Joana Bernardo, bem disposta, com um ar doce e sempre disponível para ajudar e esclarecer as dúvidas dos nossos clientes, diz que a melhor parte de si é a sua família. Fique a saber o que é mais gratificante no seu trabalho na equipa de Crédito Consolidado no Doutor Finanças.

Já aprendi muito desde que estou no Doutor Finanças, aprendi por exemplo, que, com simples 20€, em vez de gastar em bens desnecessários posso poupar e, ao final de um ano, investir em formação ou “gastá-lo” com o meu filho, na compra de livros ou jogos didácticos (no caso de uma criança ainda pequena), dinheiro esse que será bem investido, ao invés de ter de recorrer a cartões de crédito.

Como se descreve? 

Bem-disposta, simples e apaixonada pela família. 

O que faz ou qual é o seu trabalho na equipa do Doutor Finanças?           

Integrada na equipa de Crédito Pessoal e Consolidado, ajudo pessoas a poupar procurando melhores soluções de forma a que as famílias consigam pagar menos e com o mínimo esforço 

Qual é a melhor parte do seu trabalho? 

Ver o encargo mensal de uma família a diminuir e, com isso, ajudar a terem mais liquidez disponível por forma a aproveitarem mais a vida junto das suas famílias. 

Como é trabalhar no Doutor Finanças?  

Trabalhar no Doutor Finanças é como estar em casa! Junto das pessoas que gostamos, num ambiente muito próximo ao familiar. É ver as pessoas a crescerem e ajudá-las a crescer, é divertirmos-nos junto delas, é sentir que não é um emprego mas sim um hobbie. É gratificante!

Põe em prática os ensinamentos do Doutor Finanças na sua própria vida financeira? Qual é a dica/prática financeira da qual não abdica na sua vida pessoal? 

Claro que sim. Aliás, já aprendi muito desde que estou no Dr. Finanças. Aprendi por exemplo que, com simples 20€, em vez de gastar em bens desnecessários posso poupar e, ao final de um ano, investir em formação ou “gastá-lo” com o meu filho, na compra de livros ou jogos didácticos (no caso de uma criança ainda pequena), dinheiro esse que será bem investido, ao invés de ter de recorrer a cartões de crédito. Uma dica financeira, é elaborar um mapa mensal com todos os encargos onde verificamos onde realmente gastamos o nosso dinheiro e, com isso, ficar apenas as despesas essenciais e fixas. Desta forma, irão notar que os portugueses são realmente muito consumistas em coisas supérfluas e só não poupam porque não querem. 

Qual é o seu pior defeito a gerir dinheiro e que gostaria de melhorar?  

Antes de entrar no Doutor Finanças, não antevia os gastos a longo prazo, isto é, gastava por impulso no momento, só que esse gasto fazia toda a diferença para outra situação de urgência que pudesse surgir. É tudo uma questão de saber gerir saudavelmente o orçamento familiar. Acredito que posso vir a melhorar muito mais, mas ainda estou por descobrir como continuar a fazê-lo. Sei que apesar de tudo o que possamos ter de mais relevante, é possível chegarmos ao final do mês e ter ainda rendimento líquido disponível que podemos associar à poupança. 

Partilhe a sua melhor dica de poupança com os leitores do Doutor Finanças. 

Numa simples ida ao supermercado, fazer uma lista do que realmente se precisa lá em casa e segui-la. Sem esta lista, por vezes, temos tendência a olhar para produtos que estão em promoção, mas que na verdade nem fazemos uso deles.  

Esperamos que tenha gostado de conhecer a consultora Joana Bernardo. Aproveita e veja ainda as Dicas de Poupança que o Rui Bairrada, CEO do Doutor Finanças tem para lhe dar neste artigo.

Etiquetas: