Economia doméstica é um tema recorrente no Doutor Finanças e não nos cansamos dele, pois conhecer novas formas de poupar na nossa casa e vida diária nunca é demais. Neste artigo, encontre algumas estratégias que o vão ajudar a aumentar a sua poupança.

Mesmo para aqueles que levam a máxima carpe diem muito a sério, começar uma poupança é sempre um bom ponto de partida para aproveitar a vida ao máximo. Quando se entra nas lides da vida ativa e a mesada é substituída por um salário, aparecem também vários ‘monstrinhos’ mensais que nunca falham – renda, luz, água, o passe para transportes públicos ou a gasolina para o carro – um rol de despesas, quase tão grande quanto o salário. É neste momento que devemos começar a seguir outra máxima: work hard, play harder.

Podemos poupar com vários objetivos, seja viajar, casar, ter um filho, comprar uma casa ou até a pensar no dolce far niente da reforma. Seja qual for o fim ou o valor, as estratégias de poupança são transversais e muitas vezes, estão mesmo à frente do nosso nariz.

  • Faça muitas contas e trace um plano

Começar uma poupança é olhar para uma folha de excel em branco…. Coloque em cada coluna o mês a que se referem as suas despesas. Nas linhas, descreva as suas despesas fixas (renda ou empréstimo, gasolina, atividades extracurriculares dos miúdos, o seu ginásio, alimentação, etc.) e o que gasta em média, por mês, em cada uma. Depois disso, verifique quanto lhe sobra do bolo mensal.

Nas linhas em baixo, coloque as atividades que gostava de fazer esse mês (ir a um concerto, ou jantar naquele restaurante novo, passar um fim de semana fora, comprar uma peça de roupa ou um livro, etc.). E sim, reserve sempre alguma coisa para pequenos imprevistos, como o carro que avariou ou a ida ao dentista que tem adiado.

Com este esquema, conseguirá ter uma soma dos seus gastos mensais e anuais, sendo um excelente ponto de partida para uma boa gestão financeira doméstica. Experimente, vai ver que o exercício de (re)calcular a sua vida pode ser bem divertido.

Se folhas e Excel não são o seu forte, o Doutor Finanças recomenda a aplicação Boonzi. Com um copiar/colar do seu extrato bancário terá uma noção exacta de onde está a gastar mais ou menos dinheiro por categorias.

  • Poupe sempre… no início do mês

Nunca deixe para amanhã o que pode fazer hoje, e deixar a poupança para o final do mês (poupar o que sobrar) pode levá-lo a nunca chegar efetivamente a poupar.

No início de mês (ou no dia em receber o salário) pegue no excel (aquele onde organiza as suas contas mensais) e na linha antes das despesas fixas, insira a mais importante de todas – a linha da poupança – e aí estipule um valor fixo mensal para colocar de parte (por exemplo 50€). Esse valor é como se não existisse, esconda-o no mealheiro (a tentação será sempre grande) ou numa conta à parte (onde se esqueça dele), seja uma conta a prazo, ou poupança reforma (há vários estilos de contas poupanças – fale com o seu banco e veja a que se adequa melhor às suas necessidades).

  • Organize-se diariamente

Durante a semana há sempre pequenas coisas nas quais podemos poupar e nem nos apercebemos, como o pequeno almoço fora de casa, os vários cafés ao longo do dia ou até aquele chocolate que não conseguimos evitar depois de almoço.

Estas coisas acontecem seja por falta de tempo, necessidade de relaxar ou simplesmente por vício. Atenção somos humanos, não faz mal termos vícios e cometermos pequenos ‘pecados’ de vez em quando. Mas também para estas coisas há pequenas estratégias que pode adoptar:

  • Quanto ao pequeno almoço fora de casa, comece a guardar sempre 10 minutos da sua manhã para tomar a primeira refeição do dia em casa, aproveite para dar uma olhada nas notícias, ou se tiver animais para lhes dar uns miminhos enquanto bebe o café. Deixe a ida à pastelaria para o fim de semana, vai aproveitá-la muito melhor;
  • Leve a sua marmita para o trabalho, inspire-se na blogosfera (há tantos blogs interessantes sobre este tópico), não se esqueça da fruta para o meio da manhã e do iogurte para o meio da tarde e claro, tenha sempre no seu trabalho algo doce para não ter que ir à máquina das guloseimas, quando precisa de açúcar;
  • A chave de ouro – guarde um ou dois dias da semana e não gaste dinheiro em NADA (é bem mais fácil do que parece).

O dinheiro que for poupando nestes pequenos momentos do seu dia, coloque numa caixinha (mas sem grande pressão), vai ficar surpreendido(a) no final do mês. Pequenas mudanças de hábitos podem gerar grandes poupanças, consulte o nosso artigo “três hábitos que pode mudar para poupar 40 mil euros”.

  • Não se perca nas compras

Ser objetivo, quando está a atravessar um corredor do supermercado, é essencial para que a conta no final não dispare. Há quem defenda afincadamente que levar uma lista de compras também resulta, bem como não ir às compras com fome ou aproveitar todos os cupões e cartões de desconto. O ideal é aplicar todos os truques que foi aprendendo, afinal quando se fala em poupança as dicas nunca são demais.

Ainda assim, há um esquema que pode ser um bom aliado na hora de rechear a despensa lá de casa – estipular o número de vezes que se vai ao supermercado. Esta estratégia não só lhe poupa tempo, como dinheiro.

No início do mês faça as compras grandes – compre vários produtos para congelar (peixe, carne, congelados, etc.), compre mercearia a contar com os 30 dias (arroz, enlatados, massa, etc.), produtos de higiene e limpeza e frescos para uma semana, por razões óbvias. Daí para a frente, apenas terá que comprar as frutas, legumes, carnes frias. Nestas compras mais pequenas (semanais), procure evitar as grandes superfícies, onde as tentações são maiores, vá antes a mercados, onde os produtos frescos normalmente são mais baratos e de melhor qualidade. Neste artigo, encontre algumas aplicações que o podem ajudar a organizar o seu orçamento e poupar em vários campos da sua vida, como supermercado, alimentação ou carro. 

  • Cultura e diversão… aproveite as atividades gratuitas

Ora falar em poupança pode deixar-nos bem deprimidos, se pensarmos na quantidade de atividades que podemos ter que nos privar. Mas não fique, afinal se for criativo vai encontrar coisas baratas ou mesmo grátis, que substituem aquele guilty pleasure capaz de arruinar a sua estratégia.

Por exemplo, aquele café depois de jantar, que acaba por ser sempre mais do que um café, junte os seus amigos e substitua-o por uma caminhada pela cidade. Ou aquele livro que quer ler,  vá à biblioteca e requisite-o gratuitamente ou procure-o num alfarrabista, na feira do livro ou em lojas de velharias, pode ser que acabe por encontrar outro ainda mais interessante, por apenas 1 euro. Consulte a agenda cultural da sua cidade, certamente que há eventos (música, teatro, tertúlias) gratuitos para aos quais nunca prestou atenção. 

Quando pensar em poupar tente seguir algumas destas dicas e, certamente, que verá resultados, mas atenção poupar até pode ser importante, no entanto não se esqueça de usufruir. Boas poupanças! 🙂