Instituições financeiras

O que os bancos estão a fazer para apoiar as famílias?

Desde a isenção de algumas comissões à troca de cartões para a disponibilização de tecnologia contactless, conheça algumas das ajudas dos bancos.

Sara Fernandes Sara Fernandes , 22 Maio 2020 | 2 Comentários

O Governo avançou com medidas para aliviar a vida financeira de famílias e empresas. Uma dessas medidas determina a suspensão da cobrança de créditos para habitação própria permanente durante seis meses, até 30 de setembro de 2020. 

A moratória destina-se a todas as famílias e empresas que apresentem uma redução de rendimentos devido à pandemia do novo coronavírus. E para ser elegível, tanto as famílias como as empresas, devem ter morada em Portugal e não ter dívidas vencidas há mais de 90 dias.

Além desta medida implementada pelo Governo, os bancos criaram mais uma ferramenta para aliviar temporariamente a vida financeira das famílias.

Estas moratórias privadas abrangem contratos de crédito que não beneficiam da moratória pública, como os contratos de crédito pessoal, crédito automóvel, cartão de crédito ou crédito hipotecário que não se enquadrem no crédito para habitação própria permanente, celebrados com consumidores.

No entanto, além das duas opções de moratória, os bancos também tomaram algumas medidas para facilitar a gestão dos orçamentos de famílias e empresas.

Desde a isenção de algumas comissões à troca de cartões para a disponibilização de tecnologia contactless, conheça algumas das medidas que foram adotadas pelos bancos. As informações referidas em baixo têm por base dados disponibilizados nos sites das instituições.

Leia ainda: Tipos de moratórias de crédito: Conheça os custos e impactos na prestação do crédito habitação

Bankinter

O Bankinter traçou um Plano de Ação com um conjunto de medidas extraordinárias para apoiar os seus clientes nesta fase.

Entre as medidas, destacam-se a manutenção de produtos e serviços sem custos, a isenção de custos de utilização do MB Way e o reforço da disponibilização de informação sobre os mercados financeiros de forma gratuita.

O Bankinter implementou também um conjunto de medidas transversais para facilitar a utilização dos canais digitais, telefónicos e os pagamentos com cartão, nomeadamente:

  • Simplificação do processo de adesão aos canais digitais, através do canal telefónico;
  • Reforço da capacidade de atendimento da banca telefónica e dos sistemas de comunicação e tecnológicos;
  • Disponibilização de uma linha telefónica exclusiva e gratuita para apoio ao cliente durante o período de pandemia Covid-19;
  • Suspensão da cobrança da mensalidade do TPA e isenção de aplicação de uma comissão mínima sobre as transações, para os comerciantes em situação de inatividade;
  • Manutenção de isenção de comissões do serviço MB Way no TPA;
  • Substituição dos cartões de débito por novos cartões com a funcionalidade contactless.

BPI

O BPI também implementou uma série de medidas para apoiar os seus clientes durante esta fase.

Assim, para aqueles que vejam os seus salários afetados pelo contexto atual, o BPI vai manter sem qualquer agravamento as condições dos seus pacotes básicos de serviços e do seu crédito habitação.

O banco vai ainda antecipar o pagamento de pensões sem custos adicionais.

O BPI também flexibilizou as formas de adesão ao homebanking e alargou os serviços disponíveis nesse canal.

E ainda, no que diz respeito à saúde, o banco, em parceria com a Allianz, tem uma linha telefónica disponível 24 horas para os seus clientes.

"A equipa médica disponibilizada pela Allianz está totalmente disponível para esclarecer todas as suas dúvidas de saúde, realizar uma consulta médica através do telefone e ainda aconselhar sobre medidas preventivas, despiste de sintomas ou esclarecimento de dúvidas relativas à situação atual provocada pelo virus Covid-19".

Caixa Geral de Depósitos

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) também decidiu adotar um conjunto de medidas para apoiar os seus clientes nesta fase.

Para clientes titulares das Contas Caixa, todas as transferências realizadas através dos canais digitais são gratuitas durante este período de crise. Adicionalmente, para todos os clientes que sejam titulares de uma conta na CGD e que não sejam detentores de cartão de débito, o banco público isenta a primeira anuidade durante este período.

Além disso, o banco definiu que "todos os clientes com pensão até 1,5x o salário mínimo nacional e os jovens até aos 26 anos estão isentos de comissões".

Também as transferências interbancárias e MB Way são ilimitadas nas contas Caixa S e M até 30 de junho de 2020.

Para os clientes que sejam titulares de uma conta na CGD e que não tenham cartão de débito, o banco isenta a comissão de disponibilização de cartão de débito.

Eurobic

Entre as medidas adotadas pelo Eurobic para apoiar as famílias neste período destaca-se a isenção das comissões de transferências no EuroBic Net até ao final de junho de 2020.

E ainda, a ativação da funcionalidade contactless nos cartões que têm essa tecnologia. O banco aumentou também o limite do montante máximo para operações contactless sem código PIN.

Millennium bcp

Para apoiar os seus clientes nesta fase, o Millennium bcp também adotou uma série de medidas. O banco decidiu suspender o agravamento do spread por incumprimento de condições contratuais.

O Millennium bcp lançou também contas-pacote por um euro por mês até ao final de setembro deste ano.

E disponibilizou, ainda, a cobertura para o Covid-19 em seguros de saúde, invalidez e morte.

Novo Banco

O Novo Banco também lançou um pacote de produtos e serviços ajustados à situação atual. Para facilitar a utilização dos seus canais digitais, isentou até 30 de junho as comissões de operações como transferências interbancárias, transferências MB Way e adiantamento de montantes a crédito para a conta à ordem (cash advance).

O banco também reforçou a capacidade de atendimento no NBdireto, com o objetivo de facilitar a realização de transações por telefone. Neste serviço, há isenção de comissões - até 30 de junho - para transferências interbancárias, pagamentos de serviços e carregamentos de telemóveis e ainda cash advance.

Para facilitar a utilização de pagamentos eletrónicos, o Novo Banco disponibiliza de forma gratuita o cartão de débito para novos pedidos e substituição e ainda o cartão pré-pago para novos pedidos. Além disso, estão isentos de custos fixos os pagamentos feitos por terminal de multibanco, "permitindo aos comerciantes aceitar pagamentos de valor reduzido sem custos acrescidos", indica o Novo Banco.

O banco também tomou uma série de medidas direcionadas aos clientes que detêm uma apólice de seguros, em conjunto com a GNB Seguros. Assim, no âmbito das apólices de seguros de saúde, está assegurada a cobertura para consultas, tratamentos e exames relacionados no âmbito do Covid-19. Nos casos de baixa por doença, está assegurado o pagamento do diferencial entre o salário e o valor a receber da Segurança Social, para aqueles que tenham a apólice de seguros de proteção de salário. E, por fim, está assegurado pagamento das prestações de crédito, nos casos de baixa por doença de clientes com apólices de seguros de proteção ao crédito.

Santander

O banco Santander reforçou a capacidade dos seus canais digitais. Para incentivar a utilização destes meios, passou a isentar de comissões - até 30 de junho - todos os pagamentos efectuados pelas plataformas digitais, aplicação móvel ou netbanco.

"Os nossos clientes podem usar os canais digitais para as suas operações do dia a dia – como transferências, pagamentos, consultas de saldo, carregamento de telemóveis e pagamentos ao Estado, entre outras – com toda a conveniência e sem custos", pode ler-se no portal do banco.

Foi ainda isentada de comissões a disponibilização de novos cartões contactless, de modo a reduzir o risco de utilização de cartões de débito e crédito.

O Santander reforçou também o atendimento por via telefónica com mais colaboradores, para que o maior fluxo de chamadas possa ser atendido de forma rápida.

Estas são as medidas que vão além das moratórias concedidas nos empréstimos e que podem ser consultadas nos sites dos bancos.

Leia ainda: Os meus rendimentos não foram muito afetados, vale a pena pedir a moratória?

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

2 comentários em “O que os bancos estão a fazer para apoiar as famílias?

  1. Boa tarde
    Gostaria de colocar uma questão, quando se tem crédito pessoal quais as vantagens de abater algumas prestações. Compensa ou não? Agradecia uma resposta para saber quais os montantes que realmente compensam.
    Obrigada

    1. Olá, Luísa.

      Isso depende de vários fatores. Como não dá qualquer informação sobre o seu empréstimo não é possível dar-lhe uma resposta assertiva. Em qualquer caso, aqui ficam alguns pontos a levar em consideração para poder fazer as contas:

      * Ao amortizar levará a uma poupança relativamente ao montante total de juros a pagar pelo empréstimo, pelo que ficará a pagar uma prestação mais baixa (ou terminará de pagar o empréstimo mais cedo, em alguns casos mais particulares).

      * havendo comissões a pagar pela amortização antecipada estas serão um custo que poderá ou não compensar a poupança no ponto anterior. Procure nas condições do empréstimo qual o valor dessa eventual comissão, caso exista, ou informe-se junto do seu credor.

      * Se houver seguros associados a esse empréstimo, o facto de o capital em dívida baixar poderá levar a baixar também o prémio a pagar pelo seguro (mais uma poupança).

      Em qualquer caso, a sua entidade credora deverá ter todos os elementos para lhe apresentar estas e outras consequências de uma amortização antecipada – é uma questão de entrar em contacto com eles para se informar melhor.