Muito se tem escrito sobre o MB Way nos últimos tempos. Tanto que algumas dúvidas parecem não ficar esclarecidas em relação às últimas novidades da ferramenta. Neste artigo propomo-nos a analisar quando vale ou não a pena utilizar esta app financeira que invadiu os smartphones dos portugueses desde 2015.

Em maio deste ano a controvérsia começou a instalar-se: a app MB Way, que durante anos ofereceu uma solução multibanco com diversos serviços gratuitos, passou a ter custos associados. Não em todos os serviços, nem em todos os bancos (para já).  

Até ao momento são seis os bancos portugueses que incluíram as transferências feitas por MB way nos seus preçários:  

Activobank: 1,50€ 

BPI: 1,20€ 

Caixa Geral de Depósitos: 0,20€  

Millenium BCP: 1,20€ 

Montepio: 0,20€ 

Novo Banco: 0,20€ 

Alguns dos bancos ainda não estão a cobrar estes valores, mas eles estão previstos e podem passar a ser praticados a qualquer momento. E há uma explicação para a existência destas comissões, validadas pelo Banco de Portugal. 

No entanto, a discrepância entre os valores apresentados é muito grande e questionada pela Deco.  

A Associação de Defesa do Consumidor está a recolher as reclamações dos utilizadores da plataforma, para conseguir uniformizar as comissões e torná-las proporcionais aos valores transferidos. Neste momento, os valores definidos são fixos e, em alguns casos, representam uma percentagem avultada sobre o montante transferido.  

“Mais de uma em cada quatro transferências realizadas através da aplicação são de montante inferior a dez euros”, garante a associação, com base em dados da SIBS, empresa gestora do multibanco. Ou seja, nestes cenários o consumidor pode ter que suportar até mais de 15% do valor da transação. 

Assim sendo: quando vale a pena usar a app para… 

Transferir dinheiro?

A resposta é depende. Depende do banco em que é cliente e, consequentemente, da comissão que este está a cobrar. Lembre-se que as comissões são fixas (por enquanto). Se a transferência for de um valor baixo, pode não compensar. Se se tratar de um montante de centenas ou milhares de euros, talvez seja benéfico. 

É de referir que antes de “enviar dinheiro”, a app apresenta-lhe de forma clara o valor da comissão que será cobrada ou se ainda está isento. Por isso, pode cancelar a operação depois de conhecer esse montante e antes de efetuar a transferência.

A alternativa é o homebanking, já disponível em todas as entidades bancárias, que permite transferências nacionais gratuitas.  

Dividir a conta? 

Neste cenário, a lógica é a mesma do anterior. Mas se for para dividir o valor de um jantar ou uma outra experiência, cujos valores não são demasiado altos, talvez seja preferível precaver-se e levar dinheiro físico consigo.   

Fazer compras online com nº de telemóvel? 

Sim. Nestes caso, a utilização do MB Way continua a ser gratuita. É uma alternativa a outras carteiras digitais, como o Paypal, à utilização dos cartões de crédito ou referências multibanco. Acaba, por isso, por ser das opções mais ágeis que se encontram atualmente disponíveis. É de aproveitar.  

Fazer compras online com cartão MB NET? 

A geração e utilização de cartões MB Net através da app MB Way são igualmente gratuitas.  

Comprar em ponto de venda?  

Sim, com QR Code ou NFC. Se se esquecer da carteira em casa ou se já se habituou a nem sequer a levar consigo quando vai às compras, pode ficar descansado: o pagamento em pontos de venda com MB Way continua a ser gratuito, desde que seja utilizado o QR Code ou o sistema NFC junto do terminal de pagamento automático.  

Levantamentos de dinheiro por MB Way?  

Sim. Vale a pena usar a app MB Way para fazer levantamentos, porque estes continuam a ser gratuitos.  

Estamos certos de que haverá ainda alguns desenvolvimentos sobre este tema. Por isso, o melhor conselho que podemos deixar é: antes de fazer qualquer operação – em especial transferências – com a ferramenta, atente aos custos envolvidos para perceber se vale ou não a pena utilizar.

Leia ainda: A Dica do Doutor explica porque querem que o MBWAY seja pago