Orçamento Familiar

8 micro gastos que deve ter em atenção no orçamento familiar

Saiba o que são micro gastos e porque deve inclui-los no seu orçamento familiar. Conheça as 8 despesas que são esquecidas na hora de gerir as suas finanças.

Natacha Figueiredo Natacha Figueiredo , 3 Janeiro 2020 | 1 Comentários

Os micro gastos nem sempre são vistos como despesas a registar no planeamento do orçamento familiar mensal. Isto porque quando definimos um orçamento, a tendência passa por registar as despesas com maior impacto financeiro. No entanto este método acaba por trazer algumas incongruências nas contas finais.

Neste artigo apresentamos 8 micro gastos que deve ter em conta no seu orçamento familiar, e o impacto financeiro que estes podem ter anualmente.

O que são micro gastos mensais?

Os micro gastos são despesas ou compras de baixo valor, por exemplo abaixo dos 10 euros, que temos mensalmente. Por norma não adicionamos estas pequenas despesas ao nosso orçamento familiar por termos consciência que as conseguimos pagar.

Na maioria dos casos, as pessoas olham para micro gastos como uma pequena compra sem qualquer tipo de impacto financeiro. No entanto, se fizermos as contas, estas despesas têm um peso financeiro significativo anualmente. Por isso é importante controlar os micro gastos, e inseri-lhos no nosso orçamento familiar para melhorarmos a nossa gestão financeira.

Ler ainda: Pequenos hábitos que o ajudam a poupar (dinheiro e tempo!)

8 micro gastos a ter em atenção no seu orçamento familiar

Conheça 8 micro gastos que não costumam estar presentes no orçamento familiar das famílias portuguesas, e representam uma despesa financeira significativa a longo prazo.

1 - O consumo diário de café fora de casa é um dos micro gastos mais comuns nas famílias portuguesas

Embora cada vez mais os portugueses optem por consumir café em casa, muitas pessoas consomem no mínimo um café por dia na rua. Esta pequena despesa que ronda os 0,60 euros não tem um grande impacto financeiro no dia a dia. Mas se analisarmos a despesa com o café a longo prazo, esta tem um custo mensal de 18 euros, e de 216 euros ao ano.

O consumo de café na rua é um exemplo perfeito do peso financeiro de um micro gasto a longo prazo. As despesas inferiores a um euro, quando realizadas de forma regular, tem um impacto financeiro significativo e devem ser incluídas no orçamento familiar.

2 - As cápsulas de café são uma despesa mensal regular e nem sempre são incluídas no orçamento

Segundo um estudo da Marktest em 2017, mais de 5 milhões de portugueses consumiam café através de cápsulas. Estes dados indicam que as cápsulas de café são uma compra comum nas famílias portuguesas.

Capsulas de café

O preço de uma embalagem de cápsulas de café varia consoante a marca e o tipo de máquina de café que temos. Supondo que uma embalagem custa 2,5 euros, e por mês compra três embalagens, esta despesa ronda os 7 euros por mês. No caso de uma agregado familiar maior ou se bebe no mínimo dois cafés por dia, esta despesa pode rondar os 14 euros.

No final do ano, o custo das cápsulas de café representa uma despesa entre os 84 a 168 euros. Por isso é importante adicionar este micro gasto no seu orçamento familiar, pois acaba por ser um hábito de consumo que pode ser inserido nos gastos familiares.

3 - Portagens: É preciso estar atento para não ter uma desagradável surpresa ao final do mês

As portagens, sejam estas pagas por débito direto mensal na sua conta bancária ou não, podem representar uma despesa mensal mais elevada do que aquilo pensa. As pessoas que pagam portagens regularmente devem fazer contas a estes pagamentos de baixo valor, através dos recibos ou da aplicação do serviço contratado.

Se pagar 1,50€ sempre que vai trabalhar, ao fim de 22 dias tem uma despesa de 33 euros. Por isso deve fazer um acompanhamento destes pagamentos ao longo do mês ou fazer uma estimativa aproximada do valor gasto mensalmente, e inserir o mesmo no seu orçamento.

Leia ainda: Pagamentos de portagens: onde e como fazer?

4 - As despesas com as contas bancárias também são micro gastos com um peso significativo no orçamento ao final do ano

Muito se fala nos últimos tempos sobre as despesas de manutenção das contas bancárias. Até há uns anos atrás, este tipo de despesa era visto como o valor que tinha que ser pago, mas não era muito comum analisar o seu peso financeiro anualmente.

Com o aparecimento das contas que não têm custos de manutenção ou as contas bancárias de serviços mínimos, muitas pessoas começaram a considerar esta despesa. Se o custo de manutenção mensal rondar os 5 euros, ao final do ano terá uma despesa de 60 euros sem contar com a anuidade. No caso de ter a sua conta aberta há pelo menos 5 anos, no mínimo deve ter gasto cerca de 300 euros em manutenção.

Nem todas as pessoas têm interesse em alterar a sua conta bancária para um serviço com um preço reduzido ou nulo. No entanto é importante estar consciente dos custos que têm com a sua conta bancária a longo prazo.

5 - Lanches e petiscos representam uma despesa maior do que aquilo que pode imaginar

Por maior que seja o cuidado que temos com as nossas finanças pessoais, por vezes acabamos por ter pequenos gastos que não são orçamentados. Os lanches e petiscos diários de pequeno valor, como a compra de bolo, uma sandes ou sumo no café, podem ter um peso mais elevado na sua carteira do que aquilo que pensa.

pequeno almoço_2

Se gastar 2 euros em lanches e petisco ao longo de um dia de trabalho, no final de 22 dias terá gasto 44 euros. Se multiplicar este valor por 12 meses, vai descobrir que gastou 528 euros num ano em lanches e petiscos.

Uma forma eficaz de evitar esta despesa no seu orçamento é trazer os seus lanches e petiscos de casa. Caso não pretenda reduzir esta despesa na sua totalidade, pode alterar os dias em que compra o lanche fora, com os que traz de casa, reduzindo a despesa para metade.

Leia ainda: Três hábitos que pode mudar para poupar 40 mil euros

6 - Os jogos de sorte, quando representam um investimento regular, não devem ser descartados do orçamento familiar

Segundo o Jornal Económico, em 2018 os portugueses gastaram em média 8,5 milhões de euros por dia em jogos de sorte. Este número revela que muitas famílias portuguesas investem um valor muito significativo neste tipo de apostas.

Por isso é necessário que este tipo de despesa seja analisada e considerada no orçamento familiar, de forma a conseguir controlar os gastos que está a ter. Os jogos de sorte trazem com eles uma certa dependência que deve ser tida em consideração. Ao orçamentar um valor para este tipo de despesa estará a prevenir os gastos desmedidos e efetuados por impulso.

Se por semana gasta no mínimo 5 euros em jogos de sorte, esta despesa irá rondar os 20 euros mensais. No final do ano terá gasto 240 euros em apostas. Para estas apostas compensarem, no mínimo teria que ganhar 250 euros em prémios ao longo do ano, o que na maioria dos casos não se verifica. Faça as contas a estes gastos, e analise se compensa manter esta despesa de forma regular.

Leia ainda: Ganhei a lotaria, o que tenho de pagar?

7 - Os "mimos" que compra para os seus filhos ou para si também são um micro gasto a ter em conta

Quando falamos em "mimos" que compra para os seus filhos, estamos a falar daquele brinquedo barato que não passa dos 5 euros, dos doces que lhe compra quando vão as compras, entre outras coisas. Estas despesas não têm que ser extintas para existir uma boa gestão, apenas devem ser orçamentadas para ter um maior controlo sobre estes micro gastos.

Se por mês gastar cerca de 30 ou 40 euros neste tipo de despesa para os seus filhos, inclua este valor no seu orçamento familiar. O mesmo se aplica nos "mimos" que compra para si ou para a sua casa.

8 - Não se esqueça das subscrições online, mensais, de baixo valor

É cada vez mais comum existirem despesas com subscrições online, sejam estas de jornais, publicações ou de serviços de streaming. Embora na maioria dos casos estas despesas não ultrapassam os 10 euros mensais, a menos que tenham subscritos vários serviços, deve saber que elas têm um pequeno impacto nas suas finanças.

A maioria das subscrições online são descontadas automaticamente da sua conta bancária mensalmente, por isso é fundamental que registe estas despesas no seu orçamento familiar.

Nota final sobre os micro gastos

Depois de incluir todos os micro gastos no seu orçamento familiar passará a ter o conhecimento real da totalidade das suas despesas. Desta forma será mais fácil gerir as suas finanças, e conseguir perceber quais são os gastos que pode cortar ou diminuir para conseguir aumentar as suas poupanças, e melhorar a sua saúde financeira.

Caso não esteja totalmente satisfeito com a planificação dos seus gastos, pode ler o nosso artigo sobre os erros mais cometidos na gestão do orçamento familiar de forma a melhorar a sua gestão financeira.

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #finanças pessoais,
  • #micro gastos,
  • #orçamento familiar
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

Um comentário em “8 micro gastos que deve ter em atenção no orçamento familiar