O crédito consolidado é uma solução muito procurada por quem pretende reduzir os seus encargos com créditos. Contudo, após a consolidação dos mesmos existem algumas práticas que devem ser evitadas.

Quando faz a junção de todos os créditos, convertendo-os num único crédito com melhores condições, isto pode resultar numa poupança até 60%. Porém, e apesar desta poupança significativa, é necessário adotar novos hábitos para evitar o descontrolo financeiro. 

Neste artigo, mostramos 5 coisas que não deve fazer após consolidar os seus créditos. 

Fazer um crédito

Leia ainda: Crédito Consolidado: Tudo o que precisa saber

Não entrar em incumprimento 

No decorrer do seu processo de consolidação, até ao momento da liquidação de cada um dos créditos, deve continuar a pagar as prestações destes. Ao falhar, um único pagamento que seja, pode comprometer o sucesso do seu processo, não conseguindo a sua aprovação. Mesmo após a aprovação e até ao momento de liquidação deve evitar atrasos ou faltas de pagamento, pois irão acrescer as taxas e impostos por incumprimento.

Aconselhamos também a evitar subscrever novos créditos enquanto aguarda a validação do processo.  

Não deixar de fazer contas à vida

Embora a consolidação dos seus créditos o ajude a ter uma folga extra no final do mês, não deve, nem por um momento, deixar de fazer contas à vida. Antes de adquirir o que quer que seja, pare e pense. Analise e antes de comprar veja se é algo realmente necessário à sua vida. Estas pequenas contas, juntamente com a poupança que obtém do crédito consolidado, vai contribuir (e muito) para reequilibrar o seu orçamento familiar.

Não contrair novos créditos 

Depois de conseguir reduzir o seu encargo mensal, é importante não tirar partido desse fator para contrair (ainda) mais créditos. Pois, se por um lado o acesso a mais financiamento é um beneficio do crédito consolidado, por outro lado, esta é uma forma de cair em tentação e aumentar as dívidas. E os cartões não são exceção, pois além de serem produtos com taxas de juro mais penalizadoras, tente ao máximo, no caso da utilização de um cartão de crédito fazer o pagamento a 100%. Mesmo que não esgote o plafond do cartão, se andar a pagar o mínimo (por norma, 5%), vai criar uma bola de neve e correr o risco de voltar à sequência de créditos onde se encontrava.

Não deixar de poupar 

Depois de consolidar os seus créditos poderá ter como resultado uma poupança de 60% face ao que pagava anteriormente. Contudo, esta vantagem, pode tornar-se numa desvantagem se não souber gerir esse dinheiro e não mudar os seus hábitos de consumo. Por isso, e para contornar um novo endividamento, aproveite para poupar o dinheiro resultante dessa folga mensal e se prevenir de futuros imprevistos, sem ter que contrair mais créditos.

Leia ainda: Como utilizar a poupança que conseguiu com o crédito consolidado 

Não deixe de amortizar o seu crédito 

Depois de garantir a poupança para alguma eventualidade que possa surgir, aconselhamos a aproveitar a redução da prestação para amortizar antecipadamente o seu crédito. Desta forma, vai conseguir dizer adeus a todos os seus créditos.

Se pretender, pode contar com a ajuda do Doutor Finanças para analisar o seu caso, sem pagar qualquer custo por este serviço.   

A equipa do Doutor Finanças já ajudou milhares de famílias a reduzirem os custos com os seus créditos. Faça a sua simulação para saber quanto pode poupar juntando todos os seus créditos em apenas um!