Dica do Doutor

Se vai fazer um crédito habitação, lembre-se da taxa de esforço

Rui Cunha Santos Rui Cunha Santos , 15 Fevereiro 2019 | 4 Comentários

As várias regras do crédito habitação podem mudar, mas a Dica do Doutor lembra-o que deve sempre calcular a sua taxa de esforço.

Quem está à procura de casa para comprar, certamente já deve ter perguntado aos amigos e familiares como o fizeram ou que documentos são precisos. 

No Doutor Finanças, escrevemos vários artigos todos os dias para ajudar os leitores a perceber o que precisam para fazer um crédito habitação: os documentos necessários, a escolha da melhor casa, como ver se o spread da proposta é um bom spread. Contudo, não podemos deixar de falar de uma simples conta que pode ditar o início de tudo: a taxa de esforço. 

A taxa de esforço é a relação entre as prestações financeiros que um agregado familiar tem face ao rendimento mensal disponível.

Este rácio permite perceber qual a fatia do agregado familiar que a prestação do crédito habitação terá nas suas contas. 

Esta taxa é calculada sempre que pede um crédito, pois é a forma de os bancos e as financeiras poderem perceber se tem capacidade financeira para suportar o crédito que lhe será concedido. 

Para um crédito habitação, recomenda-se que a taxa de esforço seja 30% do rendimento agregado familiar. Assim, por exemplo, se um agregado familiar com dois titulares tem de rendimento 2000€, a prestação mensal do crédito habitação não deverá ser superior a 600€. Assim, poderá perceber se terá financiamento para um imóvel de que valor de avaliação. 

A Dica do Doutor sugere a todas as famílias que estejam à procura de casa que calculem primeiro a sua taxa de esforço. 

A taxa de esforço é relevante pois ajuda-o a ter mais hipóteses de encontrar o financiamento que necessita para a compra da sua casa.

Para perceber se pode comprar determinado imóvel, deverá primeiro verificar as suas condições financeiras. Reveja os seus créditos que tenha com cartões de crédito, crédito automóvel e créditos pessoais para reduzir o impacto da prestação do crédito habitação no seu orçamento.

Se tiver muitos créditos, poderá ser mais difícil será a aprovação ou terá uma proposta mais penalizadora com garantias, uma vez que o risco de entrar em incumprimento será maior.

Para poder calcular a sua taxa de esforço siga a seguinte fórmula: 

[Total de Prestações Financeiras / Rendimento do Agregado Familiar] x 100 = total em percentagem 

Exemplo: 

  • Crédito Pessoal: 80€ 
  • Crédito Automóvel: 200€ 
  • Outros Créditos: 80€ 
  • Total = 360€ 
  • Rendimento do agregado familiar = 2000€ 

[360€ / 2000€] x 100 = 18% de taxa de esforço 

Para calcular qual o máximo de prestação mensal de crédito habitação que deve ter, pode seguir a fórmula: 

[Rendimento do Agregado Familiar x 30% (ou 0,30)] = Valor máximo da prestação do crédito habitação 

Exemplo: 2000€ x 30% = 600€ de prestação máxima de crédito habitação

Antes de se colocar em mais prestações financeiras, reveja o seu orçamento familiar e consulte um especialista para o ajudar na gestão das finanças pessoais.

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #Crédito habitação,
  • #taxa de esforço

Deixar uma resposta

8 comentários em “Se vai fazer um crédito habitação, lembre-se da taxa de esforço

    1. Olá, André.

      Conforme explicado no artigo, entra o total de prestações financeiras, isto é, das prestações que paga em cada mês em cada um dos créditos que tenha.
      São estas que não devem ultrapassar os 30% do rendimento do agregado familiar.

      Pode calcular uma taxa de esforço ao seu gosto, com as parcelas que refere, mas aí já será apenas para sua utilização pessoal e não para efeitos de concessão de crédito, que é aquilo sobre que este artigo se debruça.