Carreira e Negócios

Quais são as alternativas ao ensino superior?

Ingressar no ensino superior pode não ser opção para muitos estudantes. Conheça algumas das alternativas a considerar nesta fase.

Sara Fernandes Sara Fernandes , 28 Agosto 2020

Terminado o ensino secundário, é hora de pensar nos próximos passos. É natural ouvir perguntas sobre o curso que pretende tirar ou a faculdade para onde quer ir. Contudo, este pode não ser o caminho idealizado por muitos estudantes.  

Seja por ainda não saberem o que querem fazer no futuro, precisarem de uma pausa temporária ou por não terem mesmo a intenção de ingressar no ensino superior, existem várias alternativas nesta fase. Neste artigo deixamos algumas ideias alternativas para aqueles que não pretendem ir (já) para a faculdade.

Fazer formação profissional 

A oferta de cursos profissionais tem vindo a aumentar, pelo que esta é também uma boa alternativa à universidade. A formação profissional é, por norma, mais prática e direcionada a uma especialização em concreto.

Assim, quem optar por este caminho irá adquirir competências específicas de uma determinada profissão.

Os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTSP) não conferem grau académico, mas a sua conclusão, com aproveitamento, atribui o diploma de técnico superior profissional.

Ir trabalhar 

Entrar no mundo do trabalho logo após a conclusão da escolaridade obrigatória é uma das opções para aqueles que não pretendem prosseguir os estudos ou que querem primeiro perceber se a área que escolheram é mesmo o que querem fazer.

Seja por questões financeiras – a propina anual de uma licenciatura é cerca de 1.000 euros – ou por convicção pessoal, há quem prefira ir trabalhar após a escolaridade obrigatória, garantindo assim um salário todos os meses.  

Pode até ser uma oportunidade de descobrir o que gosta mesmo de fazer e, quem sabe, obter uma especialização no futuro.  

Leia ainda: 7 dicas de poupança para jovens com o primeiro emprego 

Apostar em cursos online 

Tirar cursos online também é uma opção para quem não pretende ingressar no ensino superior. Além de poder gerir o seu tempo, pode ainda especializar-se em matérias de diferentes áreas, consoante os seus interesses. E, em alguns casos, pode fazê-lo de forma gratuita

São cada vez mais as plataformas que promovem o ensino à distância. Apesar de a formação online não ser uma novidade, a pandemia provocada pelo novo coronavírus levou ao aparecimento de novos cursos nos últimos meses.  

Faça um levantamento dos temas que lhe interessam e aposte neste tipo de formação.  Claro que neste caso, será necessário despender dinheiro. Mas, se as questões financeiras não forem um entrave, este pode ser um investimento na formação.

Leia ainda: Formação online gratuita: Que plataformas devo utilizar e o que preciso saber? 

Fazer um gap year 

Fazer uma pausa também é uma opção. Trata-se de um ano sabático, que normalmente é utilizado para os jovens pensarem no que querem fazer no futuro e investirem em si próprios

É muito comum que este ano de pausa seja utilizado para fazer voluntariado ou viajar. É uma oportunidade para conhecer novos locais, novas culturas, aprender outras línguas e ganhar experiência de vida, abrindo assim novos horizontes.  

Aliás, fazer um gap year promove o desenvolvimento de soft skills, competências estas cada vez mais valorizadas pelos empregadores. Comunicação intercultural, capacidade de resolução de problemas e adaptabilidade são características que valorizam qualquer currículo.  

Existem inúmeros programas para quem decide optar por este caminho.  

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)