Orçamento Familiar

5 cuidados financeiros a ter com um recém-nascido

Da saúde, à educação, neste artigo saiba que aspetos financeiros deve ter em conta com um recém-nascido e como adaptar o orçamento familiar.

Bárbara do Carmo Bárbara do Carmo , 16 Janeiro 2020

Aumentar a família implica mudanças profundas na vida a dois - muda a relação enquanto casal, muda a relação com os outros, muda a forma de estar na vida e muda a gestão financeira da família que passa a ter um novo foco - o bem estar e o futuro do bebé. 

Nesta equação tudo deve ser tido em conta, cada fração é fundamental para as contas e planos dos anos futuros. Por sabermos que as mudanças são mais que muitas, aqui no Doutor Finanças decidimos ajudar os futuros papás e esquematizar tudo aquilo que representam despesas com um recém-nascido. Afinal pais prevenidos valem por dois. 

Da saúde, à educação, nada fica de fora, neste artigo que promete ser a cábula financeira de quem quer aumentar a família.

Saúde da mãe e do bebé durante a gravidez

Talvez o mais importante, ou pelo menos a preocupação mais imediata quando se pensa em ter um filho, seja a saúde.

A gravidez é um processo longo de muitas transformações que deve ser o mais tranquila possível, para isso garanta que tem tudo o mais planeado possível. 

A primeira coisa quando pensa em engravidar, passa por fazer um seguro de saúde, caso ainda não o tenha. É importante que este seguro cubra consultas e parto (caso opte pelo privado) - tenha em conta os períodos de carência que podem ir de 6 meses a 1 ano para este tipo de cuidados de saúde. 

Procure o seguro mais vantajoso, informe-se junto de várias companhias, e pense já no bebé - um seguro cujo preço seja interessante se o estender também ao bebé. 

Outros gastos que a mãe pode controlar durante a gravidez

Além da alimentação e das consultas, as futuras mamãs têm outras preocupações. A roupa de grávida é bastante dispendiosa e se pensar bem será usada durante muito pouco tempo. Por isso, em vez de comprar, peça emprestado às amigas que já foram mães (afinal ninguém vai voltar a suar calças pré natal, depois da gravidez). Recicle a sua roupa, pode facilmente adaptar calças para grávida, levando-as a um costureiro, dependendo da estação do ano, use roupa larga (vestidos) que possa usar pós gravidez, mesmo que tenha que os apertar um pouco.

Ler mais: Vai ser mãe em 2019? Saiba como funciona a licença de maternidade

Roupas, produtos de higiene, transporte e outros gastos do dia-a-dia

Este é talvez o tópico onde é mais fácil perder a cabeça. O universo de coisas que existem para recém-nascido é incrível e absolutamente tentador. Por isso, futuros papás, não se deixem deslumbrar e mantenham os pés assentes na terra. 

Reciclagem é a palavra de ordem. A primeira coisa que deve fazer é uma lista com as coisas essenciais - berço, troca fraldas, banheira, intercomunicadores, material de amamentação (bombas, biberões, esterilizadores, etc.), carrinhos, marsúpios ou espreguiçadeiras. São algumas das coisas que podem ser essenciais a um recém-nascido.

Antes de comprar veja o que pode pedir emprestado e reutilizar. Depois disso, faça um lista, toda a gente vai querer dar um presente, mais vale que sejam coisas úteis, por isso não se acanhe neste tópico.

Em relação a produtos de higiene para o bebé, não invista muito antes do nascimento, uma vez que o que vai usar vai depender do próprio bebé. Por exemplo, se tiver pele atópica terá que usar cremes próprios, por isso não vale a pena comprar muitos cremes antes do bebé nascer. Compre o essencial, seguindo a lista que lhe vai ser entregue pelo médico. O resto virá depois. 

Um aspecto muito importante é o transporte, os carrinhos e as cadeiras para o automóvel são de facto muito caros, mas não poupe neste tópico. Invista num bom carro (mais funcional, que bonito), que possa durar até idade avançada. Nas cadeiras auto, pense sempre na segurança e aconselhe-se com os melhores. 

Roupas, fraldas e outros acessórios, estar atento às promoções é o truque. Contudo, tenha sempre em consideração os valores que está disposto a gastar, já que a roupa não dura muito tempo devido ao crescimento rápido dos bebés.

Ler mais: Como preparar financeiramente a chegada de um filho

A saúde do mais novo - pediatra, vacinas, comida e bem-estar

Depois do bebé nascer há várias coisas a ter em conta. Ter um bom pediatra que ajude em todas as dúvidas e ocasiões é fundamental para pais de primeira viagem. As inseguranças vão ser muitas, daí a importância de um bom seguro de saúde.

Informe-se no seu centro de saúde, há alguns centros de saúde que têm protocolos com maternidades e pediatras e pode ser uma forma bem acessível de ter algumas consultas grátis ou a preços reduzidos durante os primeiros meses do pequenote. 

Outro aspecto importante são as vacinas. Todas as consideradas essenciais ao bem estar da criança e da sociedade integram o Plano Nacional de Vacinação e por isso são gratuitas. No entanto, há algumas que podem ser aconselhadas pelo seu médico, como é o caso da vacina contra a varicela, contra o rotavírus (pequenas gastroenterites), ou contra a gripe.

Tenha em conta que o seu bebé pode ter alguns problemas com a amamentação. Por isso pode ser necessário ter que comprar leite em pó, cujos preços podem ser bastante pesados para o orçamento.

Outro aspecto que deve ter em atenção nas suas contas prende-se precisamente com produtos de higiene. Assim como a alimentação, a pele de um recém-nascido pode exigir muitos cuidados e a utilização e cremes dispendiosos. Por isso, considere sempre várias opções, aconselhe-se com várias pessoas, aprenda a interpretar os componentes dos cremes, em vez de se guiar pelas marcas, para não dar cabo do orçamento. 

Creche e educação

Pensar em ter um filho é pensar no futuro e ter um compromisso para toda a vida. Claro que com um recém-nascido poupar pode parecer quase uma utopia, mas procure fazer o esforço.

Retire, 20, 30, 50 euros por mês do orçamento familiar para abrir uma conta para o bebé. Sempre que receber prendas monetárias guarde-as, serão úteis para coisas das quais não vai poder fugir - como os livros, a universidade, se for caso disso, os cursos de inglês, ou até dar-lhe a possibilidade de fazer o programa ERASMUS, sem que isso acarrete um rombo no orçamento familiar. 

Para além disso, procure creches com tempo. As IPSS podem ser uma ótima alternativa, mas as listas de espera podem ser assustadoras, e ter que ir para o privado pode tornar-se a única alternativa. Por isso procure amealhar algum dinheiro para este tipo de eventualidades. Salvaguardar o futuro é sempre a chave para uma vida mais tranquila. 

Ter um bebé é sem dúvida um grande desafio - a viagem vai ser longa, dura mas muito compensadora. Por isso, respire fundo, divirta-se e acima de tudo desfrute. Boa viagem! 

Partilhe este artigo

Deixar uma resposta