Finanças pessoais

9 hábitos que o impedem de poupar

Tem dificuldade em poupar? Verifique se tem algum destes hábitos e comece a mudança agora.

Finanças pessoais

9 hábitos que o impedem de poupar

Tem dificuldade em poupar? Verifique se tem algum destes hábitos e comece a mudança agora.

Poupar nem sempre é fácil, especialmente se os ordenados forem baixos. No entanto, existem pequenos hábitos que, por vezes, tornam a tarefa ainda mais difícil. Neste artigo, identificamos nove hábitos que podem estar a impedi-lo de poupar tanto quanto gostaria.

Não criar orçamento

Desde logo, o que é um orçamento? Neste caso, um orçamento familiar é um plano que visa estipular e gerir a forma como o dinheiro vai ser gasto ao longo do mês. Ou seja, a divisão dos seus rendimentos em parcelas segundo as quais vão ser gastos.

Não ter um orçamento faz com que não tenha controlo sobre as suas despesas, acabando por gastar mais do que o necessário. Muitas vezes, em coisas desnecessárias. Assim, o orçamento pode ser uma boa forma de controlar os seus gastos e garantir que não se excede.

Ter o hábito de orçamentar as suas despesas, ou seja, atribuir uma parcela monetária a cada categoria (por exemplo, supermercado, serviços básicos da casa, carro), vai fazer com que evite gastar mais do que aquilo que está estipulado. Para criar este seu orçamento pode, entre outras soluções, utilizar uma folha de Excel, uma aplicação específica de controlo de gastos, ou até, uma simples folha de papel. O importante é criá-lo e aplicá-lo.

Atenção, mesmo que os rendimentos sejam inferiores às despesas, criar um orçamento pode ajudá-lo, ainda assim, a priorizar pagamentos.

Leia ainda: Não planeia as suas compras? Estas 6 dicas de poupança são para si

Foco no salário

Um hábito que o impede de poupar é ter o seu foco apenas no salário. Isto é, ter em conta só o que ganha e habituar-se a gerir as suas despesas com esse valor, sem pôr a hipótese de obter algum rendimento extra. Mas, na verdade, ter algum tipo de rendimento extra pode permitir-lhe poupar mais e fazer face às suas despesas de forma mais tranquila. Assim, existem várias formas de obter rendimentos extra, seja por realização de certas atividades ou venda de produtos que já não usa.

Com horários de trabalho mais pesados, torna-se difícil arranjar tempo para outras atividades, no entanto para obter um rendimento extra não precisa de ser algo desgastante. Procure entre as diversas soluções que não lhe vão consumir muito tempo: ser revendedor de uma marca, preencher inquéritos online, redigir conteúdos, participar em estudos de mercado, são apenas alguns dos exemplos que tem ao seu alcance.

Leia ainda: Uma família, um salário: Ajustar para sobreviver a “situações de aperto”

Comprar por impulso

As compras por impulso são um problema recorrente. Quando vai às compras é fácil ceder à tentação de comprar certos produtos dos quais não precisa? Na verdade, existem estratégias de marketing criadas para causar esse efeito. Contudo, este hábito vai fazê-lo gastar mais dinheiro, desnecessariamente, e pode mesmo prejudicar as suas poupanças.

No que diz respeito às compras por impulso, o importante é perguntar-se: "preciso mesmo deste artigo?". Se o fizer e for sincero na resposta, vai conseguir identificar o que realmente precisa e lhe faz falta, e evitar gastar em coisas acessórias. Assim sendo, antes de ir às compras, deve preparar uma lista do que precisa e tente trazer apenas esses artigos.

Outra estratégia para resistir à tentação das compras por impulso é não ir às compras com fome, pois leva a que compre produtos de consumo rápido, muitas vezes, pouco saudáveis e mais caras.

Leia ainda: Saiba como evitar as compras por impulso

Ter demasiadas subscrições

Os serviços por subscrição vieram para ficar e têm muita procura. São simples de fazer e parecem ser todos muito úteis. Desde revistas, Netflix, Spotify, HBO, são exemplos entre de uma oferta vasta, a um preço tendencialmente acessível. Porém, sem se aperceber, de um momento para o outro, já tem um número considerável de subscrições que podem pesar e prejudicar o seu orçamento.

Comece por perceber a regularidade com que usa os produtos que subscreve e veja se compensa estar a ter um gasto, dada essa frequência. Outra estratégia que pode pôr em prática é dividir a despesa entre várias pessoas (família ou amigos). Por exemplo, se tem subscrição na Netflix e sabe que um amigo também tem, reduzam para apenas uma subscrição e dividam pelos dois a despesa, assim, ambos beneficiam do conteúdo e conseguem, ao mesmo tempo, poupar.

Leia ainda: O dinheiro parece não esticar? O que fazer para chegar até ao fim do mês

mesa posta num restaurante, um dos espaços envolvidos no IVAucher, com dois copos servidos e uma tábua de tapas variadas.

Ter o hábito de comer "sempre" fora

Comer fora é sempre um bom momento de lazer, no entanto, quando feito em demasia pode ter um efeito negativo nas suas finanças. Embora alguns restaurantes pareçam mais "em conta", especialmente quando têm menus económicos, o que gasta numa refeição fora equivale a duas ou três refeições que faria em casa. Dê preferência a refeições caseiras e guarde as idas ao restaurante apenas para ocasiões especiais. As suas poupanças agradecem.

Leia ainda: Quer poupar todas as semanas? 7 dicas para cumprir esta meta

Aumentar o seu estilo de vida sempre que recebe um aumento

O aumento salarial é algo bastante positivo, é um reconhecimento e serve como motivação. No entanto, receber um aumento de salário não significa que deva aumentar o seu estilo de vida, especialmente quando está a tentar poupar. Quando tem objetivos definidos não deve mudar a sua estratégia. Logo, se teve um aumento salarial deve reforçar as suas poupanças, nomeadamente o fundo de emergência ou a conta poupança, e não aumentar os gastos.

Leia ainda: Vai receber um aumento salarial em 2022? Saiba ajustar o seu orçamento

Não se precaver para emergências

Achar que as emergências só acontecem aos outros é um erro. Emergências podem acontecer a qualquer altura e ter diversas naturezas. Podem ser questões de saúde, desemprego, avarias com o carro, entre muitas outras. Assim, se não prevenir estas eventualidades, quando surgem, obrigam-no a gastar dinheiro que não contava gastar, o que pode abalar as suas finanças significativamente.

Assim, ter um fundo de emergência é fundamental. Quando se fala de fundo de emergência não se trata de poupanças normais, ou seja, deve haver sempre as duas coisas: um fundo de emergência para situações imprevistas e poupanças para outros fins.

Leia ainda: 8 sinais de alerta: Está na hora de aumentar o seu fundo de emergência

Usar cartão de crédito sem regras

Cartões de crédito, quando mal utilizados, são inimigos da poupança. Estes produtos financeiros podem dar-lhe uma falsa sensação de ter dinheiro. Os cartões de crédito são úteis para determinadas ocasiões e devem ser usados apenas quando necessário.

Recorde-se que a sua utilização implica que no mês seguinte pague o que gastou, ou seja, vai recair sobre a sua conta habitual. Logo, ao gastar das duas contas, vai ficar impossibilitado de pagar o que gastou em crédito, ou seja, está a criar dívidas. Por isso, ainda que os cartões de crédito tenham benefícios, seja prudente ao utilizá-los.

Leia ainda: Tem dívidas em cartões de crédito? 7 dicas para recuperar a estabilidade

Não pensar no futuro

Tendemos a viver apenas para o presente e a esquecer o futuro, nomeadamente no que diz respeito a pôr dinheiro de lado. Neste tópico, estão inseridas as diversas soluções de poupança a longo prazo. Uma forma simples de começar a poupar para o seu futuro é colocar de parte uma parcela dos seus rendimentos todos os meses e deixá-la intocada. Deve decidir este valor, embora seja aconselhado que seja 10% do montante auferido.

Por fim, uma outra solução de poupança a longo prazo é fazer um PPR (Plano de Poupança Reforma). Trata-se de um produto financeiro criado para promover a poupança a longo prazo, especificamente para a altura da reforma.

A diferença entre estas duas formas de poupança é o facto de o PPR ser mais restrito quanto à movimentação do capital, uma vez que, só pode resgatar esse valor em situações específicas, como em caso de doença grave ou quando atine a idade estabelecida para a reforma, entre outras.

Conluindo, poupar é algo que está, de facto, ao alcance de todos. Com a alteração de pequenos hábitos é possível colocar dinheiro de lado de forma mais frequente e duradoura.

Leia ainda: Desmotivador de Compras, uma ferramenta útil (faça a sua simulação)

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.