Finanças pessoais

Investimento sustentável: investir e ajudar o planeta

Já pensou ser possível ganhar dinheiro e ajudar o planeta? Através do investimento sustentável pode ser possível.

Com os juros bancários baixos, cresce o interesse em encontrar formas de fazer rentabilizar o dinheiro. Investir passou a ser visto como um complemento da conta poupança, nem que seja para mitigar o efeito da inimiga das poupanças número um: a inflação. Contudo, é preciso ter em consideração que investir implica assumir alguns riscos, por outro lado, o retorno também pode ser maior.

Este pode ser um bom complemento para as suas poupanças, desde que tome sempre as suas decisões de forma consciente e informada.

Um tipo de investimento é o investimento sustentável, que tem um duplo objetivo: fazer crescer o seu dinheiro e ajudar o planeta e a sociedade. Nas próximas linhas explicamos-lhe o que é este tipo de investimento.

Leia ainda: Vamos falar sobre investimentos?

O que é o investimento sustentável?

Investimento sustentável é o nome dado a diferentes tipos de investimento que seguem critérios que não são meramente financeiros. Se para tomar uma decisão em relação a qualquer outro tipo de investimento há dois critérios em cima da mesa: o risco e o retorno financeiro para esse risco, o investimento sustentável baseia-se em mais três critérios que formam as três dimensões da sustentabilidade: ambiental, social e governança.

Assim, o investimento sustentável é também conhecido pela sigla ESG (do inglês, E - Environment, S - Social, G - Governance) que resumem, precisamente, essas três dimensões.

O que distingue este tipo de investimento?

Eis algumas características que diferenciam o investimento sustentável:

  • No investimento sustentável cada uma das dimensões ESG é avaliada, tal como acontece com a componente financeira;
  • Este tipo de investimento é tipicamente de longo-prazo. O facto de se avaliarem outros aspetos além do financeiro tem como objetivo reduzir a incerteza sobre o investimento e manter um retorno constante e sustentado no tempo.
  • Além de uma expectativa de retorno financeiro, há também a expectativa que o investimento em causa possa "fazer bem" ao planeta e à sociedade.

Como tem evoluído a aposta no investimento sustentável?

De acordo com o Instituto para o Desenvolvimento Sustentável, em 2012 o investimento sustentável representava 13,3 biliões de dólares. Já em 2018, seis anos depois, o valor sob gestão deste tipo de investimento subiu para 30 biliões de dólares. As previsões apontam para que, em 2036, o valor sob gestão destes investimentos ascenda a 150 biliões de dólares. Há várias razões para o aumento da procura por estes produtos, especialmente, nos últimos anos:

  • Maior consciencialização dos investidores sobre os problemas e riscos ambientais;
  • Melhor perceção do risco do investimento, especialmente do risco ambiental, já que não olha apenas para a componente financeira, mas tem também em conta informação não financeira;
  • Oportunidade de poder investir com um propósito e, além de um benefício financeiro, gerar também um benefício social e ambiental.

Fundos de investimento sustentável

Dentro do fundos de investimento sustentável, à semelhança dos outros fundos de investimento, há diferentes perfis de risco. Assim, dentro deste grande chapéu, há duas grandes modalidades de fundos de investimento sustentável: os fundos éticos e os fundos verdes.

  • Fundos de Investimento Ético - adotam princípios éticos na respetiva política de investimento. Por exemplo, os fundos de investimento ético têm por princípio não investirem em negócios poucos éticos como a indústria do armamento ou até dos combustíveis fósseis por causarem poluição. Também não investem em empresas que utilizem trabalho infantil ou em países que não respeitem os direitos humanos.
  • Fundos de Investimento Verde - o principal critério de investimento está relacionado com a sustentabilidade ambiental. Por exemplo, a sua política de investimentos está orientada para a transição energética sustentável, livre de combustíveis fósseis, para a reflorestação, e para o desenvolvimento de inovações verdes.

Green Bonds (obrigações "verdes")

As obrigações verdes são um dos produtos financeiros de investimento sustentável mais famosos. Como qualquer obrigação ou título de dívida são um empréstimo que os investidores fazem a troco de uma determinada taxa de juro durante um certo período temporal. No fim desse período o dinheiro é restituído ao investidor. Estas obrigações seguem o cumprimento de determinados critérios ambientais. Em geral, têm como objetivo financiar a despoluição e o desenvolvimento de energias limpas.

Social Bonds (obrigações "sociais")

As obrigações sociais também podem ter outra designação: títulos de impacto social. Este tipo de dívida têm, à semelhança das obrigações "verdes", um funcionamento idêntico a uma obrigação normal. Até podem estar cotadas e serem negociadas em bolsa. O que distingue as obrigações sociais é a sua prioridade: resolver problemas sociais mediante um retorno financeiro. Os investidores recebem de volta um valor na proporção em que o problema social que motivou a sua criação evolua.

Fundos de investimento de impacto

Os fundos de impacto, tal como as obrigações sociais procuram gerar um impacto social. Neste caso, a política de investimento deste tipo de fundos baseia-se num propósito: alcançar um determinado objetivo de impacto social. De resto, funcionam como os fundos de investimento tradicionais e apresentam diferentes graus de risco.

O que deve ter em conta para tomar as suas decisões de investimento?

Tal como em qualquer investimento, decidir investir implica conhecimento. Assim, é importante tomar a sua decisão de investimento da forma mais informada possível. Por isso, a ficha de informação técnica ou os prospetos sobre estes produtos são de leitura obrigatória. Através desses documentos ficará a par das características desses produtos, incluindo os riscos associados ao investimento. Mas, além dos riscos, há outros indicadores que merecem toda a sua atenção:

  • duração ou prazo do investimento;
  • taxa de retorno ou juro;
  • descrição pormenorizada das componentes que formam a rendibilidade do produto financeiro e a respetiva forma de cálculo;
  • entidade responsável pela emissão do produto financeiro em apreço;
  • encargos, custos e comissões associadas a esse produto financeiro.

Se quer investir, mas não tem conhecimentos ou tem dúvidas sobre o funcionamento do ativo, consulte um especialista. A recomendação é que não corra riscos desnecessários.

Leia ainda: Probabilidade de perder dinheiro na bolsa? Não é assim tão elevada

Investimento sustentável: um investimento do futuro

Podemos ver o investimento sustentável como o investimento do futuro, quer pela procura crescente que vai fazer com que cada vez mais as instituições financeiras adaptem a sua oferta, quer por permitir fazer uma avaliação mais precisa dos riscos do investimento. Além desta, há outras razões para não perder de vista este tipo de investimento:

  • Diversificação. Uma das regras de ouro dos investimentos é "não pôr os ovos todos no mesmo cesto", ou seja, investir em vários tipos de produtos. Ora, um produto financeiro ligado ao investimento sustentável pode ser uma possibilidade para o fazer.
  • Criação de valor a longo prazo. Este tipo de investimento tem como horizonte temporal o longo prazo e procura assegurar um retorno sustentado e regular. Simultaneamente, está alinhado com as preocupações ambientais e sociais que são prioridades da agenda internacional.

Leia ainda: A constituição de uma carteira de investimento

Partilhe este artigo
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)