Quando pede um empréstimo ao Banco, recebe a informação de diversas taxas como a TAN, TAE, TAER, TAEG e o MTIC nas simulações ou na FINE que lhe entregam. Hoje, na rubrica Dicas do Doutor, iremos explicar melhor o que significa a TAEG e o MTIC.

É importante perceber que a taxa de juro é o custo do dinheiro que irá ter, para além da amortização do capital que pede emprestado e que irá permitir ao banco calcular a sua prestação. Contudo, deve tomar sempre em atenção todos os custos associados e as variações que poderão haver ao longo do contrato, seja de um crédito consolidado ou de um crédito habitação.

A TAEG (Taxa Anual Efetiva Geral) é a taxa que considera os custos que terá no seu empréstimo com juros, despesas de processo, comissões e seguros associados.

O MTIC (Montante Total Imputado ao Consumidor) corresponde ao montante total que o cliente terá de pagar ao banco durante todo o período do empréstimo. Calcula-se somando o montante total do empréstimo com os custos do crédito (juros, comissões, impostos e outros encargos imputados pelo Banco).

Vejamos um exemplo prático:

Se pedir um crédito pessoal de 12.000 Euros, por 5 anos, com uma taxa fixa de 8%, considerando 300€ de comissões iniciais do processo (que acresce imposto de selo) e se a conta à ordem tiver (ao longo dos 5 anos) uma comissão de manutenção de 1,5€ por mês (que acresce imposto de selo), o MTIC que pagará por este empréstimo é de 15 291,12 €, ou seja, como o montante que o Banco lhe emprestou foi de 12 000€ significa que terá de pagar mais 3 291,12€ de outros custos.

A partir de hoje, o Doutor Finanças apresenta-lhe semanalmente a rubrica Dicas do Doutor com dicas informativas e rápidas que pode ter sempre à mão. Fique atento. 🙂

Etiquetas: