O Regresso às aulas é um evento importante na vida de crianças, pais e mães, que tem impacto no orçamento familiar. A Dica do Doutor sugere-lhe como deve preparar o regresso às aulas, sem comprometer o seu orçamento familiar.

O Regresso às aulas é um evento importante e também uma altura do ano que implica um maior esforço financeiro por parte das famílias portuguesas. Depois de uma época de férias, a maioria das famílias regressa com um orçamento familiar mais desequilibrado, pois as férias já implicaram uma despesa de lazer. Há, contudo, uma outra despesa a gerir, que é a compra de material para o ano letivo que está a começar.

Para além desta despesa, não nos podemos esquecer dos compromissos financeiros recorrentes, com as contas da eletricidade, água, telecomunicações, crédito habitação, seguros, entre outros.

Setembro pode ser um mês de maior despesa familiar.

Quando começamos a somar os custos com os livros escolares, a nova mochila, o material escolar, outros livros importantes de estudo vemos uma grande fatura. E quando acrescentamos os compromissos financeiros mensais, pensamos que necessitamos de aumentar o capital disponível.

A maioria das famílias portuguesas pensa em recorrer a um crédito pessoal. O dinheiro fica disponível, pode-se fazer as compras desejadas e depois ir pagando o empréstimo em prestações mensais.

Parece que os créditos pessoais podem ajudar a equilibrar as contas num dado momento. Mas contrair uma dívida apenas irá desequilibrar o seu orçamento familiar.

O nosso orçamento familiar é composto por receitas (dinheiro que entra em casa) e por despesas (dinheiro que «sai» de casa e que paga serviços e utilidades).

Um crédito pessoal pode entrar no orçamento como «receita», contudo, é apenas mais uma despesa que terá de ter no futuro. Todos os meses, terá a mensalidade de crédito como despesa adicional que não estava no seu orçamento antes de contrair o crédito.

Este tipo de créditos podem colocar um maior preso nos compromissos financeiros e aumentar a sua taxa de esforço. Além disso, os créditos pessoais ao consumo são os créditos com a taxa de juro mais altas, pelo que pelo valor emprestado irá pagar mais e por mais tempo.

A Dica do Doutor

A Dica do Doutor sugere que neste regresso às aulas não utilize um crédito pessoal, mas que planeie as compras que irá fazer, utilizando a poupança que tem.

Pense nas suas compras de forma consciente e prepare tudo o que irá necessitar no próximo ano. Programe as suas compras mediante a altura do ano em que o seu filho irá precisar.

Em vez de fazer as compras já para o ano todo, veja o que irá precisar primeiro. Se os seus filhos precisarem de materiais apenas no segundo período, pode alocar essa despesa para dezembro, conseguindo assim gerir melhor as suas compras.

Caso não tenha possibilidades de comprar tudo para já, poupe durante alguns meses e faça as últimas compras em época de promoções ou quando tiver mais liquidez.

Faça as compras de que necessita cumprindo os seus compromissos financeiros e sem hipotecar o seu futuro.