso sangue foram ou não favoráveis, tornando a dádiva de sangue também numa monitorização frequente da nossa saúde.

Benefícios em dar sangue:

Em resumo, no que toca a dar sangue, existem vários grandes benefícios óbvios, entre os quais os que já mencionámos neste artigo e que destacamos em seguida:

  1. salvar vidas (quem sabe se um dia não irá precisar também?);
  2. melhorar a sua saúde ao ter análises frequentes feitas ao seu sangue;
  3. tem direito ao Seguro de Dador. –> Um dos direitos legais dos dadores de sangue é o direito a um seguro que garante ao dador de sangue o direito a indemnização por danos resultantes da dádiva de sangue ou de acidentes que eventualmente sofra no trajeto de ida e volta do local de colheita, em território nacional;
  4. não pagar taxas moderadoras nos serviços de urgência hospitalar e na realização de exames nos serviços de saúde públicos ou privados que tenham celebrado acordo com o SNS;
  5. não precisa de perder muito tempo para dar sangue;
  6. se só tiver disponibilidade de dar sangue durante o horário de trabalho, pode ausentar-se do seu local de trabalho por esse motivo*.

Decreto – Lei nº. 294/90, que regulamenta o Instituo Português do Sangue (IPS), Artigo 26º.

Se quiser conhecer os restantes direitos dos dadores de sangue, não deixe de os consultar aqui.

E o leitor, já deu sangue? Quais considera serem as maiores vantagens (para além de ajudar o próximo)?

Etiquetas: