Finanças pessoais

5 formas de ter mais liquidez para amortizar as suas dívidas

Para que possa amortizar as dívidas de créditos ao consumo, utilize as 5 soluções que lhe sugerimos para ter mais liquidez e uma maior folga financeira.

Rui Aspas Rui Aspas , 3 Outubro 2019

É cada vez menos comum haver alguém que por um motivo ou outro não tenha dívidas, sendo as mais comuns as que estão relacionadas com os créditos pessoais e de habitação.

Saiba no entanto que existem algumas formas de regularizar dívidas de crédito ao consumo e assim começar a ter algum dinheiro para poupar e viver de uma forma mais descansada.  

Conheça 5 formas que tem ao seu dispor para regularizar as suas dívidas.  

Pague as taxas mais altas primeiro 

Todas as dívidas têm taxas de juro associadas, certo? Então comece por pagar as dívidas com a taxa de juro mais alta.

Sim, parece um contrassenso, mas se se livrar dos maiores fardos primeiro, mais rápido pode equilibrar as suas finanças pessoais e partir rumo ao desafogo financeiro.

Se tiver um crédito com uma taxa de juro de 16% e as liquidar com um cartão de crédito cuja taxa de juro associada é de 10%, pode sempre transferir parte dessas dívidas para o cartão, diminuindo assim a taxa de juro que tem de pagar. Assim, para além de conseguir pagar menos, no final ainda consegue mais tempo.  

Recorra a poupanças 

Se tem algum dinheiro de parte, deve liquidar as suas dívidas, começando pelas que têm uma taxa de juro superior. Quanto mais rápido começar a pagar as suas dívidas, mais rápido começa a economizar e a poupar para outros fins.  

Opte por recorrer a poupanças, se puder, e às suas contas a prazo ou possíveis investimentos bancários que tenha na sua carteira de cliente, para assim pagar as suas dívidas de uma forma mais eficiente e célere.  

Peça ajuda a familiares 

Costuma dizer-se que a família é a nossa fortaleza e que podemos contar com ela para todos os momentos da vida. Neste caso, outra das possíveis soluções pode passar por solicitar um empréstimo particular, podendo este pedido estender-se aos amigos mais chegados, como forma de num curto prazo. 

Essa ajuda pode ser prestada de maneira a que não deixe arrastar por muito tempo as dívidas que tenha por saldar. Apesar de se revestir na mesma de um crédito embora com outras nuances, é importante estabelecer algumas regras de cumprimento quer para quem empresta o dinheiro, quer para quem tem a obrigação de o pagar. A principal vantagem em comparação com outras relacionadas por exemplo com empréstimos bancários é de não existe tanta burocracia nem prazos de pagamento muito curtos.  

Ler mais: Emprestar dinheiro a familiares ou amigos: sim ou não?

Recorra a programas de apoio

Se precisar mesmo de um programa de apoio, não tenha vergonha de o usar. Estes programas existem para precisamente ajudar pessoas com dificuldades económicas e onde o cumprimento da dívida se torna mais complicado.  

Deve também procurar ajuda de especialistas certificados em Contabilidade e Fiscalidade, que podem rever a sua situação específica. No Doutor Finanças, como intermediários de crédito, podemos ajudar na negociação do crédito habitação e na consolidação de créditos para reduzir a sua despesa mensal.

Consolide créditos para liquidar mais rapidamente a dívida 

Para além destas opções de pagamento de dívidas que foram apresentadas neste artigo pode ainda consolidar créditos. O crédito consolidado permite que junte todos os créditos num só pagando uma taxa mais reduzida. Ao pagar menos, terá uma folga orçamental que deve ser utilizada para liquidar as dívidas de forma mais rápida. Pode assim começar a ter uma vida financeira melhor.   

Por último e apenas depois de esgotar todas as opções disponíveis, deve considerar a insolvência pessoal, sendo no entanto de evitar a todo o custo que se dê este passo pela dificuldade presente em todo este processo, bem como o desgaste emocional que lhe está inerente.  

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #amortizar dívidas

Deixar uma resposta

Um comentário em “5 formas de ter mais liquidez para amortizar as suas dívidas