Poupança

8 dicas fundamentais para poupar neste Natal

A poucas semanas do Natal, ainda vai a tempo de conhecer e colocar em prática algumas das nossas dicas fundamentais para poupar nesta época festiva.

Adriana Cabrita Adriana Cabrita , 9 Dezembro 2019

Com a chegada de Dezembro já começa a sentir o cheirinho a Natal (para além das típicas castanhas, claro), mas não só, verdade? Sim, porque com a chegada do mês de Dezembro também se fazem sentir as despesas a aumentar e o orçamento a diminuir. No meio de presentes, brindes e fatias douradas, "sonho, sonho" era engordar só a carteira. 

Para que faça compras dentro do seu orçamento familiar, partilhamos 8 dicas fundamentais para poupar neste Natal.

1. Planeie as suas compras

Antes de avançarem com as compras de Natal, cerca de 2/3 dos portugueses informam-se sobre os produtos que pretendem comprar. 

Planear as compras não só o ajudará a poupar bastante dinheiro, como também a evitar tempo perdido em filas. Ao definir um orçamento terá a tendência de ajustar os presentes às suas capacidades financeiras.  

Muitas vezes dar uma prenda mais cara não significa que a pessoa se sentirá mais feliz. Além isso, não deve esquecer que apesar de ser Natal, deve ser responsável e evitar fazer gastos desnecessários, garantindo assim esse dinheiro não lhe fará falta para outras situações. 

Leia ainda: Este Natal, há várias formas de comprar as prendas de Natal

2. Aproveite as promoções

Aproveitar as variadas promoções ou cupões antes do Natal é ótimo para poupar e "despachar" logo o assunto das prendas, especialmente se tiver uma família numerosa. 

Saldos_compras_centro comercial_consumismo 30

A acrescentar a isso, provavelmente terá muito mais poder de escolha se comprar os presentes com antecedência, do que se esperar até meio de Dezembro para começar a fazer as compras. Ao mesmo tempo que adia este assunto, outras famílias já estarão a fazer as suas compras de Natal e quando for altura de comprar, já muitos produtos se encontrarão esgotados. 

Se planear, como aconselhamos no ponto anterior, vai conseguir aproveitar promoções como o Black Friday, o Cyber Monday ou até mesmo outras promoções pontuais.  

Embora a primeira quinzena de dezembro continue a ser o período preferido dos portugueses para fazerem as suas compras de Natal, existe uma tendência cada vez maior de antecipar essa atividade para o mês de novembro, descantando-se o dia da Black Friday, onde 68% admite vir a fazer algumas das suas compras de Natal, revela um estudo da Deloitte sobre o Natal 2019.  

É certo que muitas famílias dependem do subsídio de Natal para poderem fazer as suas compras. No entanto, se tiver a possibilidade de tratar deste assunto o mais cedo possível, verá que irá poupar muito dinheiro e tempo. 

Uma solução também poderá ser deixar adiar estas compras para o fim de dezembro, altura em que todas as lojas entram em saldos. Embora a maioria dos portugueses não considerem esta como uma opção viável, a verdade é que permite poupar muito, mas muito dinheiro. Por exemplo, pode optar por comprar apenas os presentes das crianças para a noite da Consoada e deixar o resto dos presentes para comprar depois.  

Leia ainda: Sites de descontos: vantagens e desvantagens 

3. Opte por comprar nas lojas online

Uma possibilidade para reduzir as suas despesas natalícias é optar por fazer compras online. Geralmente os preços são bastante mais em conta, além de que certas promoções só são possíveis de ser aproveitar caso efetue a sua compra online. Além disso, se fizer as suas compras online poderá utilizar comparadores de preços, que indicarão se aquele produto específico que pretende comprar, está mais barato num outro lugar.  

Consumismo_compras online

Não se esqueça que as plataformas ou sites onde pretende fazer as suas compras deverão ser confiáveis. Não ceda à tendência de comprar só porque os preços são bastante mais baratos

Segundo o estudo da Deloitte sobre o Natal 2019: “O mercado online tem vindo a crescer e prevê-se que possa representar 25% das compras de Natal feitas em Portugal em 2019. Apesar desta tendência crescente, as famílias portuguesas continuam a eleger as lojas físicas como o sítio preferencial para adquirirem as suas prendas, apontando como principais razões para esta escolha o serviço personalizado de atendimento, as políticas de devolução e uma maior confiança no método de pagamento utilizado”. 

Leia ainda: 5 regras essenciais para proteger os seus cartões em compras online 

4. Faça compras em conjunto

Muitas vezes opta-se por oferecer presentes em conjunto e aproveitar para comprar um presente mais caro. Esta é uma boa alternativa se pretender economizar e ao mesmo tempo oferecer um presente que se fosse apenas uma só pessoa a pagar, seria inviável. 

Por exemplo, se pretender oferecer uma viagem ou "escapadinha" aos seus pais torna-se algo bastante "pesado" na sua carteira. No entanto, se o custo da prenda for repartido pelos seus irmãos (caso tenha), pode ser uma ótima opção a considerar. 

5. Confecione os pratos de Natal

Uma grande fatia das despesas de Natal (cerca de 36%) são precisamente as sobremesas, bolos e refeições. Estipulasse que os portugueses devem gastar em média 141€ em comida. No entanto, mais cara ainda é a opção de encomendar comida, uma vez que paga muito mais do que se comprar e confecionaas suas refeições e sobremesas em casa

Além isso, é um bom momento para todos contribuírem e tornará o dia de Natal bem mais agradável do que passar horas intermináveis nas filas do shoppingTenha em atenção que geralmente os preços aumentam na época natalícia. Sempre que puder faça algumas das suas compras bem antes do Natal, de forma a aproveitar descontos e "fugir" à inflação dos preços. 

6. Evite pagar as compras com cartão

Uma das possibilidades para evitar gastar tanto dinheiro nas suas compras de Natal é tentar não pagar com o seu cartão de débito ou crédito. Tendo em conta que geralmente terá de fazer as suas compras em vários locais, é natural que perca a noção de quanto dinheiro está a gastar. De forma a manter o controlo sobre o seu orçamento, é aconselhável que tente pagar as suas despesas natalícias a dinheiro. 

Como sugestão extra, mas não menos importante, não compre nada a prestações. No momento em que está a recorrer a um cartão de crédito para pagar presentes ou outras despesas natalícias (tais como sobremesas ou refeições) significa que está a viver acima das suas possibilidades. É verdade que é Natal, mas o stress financeiro que estará a colocar sobre si não compensa o esforço. 

No caso de já ter vários créditos, saiba que mesmo assim pode poupar ao juntar todos num único crédito consolidado. As suas prestações podem reduzir até um 60%. 

Leia ainda: Pagar em dinheiro, cartão, MBWAY ou cheque: o que fica mais caro? 

7. Não recorra a créditos pessoais

Os riscos do crédito ligado ao consumo são mais elevados na época natalícia. Segundo dados do Banco de Portugal, o crédito ao consumo atingiu, em Julho, um recorde de 687,6 milhões de euros para novos contratos. Desde Janeiro de 2019, os valores têm sido acima dos 550 milhões de euros, mostrando que as famílias continuam a recorrer muito ao crédito este ano de 2019. 

O período atual ajuda a aumentar o consumo: a taxa de desemprego desceu, os salários mínimos e médios estão a aumentar, a banca tem mais liquidez e os juros estão mais baixos. Com mais poder de compra, as famílias recorrem aos bancos para financiarem as suas necessidades e desejos, levando a uma “euforia do consumo”

Na época natalícia, é preciso acautelar este consumo, já que é uma época tradicionalmente para gastar mais. Assim, uma altura de maior consumo com crédito com juros baixos pode criar problemas de sobre-endividamento no futuro, se as despesas e os pagamentos de juros mensais não forem pensados tendo em conta o orçamento familiar. 

Daí ser importante definir um orçamento para as férias de Natal e utilizar as poupanças para comprar as prendas a pronto, em vez do cartão de crédito, já que a dívida destas compras vai ter de ser paga nos próximos meses, bem como o crédito habitação, as utilidades, os transportes. 

Leia ainda: Crédito Pessoal: que tipos de crédito existem?

8. Utilize os cartões oferta

Se não sabe o que oferecer, pode optar pelos cartões oferta, pois são uma boa ferramenta para manter o orçamento familiar. Se, por exemplo, estabelecer o limite de 15€ por prenda, poderá comprar um cartão presente no valor de 15€. 

Além disso, a pessoa que recebe o cartão presente tem a oportunidade de ter um saldo extra que poderá gastar num presente que goste por esse valor, ou utilizar o saldo numa compra importante no futuro. Pode escolher comprar um ou vários presentes, sendo que a despesa é feita segundo o seu orçamento familiar. Além disso, se juntar vários cartões, pode comprar algo maior sem recorrer a tantas poupanças. 

Assim, oferecer um cartão presente para certas pessoas pode ter as suas vantagens: garante que cumpre o seu orçamento familiar, dá a oportunidade ao outro de utilizar o saldo num presente que queira ou numa compra no futuro próximo e pode ainda oferecer cartões não só de lojas, mas também de espaços comerciais, aumentando mais as oportunidades de gasto. 

E quanto pensam os portugueses gastar em presentes este Natal?

O Doutor Finanças foi para a rua para perceber as intenções de compras dos portugueses para este Natal 2019. Como estamos em espiríto natalício, levantamos um pouco o véu e revelamos um bocadinho do que estamos a preparar para si.

Ficou curioso? Saiba aqui as respostas dos portugueses e também as nossas. 🙂

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #dicas para poupar no natal,
  • #natal económico,
  • #poupar no natal,
  • #prendas de natal,
  • #presentes de Natal
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

3 comentários em “8 dicas fundamentais para poupar neste Natal