Bem-estar

Contrafação de dinheiro: o que fazer com uma nota falsa?

Conheça dicas fundamentais para identificar notas falsas e recomendações sobre o que deve fazer caso suspeite que recebeu uma nota falsa.

Bem-estar

Contrafação de dinheiro: o que fazer com uma nota falsa?

Conheça dicas fundamentais para identificar notas falsas e recomendações sobre o que deve fazer caso suspeite que recebeu uma nota falsa.

Apesar de as notas possuírem atualmente técnicas muito avançadas de impressão que permitem a sua identificação e distinção de notas contrafeitas, a contrafação de dinheiro continua a estar bem presente na nossa sociedade.

De acordo com o Banco de Portugal (BdP), no ano de 2020 o número de notas contrafeitas apreendidas decresceu 26% em relação ao ano anterior, contabilizando-se 12.028 notas de euro apreendidas. O BdP relembra que este é um valor residual em comparação ao número de notas que se encontram em circulação atualmente. A apreensão de notas de 20 euros foi a mais representativa ao longo de todo o ano (5.765 apreendidas em 2019 e 6.292 apreendidas em 2020).

Explicamos em seguida como pode reconhecer alguns elementos fundamentais que lhe permitem identificar se se trata de uma nota verdadeira ou contrafeita, sem recorrer a qualquer esquipamento específico.

Leia ainda: Conheça os problemas mais frequentes no Multibanco e como os resolver

Tocar, observar, inclinar: como detetar uma nota falsa

Com esta realidade bem patente no nosso quotidiano, devemos estar atentos à contrafação de dinheiro e a todos os sinais que possam indicar se estamos perante uma nota contrafeita, principalmente para profissionais que operam com numerário no dia a dia nos seus negócios.

As notas de euro são elaboradas com critérios de segurança muito específicos e sofisticados, criados para impedir que haja um grande fluxo de notas contrafeitas em circulação.

Se porventura aceitar uma nota contrafeita, mesmo que por desatenção, tenha em atenção que não poderá recuperar o seu valor, portanto, deve ter em consideração os vários elementos que compõem uma nota e a forma de averiguar a sua genuinidade.

Uma das metodologias mais seguras e que está ao alcance de todos para se identificar uma nota contrafeita é a Tocar – Observar – Inclinar:

Tocar – Toque na nota e sinta a sua firmeza, o tipo de papel de algodão, o barulho mais acentuado desta e também os relevos nela presentes, como por exemplo as iniciais do Banco Central Europeu, o pórtico ou a janela. Nas notas de 20 ou de 50, por exemplo, poderá identificar uma imagem da deusa Europa (figura mitológica grega).

Observar – Observe cuidadosamente e tente identificar, colocando a nota em frente a uma fonte de luz, elementos como as marcas de água, os filamentos, ou o registo frente/verso.

Inclinar – Incline a nota em questão e identifique se na banda holográfica estão presentes elementos como o retrato da deusa Europa, o símbolo do Euro, o motivo arquitetónico e o valor da nota. Ao inclinar a nota poderá igualmente ver um efeito luminoso brilhante durante o movimento no número esmeralda brilhante, sendo que o número também muda com esse mesmo movimento, passando de verde-esmeralda a azul-escuro. As notas com um valor superior incluem igualmente um holograma-satélite com pequenos símbolos do euro que se movem em torno dos algarismos respeitantes ao valor da nota em questão.

Estes são alguns dos pontos que deve ter em consideração ao analisar e tentar averiguar a genuinidade das notas de Euro. No entanto, poderá ainda utilizar equipamentos para auxiliar na apuração da genuinidade de uma nota, sendo eles:

Lupa – Com uma lupa poderá tentar encontrar os microtextos de forma nítida em ambos os lados da nota;

Máquina de luz ultravioleta – As notas são compostas por fibras ultravioleta (verdes, azuis e vermelhas na série 1 e tricolores na série Europa), pelo que a ausência de fluorescência pode ser um indicativo de que a nota é contrafeita;

Luz infravermelha – Ao submeter a nota à exposição a luz infravermelha poderá verificar as propriedades das tintas, ocultando e mostrando apenas alguns elementos fundamentais que permitem identificar a sua genuinidade.

Caso as suas dúvidas subsistam pode: comparar com alguma nota que tenha a certeza da sua veracidade; entregar a nota suspeita de ser falsa numa das tesourarias do Banco de Portugal ou num balcão de outro banco.

Suspeito que a nota é falsa. O que devo fazer?

No dia a dia poderá deparar-se com situações que levantam dúvidas sobre a genuinidade de uma nota. Lembre-se que, se detiver uma nota contrafeita não a deve repassar pois, se o fizer propositadamente, está a cometer um crime segundo o artigo 265.º e seguintes do Código Penal, que pode dar uma pena de prisão até 3 anos.

Por forma a evitar esta situação, deixamos algumas dicas que podem ser cruciais para evitar a disseminação de dinheiro contrafeito:

1. Na dúvida, não aceite;

2. No caso de uma transação, tente solicitar uma nova nota e dar a conhecer ao seu portador a opinião de que esta poderá ser contrafeita, recomendando a que este se dirija às autoridades ou ao Banco de Portugal.

3. Tente adquirir o máximo de informação possível sobre a pessoa em questão (fisionomia, nome e as circunstâncias em que isso aconteceu);

4. Informe as autoridades sobre a situação;

Se tiver qualquer dúvida sobre a contrafação de dinheiro poderá entrar em contacto com o Banco de Portugal.

Leia ainda: Burlas e fraudes: Como saber se uma entidade está habilitada a conceder crédito?

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe uma resposta

Insira o seu nome

Insira um email válido