Bem-estar

Dicas para estudantes que vão para uma universidade fora da sua cidade

Conheça 8 dicas para estudantes que vão para uma universidade fora da sua cidade de residência. Descubra também como poupar neste período.

Bem-estar

Dicas para estudantes que vão para uma universidade fora da sua cidade

Conheça 8 dicas para estudantes que vão para uma universidade fora da sua cidade de residência. Descubra também como poupar neste período.

No ano passado, em Portugal, estavam inscritos no primeiro semestre de estabelecimentos do ensino superior quase 400 mil alunos, segundo os dados publicados pela DGEEC, Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência. No entanto, muitos destes estudantes vão para uma universidade fora da sua cidade, e têm que lidar com inúmeras responsabilidades que até então eram assumidas por outros membros da família.

E caso esta seja uma realidade que está prestes a conhecer, é importante que se prepare para lidar com algumas responsabilidades financeiras e de gestão. Para o ajudar neste sentido, de seguida, fique a conhecer oito dicas para estudantes que vão para uma universidade fora da sua cidade. Saiba como fazer um levantamento das despesas que tem pela frente, como se candidatar a uma bolsa de estudos ou como deve gerir a mesada dada pelos seus pais. Descubra ainda neste artigo outras dicas que podem ser úteis nesta nova fase da sua vida.

1 - Se vai estudar numa universidade fora da sua cidade faça um levantamento de despesas

Estudar numa universidade fora da sua cidade poderá ser uma experiência única, principalmente se for a primeira vez que está por sua conta. No entanto, é importante que esteja consciente que esta é uma nova fase na sua vida onde terá mais responsabilidades. Ou seja, para além dos estudos, ao estar longe de casa terá de gerir bem o seu dinheiro e lidar com várias tarefas e obrigações. 

E para que o seu dinheiro chegue para cobrir as suas necessidades, é fundamental que faça um levantamento de todas as despesas que terá que suportar mensalmente. Embora muitos pais ajudem financeiramente os seus filhos nesta fase, a verdade é que o peso da gestão financeira estará em parte nas suas mãos. E por isso, precisa de saber exatamente quais são as despesas essenciais, qual o valor que precisa para pagá-las e o que sobra para outro tipo de despesas.

Alojamento para estudantes: qual a melhor opção e a mais barata?
Ler mais

Dito isto, pode começar a fazer este levantamento pelas suas primeiras necessidades, por ordem de importância. Por exemplo, se vai estudar fora da cidade precisa arranjar um sítio para ficar. Aqui é importante estar a par de quanto pode ser gasto, para ver que soluções existem para si, quer seja em residências universitárias, apartamentos ou quartos. Conforme a localização do seu alojamento, pode ter de adicionar à sua lista de despesas a compra de passe de transporte ou despesas relativas a outro veículo que pretenda usar. 

Não se esqueça que na hora de escolher o tipo de alojamento, se optar pelo arrendamento, deve ter em conta se as despesas mensais da eletricidade, água, gás e internet estão incluídas no valor da renda. Caso não estejam, deve fazer uma estimativa de quanto irá gastar nestes serviços, mesmo que as despesas não sejam fixas.

Além disso, deve fazer contas aos valores que poderá gastar em alimentação, às despesas que terá com os seus estudos, e claro, as despesas não essenciais, que irão cobrir os jantares com amigos ou saídas noturnas.

2 - Tente obter uma bolsa de estudos para ir para a universidade fora da sua cidade

No caso da sua família ter algumas limitações financeiras que dificultem a possibilidade de estudar fora da sua zona de residência, é essencial que na hora da candidatura ao ensino superior assinale a necessidade de uma bolsa de estudo da DGES. Embora seja necessário apresentar alguma documentação e cumprir os diversos critérios definidos, se tiver direito a uma bolsa de estudo, as encargos que terá de suportar podem diminuir consideravelmente.

Claro que o dinheiro da bolsa de estudos não irá cobrir todas as suas despesas. No entanto, esta é uma ajuda preciosa para os estudantes com menos recursos financeiros. Por isso, informe-se com antecedência no site da DGES e requisite as credenciais necessárias para submeter a sua candidatura a uma bolsa de estudo universitária.

Se for um estudante com um excelente aproveitamento, outra das opções é informar-se junto da instituição de ensino superior sobre as bolsas de mérito. Ao contrário do que acontece com a bolsa de estudos de cariz social, a bolsa de mérito não está relacionada com a sua situação financeira e sim com as suas notas. Muitas instituições de ensino superior, públicas e privadas, têm verbas para apoiar alguns estudantes com um aproveitamento excecional. E se este for o seu caso, então não hesite em perguntar se a instituição oferece este tipo de apoio e quais são os critérios de atribuição.

Ler mais: 4 Passos para conseguir uma bolsa de estudo do ensino superior

3 - Procure sempre um alojamento de acordo com as suas possibilidades

Para além das propinas, o alojamento é uma das despesas mais elevadas que terá que suportar na sua ida para o ensino superior. Logo, esta é uma escolha que requer alguma ponderação quando se vai estudar para outra cidade.  

7 dicas para preparar a candidatura à faculdade
Ler mais

Uma das soluções mais atrativas para quem está nesta situação é conseguir um alojamento nas residências universitárias da própria instituição de ensino superior. Por norma, os preços são mais atrativos, muitas das despesas estão incluídas no valor da mensalidade e a localização pode ser bastante vantajosa. No entanto, nem sempre é fácil conseguir uma vaga neste tipo de alojamento, devido às poucas vagas existentes e à prioridade que é dada a alunos com bolsa de estudo. Contudo, não perde nada em informar-se sobre os procedimentos e prazos da candidatura, de forma a submetê-la de acordo com as regras impostas pela instituição. 

Mas caso esta opção fique fora da equação, então é importante que esteja a par dos preços que poderá ter que pagar por um alojamento. Consoante a cidade, pode ser mais vantajoso optar por residências privadas de estudantes, apartamentos divididos com outros alunos ou o aluguer de um quarto

Não se esqueça que esta pesquisa deve ser feita com antecedência, de forma a não ficar sujeito a opções menos vantajosas para si. Fale com a sua família e juntos definam um orçamento para pagar o alojamento na nova cidade. É muito importante que a pesquisa por soluções de habitação seja realizada de acordo com o valor que pode suportar. Esta é uma ótima forma de evitar problemas financeiros mais à frente, que podem mesmo condicionar a sua estadia em outra cidade. 

Ler mais: Tem dúvidas na profissão que deve seguir? Conheça 10 dicas para escolher a carreira certa para si

4 -  Antes de ir para uma universidade peça conselhos a outros estudantes

Ao ir viver para uma nova cidade é normal que desconheça a realidade dessa zona, seja a nível habitacional, de empregabilidade ou até em termos de qualidade de vida. No entanto, hoje em dia é fácil ficar com uma ideia do que poderá encontrar, se pedir conselhos a outros estudantes que estejam numa situação igual à sua.

Dito isto, antes de se mudar, recorra às redes sociais e a fóruns de estudantes ligados à universidade onde irá estudar e coloque as suas dúvidas. Por norma, existem alguns fóruns e grupos bastante ativos, onde estudantes veteranos ajudam os novos alunos a esclarecer diversas questões, a nível de alojamento ou a ter uma ideia das despesas que terão que suportar. Além disso, esta é uma ótima oportunidade para ficar a par da opinião de outros estudantes em relação à universidade e até conhecer futuros colegas.

5 - Se tem uma mesada, é hora de melhorar a sua gestão

Como temos referido ao longo deste artigo, estudar fora da sua cidade representa um esforço financeiro para o orçamento da sua família. E por isso, caso tenha uma mesada para fazer face às suas novas despesas, é importante que aprenda a gerir o seu dinheiro de forma inteligente. Afinal, não vai querer que antes do fim do mês o saldo da sua conta esteja a zero.

No caso de ter feito um levantamento das despesas que terá de suportar antes de ir para universidade, o melhor é olhar para esses valores e confirmar se estão corretos. Depois de atualizar estes dados é hora de fazer o seu primeiro orçamento familiar. Ou seja, vai colocar numa folha Excel ou numa aplicação que permita gerir o seu dinheiro, o valor que tem de mesada e todas as despesas que terá de suportar. Esta é uma forma simples para perceber se tem dinheiro necessário para fazer face às suas despesas ou quanto vai sobrar ao final do mês.

Lembre-se que para ter uma noção mais exata do valor que sobra, precisa de colocar no seu orçamento os micro gastos habituais (cafés, bolos, etc.) e até os luxos que não está disposto a abdicar. Caso contrário corre o risco de ter uma surpresa desagradável ao ver o saldo da sua conta e nem perceber como é que o dinheiro desapareceu. 

Se a sua mesada for superior às suas despesas, é importante que reserve algum dinheiro para cobrir despesas imprevistas que possam surgir. Se seguir o seu orçamento à risca não só ficará mais descansado financeiramente, como saberá o valor exato que pode gastar nas diversas situações.

6 - Aprenda a poupar sempre que seja possível

Para a maioria dos estudantes, é normal que o orçamento disponível seja bastante limitado e não consiga cobrir um estilo de vida mais dispendioso. Por isso, aprender a poupar, sempre que seja possível, é essencial para diminuir o valor de algumas despesas e ganhar uma folga no seu orçamento.

Por exemplo, a alimentação fora de casa pode ter um peso excessivo no seu orçamento. E caso pretenda poupar algum dinheiro, a melhor opção é optar por planear as suas refeições e confecioná-las em casa. Lembre-se que as idas ao supermercado também devem ser realizadas com algum cuidado, para não gastar mais do que precisa.

Ler mais: Um guia para poupar no supermercado: melhores compras, mais poupança

Já em termos de gastos com materiais escolares e livros, deve pensar no que realmente é essencial para si.  Ou seja, existem materiais e livros que não são obrigatórios, e por isso nem sempre terá de comprar tudo aquilo que é recomendado. Na biblioteca da universidade, muitas vezes, estão disponíveis alguns dos livros que os professores recomendam. Quanto ao material tente informar-se com outros colegas mais velhos do que realmente é essencial para cada disciplina. No caso de ter mesmo de comprar alguns materiais, analise os preços praticados na papelaria da universidade com outras superfícies.

Se nas mais variadas situações pensar em alternativas mais económicas, provavelmente chegará ao final do mês com mais dinheiro ou terá a capacidade de cobrir todas as suas despesas sem problemas.

Ler mais: O guia de poupança para estudantes universitários

7 - Se precisar de um rendimento extra veja que soluções existem na zona

No caso do seu orçamento ser muito limitado e não conseguir cobrir todas as despesas que tem pela frente, provavelmente vai precisar de um rendimento extra. Ser trabalhador-estudante é uma realidade muito comum, e pode ser vantajoso para perceber algumas das suas caraterísticas enquanto trabalhador.  Para além disso, este será o seu primeiro contacto com o mercado de trabalho, e por norma, é um período de aprendizagem que irá guardar na sua mente.

Contudo, em algumas zonas do país, podem existir mais limitações na hora de arranjar um emprego que consiga conciliar com os seus estudos. E por isso, antes de se mudar, veja que soluções existem naquela zona, seja no comércio local, nos centros comerciais ou até nas empresas locais. Pode recorrer aos sites de emprego on-line para ficar com uma noção das vagas que existem, mas também pode perguntar a outros estudantes em que áreas é mais fácil arranjar emprego. 

Ler mais: Trabalhador-estudante: Como ganhar dinheiro enquanto se estuda?

8 - Conheça bem a zona antes de ir para uma universidade fora da sua cidade

Por último, se tiver possibilidades, visite mais do que uma vez a cidade para onde vai estudar. Estas visitas são uma grande ajuda para perceber se esta é uma boa escolha para si ou se poderá encontrar algumas dificuldades de adaptação por não se identificar com a zona. Mas para não fazer juízos de valores precipitados, é importante que faça alguns passeios pelo centro, visite a universidade e os sítios onde costumam ir a maioria dos alunos. Veja também alguns pontos turísticos, mas não se esqueça de conhecer os arredores da cidade.  

E porque é que deve visitar os arredores? Porque na maioria das cidades, o alojamento fica mais barato fora dos grandes centros urbanos, e pode encontrar soluções mais atrativas de habitação. Contudo, não se esqueça que ao morar mais longe da universidade, precisa de gastar dinheiro em transportes e as deslocações serão mais demoradas. E para analisar todos os prós e contras é importante que faça contas às despesas que terá, mas também às distâncias que terá de percorrer.

Estudar numa universidade fora da sua cidade implica alguns sacrifícios financeiros e pessoais. E por isso mesmo, esta é uma decisão importante que não deve ser tomada de ânimo leve. Pese sempre todos e prós e contras, para que possa desfrutar da sua vida académica e ter sucesso nos seus estudos.

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)