Dica do Doutor

Como usar o subsídio de Natal para compras, poupança e investimento

Rui Cunha Santos Rui Cunha Santos , 16 Novembro 2018

Com a chegada da época natalícia, o subsídio de Natal deve ajudar as suas finanças pessoais, se o utilizar de forma consciente e programada. Saiba como aproveitar ao máximo este valor.

O Natal está aí à porta e espera-se a época habitual de maiores consumos. Aumentam-se as idas aos centros comerciais, os gastos nos presentes e nos alimentos da consoada, com o consequente impacto na carteira de todos nós no final deste período.

Contudo, muitas famílias portuguesas utilizam o subsídio de Natal para poderem gerir este final de ano mais dispendioso.

Este subsídio pode ajudar com uma folga orçamental, mas pode também incentivar a mais consumo e excessos e o segredo para esta diferença está na programação.

Ao ajudarmos muitas famílias portugueses a organizar as suas finanças pessoais, através de consolidações de crédito e da transferência de créditos habitação com prestações mais baixas, notamos que ainda existe uma falta de gestão do orçamento familiar, em que não existe uma perceção real dos gastos diários, nem planeamento de futuras despesas.

Notamos também que atualmente voltamos a ver uma euforia do consumo, que poderá trazer consequências negativas, caso as despesas não sejam acauteladas previamente, levando a aumento excessivo de novos créditos e utilizações elevadas dos cartões de crédito.

Assim, muitas vezes os subsídios de Natal são utilizados para colmatar alguns «buracos» no orçamento mensal, que poderiam ser prevenidos com poupanças feitas nos meses anteriores. Ou então são utilizados para aumentar o consumo nesta época, desequilibrando as contas mensais e ultrapassando o limite do orçamento existente e isso habitualmente leva a um desequilíbrio financeiro que terá de ser resolvido nos meses seguintes.

Este ano, a Dica do Doutor sugere utilizar o seu subsídio de Natal para três grandes áreas: compras natalícias, poupança (para assegurar imprevistos ou despesas num futuro próximo) e investimentos (produtos de capitalização de capital garantido que lhe permita concretizar realizações futuras ou aforro).

dica do doutor subsidio de natal

A época natalícia é propensa para mais gastos, pois é um momento de reunir toda a família numa grande ceia de Natal e com presentes a dar à família. Para poder comprar os presentes aos seus mais queridos sem destabilizar o orçamento mensal, deve programar este consumo. Estabeleça um valor máximo a gastar por prenda, veja quanto poderá gastar em presentes e faça as compras o mais cedo possível. Ainda neste mês de novembro, encontrará maior variedade de produtos a preços mais baratos, pois em Dezembro, face ao aumento da procura, haverá menos oferta e preços mais elevados, levando-o a gastar mais pelo mesmo que compraria.

Pode ainda gerir melhor os seus gastos se comprar cartões presente de determinado valor. Assim, garante que gasta um valor fixo por presente e dá a pessoa a possibilidade de comprar o que quiser durante um período de tempo – ajuda-a também a controlar o seu orçamento, pois poderá usar aquele valor quando quiser.

Aproveite também o subsídio de Natal para poupança.

Antes, durante e depois do Natal, os encargos financeiros continuam e há que os cumprir. É uma boa oportunidade de utilizar uma parte do subsídio para poupar, o que irá garantir o cumprimento dos seus encargos no futuro próximo, como por exemplo quando as taxas de juro aumentarem e os seus gastos mensais regulares também forem maiores (crédito habitação, água, luz, telecomunicações, etc.).

Deve ainda aproveitar o subsídio de natal para fazer um produto de poupança, investindo assim no seu futuro e em si mesmo. Muitas famílias utilizam o final do ano para fazer produtos como o PPR ou depósitos a prazo com condições especiais, mas saiba que ainda que pode poupar noutros produtos de poupança com taxas de juro mais interessantes, capital garantido e liquidez.

Assim, a Dica do Doutor recomenda que desfrute da época festiva com consciência: com um bom orçamento e planeamento é possível viver um Natal cheio, com ceia, com presentes e também com poupança para assegurar um futuro financeiro melhor.

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #investimento,
  • #poupança,
  • #subsidio de natal,
  • #subsidio de natal 2018

Deixar uma resposta

6 comentários em “Como usar o subsídio de Natal para compras, poupança e investimento