Contas bancárias

Cashback e Cash advance: Como funcionam e quais as suas diferenças?

O cashback e o cash advance são dois instrumentos financeiros muito utilizados. Mas, sabe o que significam e que diferenças que os separam?

Contas bancárias

Cashback e Cash advance: Como funcionam e quais as suas diferenças?

O cashback e o cash advance são dois instrumentos financeiros muito utilizados. Mas, sabe o que significam e que diferenças que os separam?

Cashback e cash advance são duas expressões muito utilizadas na linguagem bancária. Estes dois conceitos, sendo diferentes, ainda assim podem "baralhar" quem não está por dentro do assunto.

Nesse sentido, importa sublinhar que são duas formas de obter dinheiro através da utilização dos seus cartões bancários, mas de formas diferentes e com custos distintos. Assim, se tem cartões de crédito e está atento às condições contratuais, provavelmente já se deparou com estes dois conceitos.

Cashback vs Cash Advance: o que são?

Têm em comum a palavra “cash” (dinheiro), mas estes dois conceitos são bem diferentes. Desde logo, o cash advance pode ter custos e o cashback pode ser menos vantajoso do que parece à primeira vista. Contudo, estas duas opções, normalmente associadas a cartões de crédito, podem ser uma ajuda na gestão do seu orçamento familiar.

Leia ainda: 5 vantagens dos cartões de crédito

Cashback: o que significa?

O cashback, é um termo que vem do “inglês” e que significa exatamente “dinheiro de volta”. É mais comum que o cash advance. Este instrumento, não é mais do que uma forma de recuperar uma parte do valor gasto em compras. Assim, se tiver um cartão de crédito com esta opção, vai recuperar uma parte desse dinheiro que é automaticamente creditado na conta do cartão.

Contudo, nem todos os cartões de crédito têm esta opção, pelo que deve verificar se o seu permite estas operações. As vantagens passam por não ter custos adicionais. A percentagem máxima de cashback praticada em Portugal varia entre 1% e 3%.

Apenas a título de exemplo: se tiver o cartão de crédito da Unibanco, ao gastar 300 euros por mês vai receber de volta 10 euros. De igual modo, se gastar um valor mensal superior a 500€ recebe de volta 20 euros. Assim, num ano, pode receber valores desde os 60€ até ao limite máximo de 200 euros.

O montante de cashback recebido está diretamente ligado à quantidade de dinheiro que gasta com o cartão de crédito. Estes valores podem variar consoante as taxas associadas ao cartão de crédito, tais como os juros (TAEG e a TAN), as comissões, a anuidade do cartão e o imposto de selo.

Este tipo de modalidade funciona como um incentivo para a utilização do cartão de crédito. Ainda assim, não deve comprar apenas para obter este benefício, mas sim se precisar. Caso contrário, só está a fazer crescer a sua dívida.

Cashback: cuidados a ter

Evite pagar despesas fixas (água e luz, por exemplo), pois este cartão de crédito deve apenas ser utilizado para gastos imprevistos ou necessidades urgentes. Por outro lado, seja responsável e verifique sempre se tem saldo para pagar o montante em dívida. Lembre-se que, este cartão tem um custo associado ao crédito. Logo, ao usar o cartão para estas despesas aumenta o seu valor global.

Por vezes, este tipo de cartões de crédito dão outro tipo de vantagens, nomeadamente a acumulação de milhas aéreas ou pontos, bem como alguns descontos em parceiros.

Assim sendo, este tipo de cartão apenas faz sentido se tiver por hábito fazer compras de montantes elevados. Afinal de contas, quanto mais gastar mais recebe de volta em cada mês. Este valor é devolvido diretamente para a sua conta a crédito. Como tal, não precisa de voltar a usar o cartão de crédito. Esta é uma diferença, por exemplo, para os descontos garantidos em cartões de compras de supermercado e outros similares.

Leia ainda: Cartão de crédito: amigo ou inimigo da poupança?

carteira aberta a mostrar um conjunto de cartões de crédito

Cash advance: o que significa?

No caso do cash advance, está a receber um crédito imediato. Ou seja, está a receber dinheiro que não tem ou que não sai imediatamente da sua conta. É o que acontece, por exemplo se levantar dinheiro com o cartão de crédito. No fundo, é um adiantamento de dinheiro. Ou seja, pode levantar o dinheiro numa caixa multibanco, em numerário ou por transferência bancária para a conta à ordem associada ao seu cartão. Isto é, o montante presente no saldo autorizado passa para o saldo disponível.

Cash advance: cuidados a ter

A grande maioria dos cartões permite esta opção. Contudo, apesar de poder ser útil para pequenas compras e despesas inesperadas, não deve olhar para estes cartões como uma fonte de rendimento. Isto porque, tem sempre de devolver o dinheiro mais os custos associados.

Independentemente do valor que levanta, existe sempre uma comissão fixa sobre o montante, variando apenas as restantes taxas consoante o valor pretendido. Conforme o banco ou instituição financeira, o consumidor tem de suportar os seguintes custos:

  • Comissão de processamento internacional;
  • Comissão de levantamento a crédito;
  • Taxa de conversão;
  • Comissão de serviço interbancário;
  • Por fim, a cada um destes valores soma-se o Imposto do Selo, atualmente de 4%.

Assim, antes de optar pelo cash advance tenha em atenção todos estes custos. No fundo, o levantamento a crédito traz mais custos para o consumidor.

Leia ainda: Cash advance: o que é e como pode influenciar as suas finanças pessoais

Como funciona?

Conforme já referido, o adiantamento do dinheiro pode ser feito numa caixa ATM ou Multibanco, seja em Portugal ou no estrangeiro. Por outro lado, pode pedir à sua instituição de crédito para transferir o valor pretendido para a conta associada ao seu cartão. Pode ainda optar pelo homebanking. Regra geral, o dinheiro fica disponível de imediato, desde que tenha esse saldo disponível no cartão. Em certos casos, pode ter de esperar 24 horas para que a transferência seja efetuada.

Para levantamentos em numerário, algumas entidades definem outros limites além do saldo. No fundo, os limites mais não são do que uma forma de proteger os clientes.

Quais os custos?

Estas operações implicam alguns custos adicionais que variam conforme a entidade. Deve, por isso, informar-se primeiro acerca destas condições. Por outro lado, avalie o impacto destes custos nas suas finanças, pois pode ter de pagar juros no cartão se optar por pagar somente uma parte do montante utilizado.

Em suma, o cashback e o cash advance não são iguais e ambos têm vantagens e desvantagens. Com o primeiro, vai receber automaticamente de volta uma parte do valor gasto em compras pagas com o cartão de crédito. Já o segundo, funciona como um crédito imediato, também associado ao cartão de crédito, que pode inclusivamente ser levantado em numerário nas caixas ATM.

Ambos podem ser úteis para poupar algum dinheiro ou colmatar situações de falta de liquidez, por exemplo Desde que faça uma utilização cuidada e moderada.

Leia ainda: Tem cartão de crédito? Saiba como funciona e os cuidados a ter

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.