Crédito Habitação

Bancos aumentam avaliação dos imóveis para valores recorde

O mês de maio foi marcado por menos avaliações de imóveis, mas os valores concedidos pelos especialistas continuam a aumentar para níveis recorde.

Sara Antunes Sara Antunes , 29 Junho 2020

O mês de maio de 2020 foi marcado por um novo aumento dos valores estipulados pelos bancos para os imóveis que estão a ser comprados através de crédito habitação. O valor mediano da avaliação bancária atingiu mesmo um nível histórico.

A pandemia provocada pelo Covid-19 ditou cautela e as avaliações bancárias dos imóveis até desceram em abril. Dois meses depois, essa descida já foi ultrapassada e os últimos dados apontam para um aumento das avaliações feitas pelos bancos para concederem crédito, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Este indicador é muito relevante para quem está a querer comprar casa com recurso a crédito, uma vez que os bancos financiam, no máximo, 90% do valor do imóvel.

Assim, o valor mediano da avaliação bancária aumentou 8,9%, quando comparado com o mesmo mês do ano passado, para um total de 1.114 euros. Este valor registado em maio está 3 euros acima dos preços registados em abril e 91 euros acima dos preços de maio de 2019, de acordo com os dados divulgados pelo INE.

Leia ainda: Imóveis podem ser avaliados através de alternativas tecnológicas

Preços sobem para nível recorde

Os valores agora conhecidos representam novos recordes. Os dados do INE recuam até 2011 e não há nenhum valor superior a este para a média do país.

Analisando os dados por regiões, o cenário não é muito diferente. Norte, Centro, Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo, Algarve e Região Autónoma dos Açores registaram todos aumentos dos preços praticados nas avaliações bancárias para níveis nunca antes vistos.

A única exceção foi a Região Autónoma da Madeira, que viu o preço mediano da avaliação bancária diminuir 0,5% ou seis euros face ao mês de abril. Contudo, importa realçar que esta região a última vez que registou uma queda de valores foi em janeiro, não tendo ainda sentido qualquer impacto da pandemia. E, apesar desta queda registada em maio, continua a ser a terceira região do país onde os preços são mais elevados.

Leia ainda: Quais as perspetivas para o mercado imobiliário?

Algarve supera pela primeira vez os 1.500 euros

A região do Algarve é a que tem os preços mais elevados de todo o território nacional, com o valor mediano a atingir os 1.512 euros. Assim, os valores concedidos nesta região superaram, pela primeira vez na história, os 1.500 euros por metro quadrado.

A segunda zona com os valores mais elevados no país é a Área Metropolitana de Lisboa, onde o preço mediano cresceu para 1.485 euros, o que também corresponde a um valor recorde.

Do lado oposto está o Alentejo, onde o valor mediano do metro quadrado se situou nos 827 euros. Apesar de ser o valor mediano mais baixo de todo o território nacional, também corresponde a um novo recorde.

Leia ainda: Poupar em tempos de covid-19: O que ganho em transferir o meu crédito habitação?

Número de avaliações bancárias desliza

Apesar destes aumentos dos valores dos imóveis, o número de avaliações caiu mais de 20% em maio, quando comparado com o mesmo mês do ano passado, realça o INE.

Assim, no mês em análise foram realizadas cerca de 19 mil avaliações bancárias a imóveis, o que representa menos 21% do que em maio de 2019, algo que é justificado com o contexto atual.

Leia ainda: Covid: “Não tem havido constrangimentos” nas escrituras

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)