Crédito

Crédito habitação reprovado? O que fazer para ultrapassar esta resposta

O seu pedido de crédito habitação foi reprovado? Saiba o que pode ter levado a esta resposta e como reagir para ultrapassá-la.

Crédito

Crédito habitação reprovado? O que fazer para ultrapassar esta resposta

O seu pedido de crédito habitação foi reprovado? Saiba o que pode ter levado a esta resposta e como reagir para ultrapassá-la.

Quando recorre a um crédito habitação, para que não seja reprovado, o banco precisa de ter a certeza que tem condições para pagar o empréstimo. Porém, nem sempre as condições necessárias são sumpridas e, por isso, o seu pedido acaba por não ter "luz verde".

Ainda que tal possa acontecer, não significa que não possa cumprir o sonho de ter a sua casa. Seguem-se algumas formas de melhorar a sua situação e pedir uma nova avaliação.

Comece por perceber o porquê do seu crédito reprovado

Antes de tudo, deve começar por saber que razões levaram a que o seu pedido de crédito tenha sido reprovado. Só assim conseguirá estabelecer um plano que lhe permita chegar onde quer. Existem diversas razões que podem levar um banco a dizer "não". Desde os baixos rendimentos, dívidas atuais, instabilidade profissional, até à própria maturidade do crédito, todos estes fatores pesam no momento da sua concessão.

Depois do recente anúncio da entrada em vigor das novas regras de concessão de crédito à habitação, o fator idade passou a ter outro "peso" na análise do seu pedido. Assim sendo, é fundamental perceber o que realmente "falhou" no seu pedido.

Leia ainda: 3 motivos para rever o seu crédito habitação

Aumente os seus rendimentos

Uma das formas mais eficazes de resolver problemas de concessão de crédito é por via de um aumento dos seus rendimentos, já que faz com que a sua taxa de esforço diminua. No entanto, deve ter sempre em consideração a sua estabilidade financeira. Aumentar os seus rendimentos é uma boa estratégia, desde que seja sustentável e consistente. Se esse aumento de rendimentos for unicamente sazonal ou temporário, pode originar dificuldades no futuro.

Ao contrair um empréstimo, especialmente para a compra de uma habitação, está a comprometer-se durante um longo período de tempo. Isto significa que, se os seus rendimentos não forem estáveis, a sua taxa de esforço pode ser elevada, colocando-se em risco de incumprimento.

Assim sendo, aumentar os seus rendimentos pode não ser suficiente. Por exemplo, se já tiver 55 anos e necessitar de um crédito habitação, significa que o prazo do empréstimo será de apenas 20 anos. Ainda que possa ter bons rendimentos, se o valor do crédito for elevado, não tem outra forma senão aumentar o valor de entrada para reduzir a prestação. Caso contrário, torna-se muito provável que o crédito seja reprovado devido à taxa de esforço.

Leia ainda: Como se preparar para a subida de juros no crédito habitação?

Reduza ou elimine por completo as suas dívidas

Outra razão que pode levar o banco a rejeitar o seu pedido prende-se com um cenário de demasiadas dívidas. Independentemente de se tratarem de empréstimos para a compra de um carro, dívidas em cartões de crédito, ou pessoais, todas estas despesas são tidas em consideração. Estes custos adicionais têm um efeito direto na sua taxa de esforço. Se os seus rendimentos forem baixos, qualquer despesa adicional é uma entrave para o banco.

Existem diversas formas de reduzir ou eliminar por completo as suas dívidas. Em primeiro lugar, precisa de identificar quais as dívidas que pretende amortizar primeiro: as que têm uma maior taxa de juro (uma estratégia designada por "método da avalanche"), ou aquelas em que deve menos dinheiro ("método bola de neve"). Defina qual é a mais confortável para si, já que ambas podem ter vantagens e desvantagens.

Se prefere ver resultados rapidamente, deve começar por amortizar as dívidas em que deve menos, ainda que possam existir outras em que esteja a ser mais penalizado financeiramente. Assim, consegue manter o foco e saber que está num bom caminho. Ao mesmo tempo, deve definir um orçamento, de forma a reduzir despesas desnecessárias e direcionar esse valor para amortizar as suas dívidas.

Leia ainda: Mapa de Responsabilidades de Crédito: O que é e para que serve?

miniatura de casa dentro de um carrinho de compras. Ao lado um gráfico com a evolução dos custos com a casa. A subida da Euribor aumenta os encargos

Melhore a estabilidade da sua situação profissional

A sua situação profissional é um dos fatores que o banco avalia para determinar se existe risco de incumprimento. Por isso, se tem um emprego instável ou com rendimentos variáveis vai, certamente, enfrentar dificuldades na hora da concessão de crédito.

Por exemplo, um histórico de rendimentos estáveis durante, pelo menos, dois anos consecutivos é um bom indicador. O tipo de contrato, ou seja, se está efetivo na empresa ou não, também influencia na decisão. Por isso, se souber que o seu pedido de crédito lhe foi negado por causa da sua situação profissional, não existem muitas alternativas senão esperar por ficar efetiva na sua empresa atual, ou procurar outro emprego que lhe ofereça estabilidade.

Leia ainda: Diferenças entre simulação e pré-aprovação de Crédito Habitação

Aumente valor de entrada

Dar uma entrada inicial superior pode resolver os seus problemas na concessão de crédito. No entanto, requer um maior esforço financeiro. A grande maioria dos bancos exige cerca de 10% de entrada.

Por essa razão, antes de visitar imóveis deve ter a certeza sobre o montante de que já dispõe e sobre o valor máximo de crédito que pode pedir, consoante não só os seus rendimentos mas também esse valor disponível.

Leia ainda: Preciso de ter imóvel escolhido para pedir uma pré-aprovação de crédito habitação?

Negoceie preço da habitação

Uma das soluções para ultrapassar o crédito reprovado passa também pela negociação do próprio preço da habitação. Quanto mais cara esta for, mais dinheiro de entrada tem de dar, o que por sua vez implica ter rendimentos superiores para suportar o empréstimo. Se tiver capacidade para negociar o preço, então deve fazê-lo. Não só poupa, como torna mais fácil obter o crédito habitação de que necessita.

Existem diversas razões para negociar o preço, a começar pelo estado do imóvel. Questionar o proprietário sobre as manutenções (canalização, por exemplo) que a casa teve, possíveis problemas com a vizinhança, razões pelas quais o proprietário está vender, são alguns dos pontos por onde pode negociar. Quanto melhor conhecer o proprietário e a habitação, maior é a probabilidade tem de conseguir um melhor preço.

Por exemplo, se o proprietário estiver a vender casa, pois precisa de realizar dinheiro para comprar outra, então tem espaço para negociar. Especialmente se a casa já estiver no mercado há algum tempo, pode utilizar isso a seu favor. No entanto, não existem quaisquer garantias que o proprietário baixe o preço. Ainda assim, tente negociar, tudo depende dos argumentos apresentados.

Leia ainda: Vantagens e desvantagens de recorrer a um intermediário de crédito

Pode mesmo pagar a casa que escolheu?

Antes de avançar com o negócio e recorrer ao seu banco para iniciar o processo de concessão de crédito, deve certificar-se que consegue pagar a habitação. Embora possa ter encontrado a sua "casa de sonho", isto não significa que esteja na posição ideal para assumir essa responsabilidade.

Logo, deve medir os riscos e avaliar se deve avançar para a compra da casa. O preço da habitação, o montante de crédito pedido, o prazo, tudo deve ser posto na balança. Além disso, o preço que paga hoje pela sua casa não termina aqui. Dependendo da habitação, esta pode exigir um esforço grande a nível de manutenção.

Leia ainda: Quer comprar casa com crédito habitação? 7 cuidados a ter

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.