A chegada de um bebé é sinónimo de felicidade, mas também significa maior responsabilidade e um aumento dos gastos, especialmente durante os primeiros meses.

Fazer um planeamento financeiro é essencial para garantir que mantém a vida financeira da família controlada e organizada. Neste artigo, falamos-lhe sobre os pontos mais importantes a ter em conta mesmo antes do nascimento do seu filho.

Os gastos durante a gravidez

Os gastos com a saúde aumentam a partir do momento em que o teste é positivo. Consultas, exames, suplementos e ecografias podem ter um grande peso no orçamento familiar, especialmente se a família optar por acompanhar a gravidez no serviço médico privado.

Ter um seguro de saúde pode ser muito vantajoso nestes casos, já que permitirá o acesso a clínicas e hospitais privados, com serviço de excelência, a um valor mais reduzido. No entanto, a maioria dos seguros de saúde implica um período de carência, pelo que, se já estiver grávida, deverá consultar as condições do seu seguro para perceber se poderá, ou não, usufruir imediatamente dos benefícios do mesmo.

Se a família optar por um parto no privado, há que, previamente, assegurar quais os valores de comparticipação no seguro, se é necessária autorização prévia do seguro e todos os procedimentos a tomar.

Após o parto, informe-se junto da seguradora sobre as condições para incluir um novo membro no plano familiar. Recordamos que os menores de 18 anos têm acesso gratuito ao Sistema Nacional de Saúde, bem como direito a um Plano de Vacinação sem qualquer custo.

A Licença de Maternidade

O ideal é que as decisões acerca da licença de maternidade sejam tomadas antes do nascimento do bebé. Informe-se sobre os seus direitos e sobre como deve proceder para requerer o subsídio parental para que, após o parto, a família esteja mais tranquila e todos os momentos sejam para desfrutar da chegada do novo membro.

A licença pode ser de 120 ou 150 dias, acrescendo mais 30 se for partilhada. Caso opte pela modalidade de 120 dias (com ou sem partilha), receberá 100% do valor de referência (explicamos como se calcula este valor neste artigo). Se optar por usufruir de 150 dias de licença, receberá 80% da remuneração de referência e se optar por usufruir de mais 30 dias partilhados, este valor sobe para 83%.

O valor de remuneração de referência é calculado com base nos valores brutos de recebimento e não inclui subsídios (de refeição, de natal ou de férias) nem bónus ou outros recebimentos complementares. Assim, profissionais cujo rendimento tenha uma grande componente variável podem ver este valor substancialmente reduzido. Ainda assim, existe um valor mínimo diário para o subsídio parental que se situa nos 11,44€.

quarto de bebé

Os gastos nos primeiros meses de vida

Mesmo antes do nascimento do bebé, há que investir em alguns itens essenciais para o receber, nomeadamente o berço, a roupa, os primeiros produtos de higiene e as fraldas. Hoje em dia, existem muitas opções no mercado, seja qual for o segmento de que falamos, pelo que o casal deve, em primeiro lugar, avaliar o orçamento disponível.

Depois de fazer as contas ao que tem para gastar, comece a pensar nas compras. Para a roupa e o mobiliário, tem opções muito em conta no mercado e pode ainda aproveitar as feiras temáticas que alguns hipermercados fazem, colocando este tipo de produtos em promoção. Tem ainda como alternativa às lojas de compra e venda de produtos em segunda mão. Hoje em dia, já existem lojas especializadas em roupas, brinquedos e mobiliário para crianças, onde pode encontrar artigos usados, mas ainda funcionais e em bom-estado, a preços bastante mais baixos.

Quanto às fraldas e aos artigos de higiene, o segredo é fazer um investimento inteligente. Aproveite as promoções dos hipermercados e compre vários pacotes de fraldas, de vários tamanhos. No entanto, tenha atenção: não exagere nas quantidades compradas pois poderá acabar por ficar com stock não utilizado. Um recém-nascido gasta, em média, 8 fraldas por dia. Tendo em conta que o tamanho mais pequeno irá servir, mais ou menos, até ao segundo mês de vida do bebé, faça as contas para evitar comprar mais do que o necessário.

Já no que diz respeito aos produtos de higiene, é pouco aconselhável que faça stock, isto porque a pele dos bebés é muito sensível e nem sempre é fácil acertar com os produtos mais indicados.

Muitos bebés nascem com pele atópica, um tipo de pele que necessita de produtos mais específicos; outros podem reagir mal a determinados aromas ou a certas composições. Por isso, o mais indicado é comprar poucas unidades de produtos de higiene para poder experimentar e ver o que funciona melhor para o seu bebé. Peça na farmácia amostras das principais marcas e teste-as nos primeiros dias para, mais tarde, comprar mais unidades da sua marca de eleição.

Os Gastos com a educação

Ainda antes de a licença de maternidade terminar, a família tem decisões muito importantes a tomar. A criança ficará em casa com um dos pais, com os avós ou um outro cuidador? Será necessário inscrevê-la num infantário?

Nas zonas de maior densidade urbana, existe uma grande procura por berçários e infantários e pode mesmo haver listas de espera para inscrição. Muitas famílias optam por, mesmo ainda durante a gravidez, visitar as principais instituições na sua área de residência e efetuar a inscrição.

Para as famílias que têm a possibilidade de manter a criança com um dos pais ou outro cuidador, esta é uma excelente opção, não só a nível financeiro, mas também porque permite evitar o contágio com as doenças virais mais comuns dos infantários. Não havendo esta opção, terá de tomar várias decisões a nível financeiro, uma vez que colocar a criança num infantário será um custo acrescido para a família. Mensalidade, transporte, alimentação e atividades extra – tudo isto terá um custo que exige uma reorganização antecipada.

Não se assuste! Ainda que os gastos de uma família aumentem substancialmente com a chegada de um novo familiar, é possível manter o orçamento controlado com organização, poupança e estratégia.