Carreira e Negócios

10 erros mais comuns dos pequenos empreendedores

Saber de antemão o que pode correr mal ajuda a evitar problemas futuros. Conheça, neste artigo, os 10 erros mais comuns dos empreendedores.

Carreira e Negócios

10 erros mais comuns dos pequenos empreendedores

Saber de antemão o que pode correr mal ajuda a evitar problemas futuros. Conheça, neste artigo, os 10 erros mais comuns dos empreendedores.


Numa procura por melhores condições de vida e de projetos mais desafiantes, muitos têm apostado em negócios próprios. O empreendedorismo é uma forte tendência, principalmente das camadas mais jovens e, ao que tudo indica, veio para ficar. No entanto, como em tudo na vida, a falta de experiência pode levar os empreendedores de primeira viagem a tomar algumas decisões erradas no início. Seria bom se pudesse conhecer esses problemas de antemão, correto? Continue a ler: selecionámos os 10 erros mais comuns dos pequenos empreendedores. 

Os erros mais comuns dos pequenos empreendedores

O empreendedorismo é o ato de empreender, ou seja, representa a capacidade de fazer algo novo e de diferente, seja dentro de um mercado, de uma sociedade ou de uma empresa. O empreendedor consegue identificar problemas e oportunidades e desenvolver soluções que vão ao encontro destes, criando algo positivo para o meio onde se insere. 

Porém, nem o talento, nem a iniciativa são suficientes para vingar no mundo dos negócios. Conhecer os erros mais comuns dos pequenos empreendedores pode ajudar a evitar problemas futuros para quem está a iniciar um negócio. 

Não definir objetivos concretos e mensuráveis 

Todo o negócio deve ter um plano de negócios que funcione como guia para o empresário. Este deve definir as ações e metas a ser cumpridas tanto a curto, como a médio e longo prazos. É verdade que este plano pode sofrer alterações ao longo do tempo, mas ainda assim é importante saber para onde estamos a caminhar e como lá queremos chegar. Em suma: defina objetivos concretos, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e definidos num espaço de tempo, ou seja, os também conhecidos por objetivos SMART.  

Não estar aberto a críticas e opiniões 

Alguém que está habituado a trabalhar sozinho pode ter dificuldade em ouvir outras pessoas. Mas, neste mundo dos negócios, é importante saber ouvir opiniões e críticas, principalmente antes de avançar com uma ideia nova. 

Muitos empreendedores não aceitam críticas - tentam proteger ao máximo o seu “bebé” e não estão abertos a mudanças. Isso pode ser um erro. Tenha em conta a opinião de pessoas mais experientes, procure feedback junto de clientes e ajuste a sua estratégia com base nesses testemunhos. O caminho deve ser sempre a melhoria constante, reconhecendo as falhas e reparar imediatamente o que não está a resultar. 

Gastar o dinheiro que ainda não ganhou 

Este erro é comum tanto a empreendedores como a pessoas individuais e pode acarretar problemas bastante sérios ao nível da saúde financeira. Não faça investimentos avultados por impulso, contando com determinado montante que irá receber ou não. Seja prudente e invista de forma controlada, mantendo sempre registo de todos os movimentos.

Não guardar o registo de despesas e outros documentos

No seguimento do ponto anterior, é muito importante ter um registo, seja papel, digital, ou idealmente, em ambos os formatos, de todo o tipo de documentação relacionada com a empresa. Este é um dos erros mais comuns dos pequenos empreendedores que espelha a falta de organização da pessoa. Se perder algum documento importante pode colocar em causa a viabilidade do negócio, daí ser tão importante a organização. 

Perder o controlo do fluxo de caixa

No mundo das empresas os pagamentos nem sempre são realizados no momento da transação. Geralmente são feitos a 30 ou a 60 dias e, se não estiver a par destes prazos vai acabar por perder o controlo do fluxo da caixa. Principalmente no início da vida de uma empresa, quando ainda não há um grande volume de receitas, é crucial gerir o que entra e o que sai - as despesas - bem como as devidas datas das mesmas.

Atraso no pagamento de impostos 

Não há volta a dar: enquanto empresa terá que pagar impostos ao Estado e o melhor é não se atrasar. As multas pela falta de pagamento existem e podem ser bastante duras, por isso, o melhor é não facilitar. Se tem dificuldade em lembrar-se de quando tem que pagar o quê, crie alertas no telemóvel ou no email para que não se esqueça de nenhuma data importante. 

Além disso, outro dos erros mais comuns dos pequenos empreendedores é gastar o dinheiro do IVA. Ora, como sabe, esse valor terá que ser devolvido ao Estado, portanto, para não cair na tentação de o utilizar, o melhor é colocá-lo imediatamente numa conta à parte, assim que recebe determinado pagamento. 

Misturar as contas pessoais com as da empresa 

A falta de divisão entre os bens da empresa e os pessoais leva a que os empreendedores utilizem o dinheiro da empresa sem as devidas precauções, o que pode pôr em causa a saúde financeira do negócio. Para evitar a falência não só do negócio como da família, crie uma conta em nome da empresa e defina um salário mensal para si. Todos os meses pague o seu próprio salário e utilize apenas esse valor para as suas despesas pessoais ou familiares. Tudo o resto é dinheiro da empresa e deve ser gerido tendo em conta as obrigações e os objetivos da mesma.

Não se rodear das pessoas certas

Os pequenos negócios começam, muitas vezes, com ideias que surgem em momentos de lazer, como um almoço de família ou um jantar de amigos. Primeiro há uma ideia, desenvolve-se essa mesma ideia e decide-se avançar. O problema aqui é que muitas vezes o empreendedor não se rodeia das pessoas certas e acaba por entrar num negócio com uma equipa que não possui competências, conhecimentos e aptidões necessárias para o sucesso da empresa. Como consequência, não só terá dificuldades para alavancar o negócio como poderá afetar as relações com essas pessoas, sejam amigos, família ou mesmo o seu cônjuge. 

Poupar no contabilista

Uma pessoa muito importante com a qual deve manter uma boa relação é com o contabilista. Ter um bom contabilista faz toda a diferença e, acredite, se há dinheiro bem gasto é aquele que paga ao contabilista. No início vai precisar de todo o tipo de apoio e de aconselhamento financeiro e, claro, sem experiência prévia vai-se facilmente perder no meio de tantos números e contas. O contabilista irá ajudá-lo a manter a casa em ordem e a garantir que não falha nenhum compromisso fiscal. 

Querer fazer tudo sozinho

A ideia foi sua e todo o processo nasceu do seu trabalho duro. Entretanto o negócio ganhou forma, começou a crescer mas você sente que tem que continuar a fazer tudo sozinho, caso contrário, o negócio perderá a sua identidade. Reviu-se neste cenário? É normal que se sinta protetor em relação à sua empresa, mas eventualmente precisa de ser capaz de delegar. Aceite que a outra pessoa não faz mal ou bem, faz simplesmente diferente. Se estiver constantemente sobrecarregado não vai conseguir inovar ou expandir o negócio e, o ideal, é que procure constantemente oportunidades de crescimento.

Estes são os 10 erros mais comuns dos pequenos empreendedores e que podem ter consequências muito graves na saúde financeira da empresa. Se é novo no mundo dos negócios, tome nota dos pontos abordados neste artigo e evite cometer os mesmos erros. Caso esteja a pensar em abrir uma empresa, veja neste artigo quanto custa e o que deve ter em consideração

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)