Habitação

O que fazer com os eletrodomésticos velhos?

Se tem um equipamento eléctrico que já não funciona, não o deite para o lixo comum. Saiba o que fazer com os eletrodomésticos velhos.

O conceito de reciclagem e como proceder relativamente à separação de resíduos já é algo que faz parte do quotidiano de grande parte dos portugueses. Mas sabe o que fazer com os eletrodomésticos velhos? Conheça algumas opções neste artigo.

Eletrodomésticos velhos: a importância da separação correta

Em todas as casas há vários eletrodomésticos, de diferentes dimensões e funções. Máquinas de lavar a roupa e a louça, frigoríficos, secadores de cabelo, máquinas de café, televisões, etc. Quando falamos em equipamentos elétricos, referimo-nos a todo e qualquer dispositivo que depende de corrente elétrica para funcionar, como todos estes referidos anteriormente. 

Eventualmente, podem ocorrer avarias e estes deixarem de funcionar ou simplesmente dar-se o caso de querer renovar os equipamentos lá de casa. Seja qual for o caso, os aparelhos antigos não devem ir parar ao lixo comum, já que muitos contêm substâncias tóxicas para o ambiente.

Além disso, a reciclagem dos eletrodomésticos permite aproveitar uma série de materiais reutilizáveis como o plástico ou o vidro, ao mesmo tempo que se recupera outras partes potencialmente valiosas, contendo ouro ou cobre. 

Nesse sentido, quais são as indicações relativamente a estes produtos? Onde é apropriado depositá-los? Poderão ter uma nova vida? Veja as nossas sugestões. 

mulher a retirar a loiça da máquina de lavar loiça

Doar a uma instituição

Imagine que vai mudar de casa e a casa nova já vem equipada com todo o tipo de eletrodomésticos. Uma boa opção para se desfazer das máquinas antigas poderá ser a doação destes a uma instituição. Se o equipamento funcionar, porque não doá-lo a quem faz falta ?

Pode ser uma instituição que necessite ou a própria instituição pode indicar-lhe uma família a quem esse produto poderia fazer toda a diferença. Será, com certeza, muito gratificante saber que ajudou alguém, que de outra forma não teria oportunidade de adquirir esse produto. 

Leia ainda: Dicas para diminuir a sua pegada ecológica

Vender online / fazer troca

A venda dos equipamentos antigos é outra opção que poderá tomar. Poderá fazer sentido principalmente se o eletrodoméstico ainda for bastante recente e se estiver em boas condições. Falamos por exemplo de robôs de cozinha, batedeiras, entre outros.

Induzidos pelas tendências do lar, muitas pessoas adquiriram estes equipamentos e mais tarde aperceberam-se que não lhes davam muito uso. Porque não colocá-los à venda? Na internet não faltam páginas para a compra e venda de produtos em segunda mão, por isso, basta preparar o anúncio e clicar em “publicar”. 

Quem diz venda, diz troca. É bastante comum, nestes mesmos sites de anúncios. As pessoas fazerem trocas entre si, com produtos de valor semelhante, por exemplo. Neste caso, a decisão será só sua, e terá que avaliar se prefere vender, por dinheiro, ou tentar uma troca por outro produto diferente. 

Tenha em atenção que nestas duas situações pode ser necessário providenciar transporte para o equipamento, e, se tratar de um aparelho de grandes dimensões avalie se compensa a possível despesa que poderá ter em alugar uma carrinha ou algo semelhante. 

Leia ainda: Como dar uma segunda vida a objectos que já não utiliza

Entregar em lojas e comprar um novo

pessoa a mexer no tablet

Esta é, provavelmente, a opção mais simples. Compra um eletrodoméstico novo e a loja recolhe ou aceita o antigo. No caso de produtos como telemóveis existe, muitas vezes a possibilidade de obter algum tipo de desconto pela entrega do modelo antigo. 

Além disso, a entrega em loja pode ser uma escolha acertada quando o equipamento já chegou ao fim da sua vida e o valor a pagar pela reparação não compensa, relativamente à compra de um novo. Em vez de ter que se preocupar com o transporte deste, deixe simplesmente nas mãos da superfície comercial a recolha do eletrodoméstico velho.

Especialmente no caso de eletrodomésticos de grandes dimensões como frigoríficos ou fogões, uma vez contratado o serviço de entrega e montagem do equipamento novo, deverá, também informar a loja de que pretende que recolham o antigo. Desta forma a entidade transportadora tratará de toda a papelada necessária para efetuar o transporte da sua máquina velha. 

Deixar num centro REEE

Por todo o país existem centros de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos" (REEE). São locais especializados nestes resíduos e os grandes equipamentos deverão ser aqui depositados. Estes espaços estão preparados para receber gratuitamente todos os grandes eletrodomésticos, por isso, se tiver oportunidade de os transportar, consulte neste site a localização do centro mais perto de si. 

Aqui, basta selecionar o tipo de resíduo do qual se pretende desfazer - neste caso grandes eletrodomésticos, permitir a localização ou inserir manualmente a zona pretendida. De imediato surgirá um mapa com os locais assinalados mais próximos de si.

Leia ainda: Ganhar dinheiro reciclando

Equipamentos pequenos: deposite num Ponto Electrão

Todos os restantes eletrodomésticos de menores dimensões como varinhas mágicas, telemóveis, batedeiras, máquinas de barbear, etc, devem ser depositados num Ponto Electrão. Mais uma vez, estes tipos de resíduos não devem ser colocados nem no lixo comum nem em nenhum dos contentores de reciclagem (azul, verde, amarelo). Como vimos acima, contêm substâncias que poderão contaminar o ar e os solos e, por essa razão, devem ser colocados em locais próprios. 

A Rede Electrão possui 3500 locais de recolha por todo o país, facilmente pesquisáveis através do mesmo site referido acima. Neste caso, em vez de selecionar grandes eletrodomésticos, deverá clicar no segundo ícone, “pequenos equipamentos elétricos” para descobrir o ponto mais próximo de si. 

Solicitar recolha através do serviço da Câmara Municipal

cozinha com forno e fogão com dois bicos

Da mesma forma que as Câmaras Municipais fazem a recolha dos chamados “monos”, como móveis antigos, por exemplo, estas também se encarregam do transporte de eletrodomésticos velhos de grandes dimensões. Este é um serviço gratuito, providenciado pelas autarquias, mas que necessita de ser agendado. 

Evite simplesmente depositar o equipamento na rua ou junto a algum contentor. Contacte previamente o seu município e informe-se sobre o local onde deverá deixar o eletrodoméstico e em que data e horário. Geralmente existem dias específicos para a recolha destes resíduos, daí ser importante combinar de antemão para que os aparelhos não permaneçam na rua mais tempo do que o necessário. 

Leia ainda: 9 formas de poupar na compra de um eletrodoméstico

O que acontece ao equipamento eletrónico após a sua recolha?

No website “Onde Reciclar” encontramos dados relativamente ao reaproveitamento destes materiais. Com uma tonelada de resíduos elétricos é possível recuperar:

  • 410 kg de vidro;
  • 260 kg de plástico;
  • 60 kg de papel e cartão;
  • 60 kg de metal;
  • 10 kg de madeira. 

Muitos dos materiais destes eletrodomésticos velhos podem ser convertidos em novas matérias primas.

O que acontece quando um equipamento elétrico chega a estes locais de tratamento é a separação dos diferentes componentes, o processamento destes e, por último a produção de novos materiais. 

Desta forma, ao seguir estas normas em relação aos eletrodomésticos velhos, garante que estes sejam reutilizados, reciclados, ao mesmo tempo que protege o ambiente, evitando a contaminação dos recursos naturais. 

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)