Finanças pessoais

Quer investir parte da sua poupança? A informação é a chave do sucesso

Gostaria de investir uma parte da sua poupança, mas não sabe nada sobre investimentos? Conheça algumas dicas que o podem ajudar.

Finanças pessoais

Quer investir parte da sua poupança? A informação é a chave do sucesso

Gostaria de investir uma parte da sua poupança, mas não sabe nada sobre investimentos? Conheça algumas dicas que o podem ajudar.

Se está a pensar investir uma parte da sua poupança, mas sente-se inseguro por não ter conhecimentos para o fazer, talvez ainda seja prematuro tomar essa decisão. E isto porquê? Porque investir o seu dinheiro requer alguns conhecimentos, de forma a criar uma boa estratégia para atingir os seus objetivos financeiros.

Mas, caso ainda esteja a tentar perceber como funcionam os investimentos e o que deve ter em atenção, neste artigo vamos mostrar-lhe que tipo de informação deve procurar.

Poupança vs Investimento: distinga estes conceitos

Muitas pessoas tendem a confundir estes dois conceitos, visto que em muitos casos eles andam de mãos dadas. Mas a verdade é que quando falamos de finanças pessoais, poupar e investir são conceitos distintos.

Por exemplo, quando falamos em poupar, estamos a falar de uma estratégia financeira que requer um controlo dos nossos gastos. Ao decidirmos que vamos poupar algum dinheiro, optamos por não gastar o mesmo em prol de um objetivo futuro definido. O que quer dizer que numa poupança estamos a guardar o nosso dinheiro. Por exemplo, se guarda o seu dinheiro numa conta poupança está a poupar, mesmo que no final beneficie de alguns juros.

Muitas pessoas optam por colocar o dinheiro que amealharam em produtos financeiros com um risco reduzido, neste caso trata-se de um investimento. Claro que em termos de rentabilidade, quanto menor o ricos menor o retorno, mas a possibilidade de vir a perder as suas poupanças também é muito baixa.

Assim, quando falamos em investir, falamos da intenção de gerar mais dinheiro. No fundo, um investimento tem como base maximizar o nosso capital inicial ou rentabilizar as nossas poupanças. Este é um conceito que está sempre ligado à multiplicação do seu capital, embora traga consigo riscos de perda, principalmente quando o investimento é de elevado risco. Por isso, antes de investir perceba se o produto que está a escolher se adequa ao seu perfil do investidor.

Vamos agora analisar sete coisas que deve saber antes de investir uma parte da sua poupança:

1 - É essencial estar bem informado antes de começar a investir

Estar bem informado antes de começar a investir é uma das principais chaves do sucesso para atingir os seus objetivos financeiros. Ao aumentar a sua literacia financeira, não só vai conseguir definir melhor as suas estratégias e objetivos, como também vai permitir tomar decisões de investimento mais conscientes.

Numa primeira fase, pode ser interessante recolher informações sobre diversos produtos financeiros junto de entidades bancárias da sua confiança. Se tem gestor de contas em quem confie, fale abertamente sobre as suas ambições. Desta forma o seu gestor pode apresentar-lhe produtos financeiros que sejam adequados aos seus interesses. Outra solução é procurar formações específicas para investidores, junto de profissionais especializados na área. Embora este tipo de conhecimento tenha um custo associado, neste tipo de formações pode aprender diversas estratégias que vão permitir ter uma visão alargada das suas possibilidades dentro daquilo que pretende.

Independentemente do caminho que escolher para começar a sua jornada de investimento, nunca tome uma decisão sem antes consultar toda a informação sobre o ativo pretendido. Em caso de dúvida, peça informações ao seu intermediário financeiro, visto estes terem que disponibilizar todas as informações sobre os ativos. Se as dúvidas persistirem, o melhor é não investir nesse produto e procurar um ativo com um grau de complexidade menor.

Leia ainda: 5 razões porque deve investir na sua educação financeira

2 - Descubra qual é o seu perfil de investidor

No mundo dos investimentos existem diversos produtos financeiros, com menor ou maior complexidade. A juntar a complexidade do investimento existe a rentabilidade, o risco e os prazos associados. Por isso, deve perceber qual o seu perfil de investidor. O perfil de investidor é definido segundo alguns critérios, como por exemplo:

  • Os conhecimentos que detém em investimentos;
  • A sua experiência enquanto investidor;
  • A sua apetência para correr riscos ou conhecimentos que tem sobre estes;
  • Qual o montante ou a percentagem do valor que pode suportar numa perda;
  • Entre outros detalhes que possam ser relevantes.

Depois destes fatores serem analisados, por norma chega-se à conclusão de qual é o perfil do investidor. Os perfis de investidor mais conhecidos são: os perfis conservadores, os moderados, os dinâmicos e por fim, os arrojados.

Caso peça ajuda para a definição do seu perfil de investidor e não concordar com a mesma, o melhor é pedir que lhe seja explicado o porquê dessa atribuição. Em caso de não estar satisfeito, não avance com um investimento. Mais vale procurar outro intermediário financeiro ou pedir uma nova avaliação.

negociador a falar com o seu cliente

3 - Defina objetivos e o montante que vai investir

Ainda antes de começar a investir uma parte das suas poupanças vai precisar de definir os seus objetivos e o montante que está disposto a aplicar em produtos financeiros. Nesta fase é importante estabelecer qual o prazo do investimento, pois vai ter que escolher produtos que podem ter rentabilidades a curto, médio e a longo prazo.

Para além do prazo e da própria rentabilidade do produto financeiro, é importante questionar-se se valoriza um produto que permita a mobilização antecipada do capital. Isto, porque caso não possa mobilizar o mesmo, deve definir qual o montante que não vai precisar durante o prazo estipulado desse ativo.

Por fim, é importante que esteja a par que produtos financeiros com maior rentabilidade, por norma estão associados a prazos mais longos e a uma menor liquidez. Caso o seu objetivo seja, a curto prazo, ter acesso a uma maior liquidez, é importante ter consciência que a rentabilidade do mesmo será menor.

4 - Pergunte-se sempre se esse investimento é certo para si

Quando falamos de investir uma parte das nossas poupanças é normal que exista alguma incerteza na hora de aplicar o montante definido. A maioria das pessoas pretende conseguir uma boa rentabilidade do seu dinheiro em troca do menor risco possível. E uma das chaves para o sucesso no mundo dos investimentos é conseguir detetar entre vários ativos qual é a melhor relação entre o retorno e o risco.

Contudo, é importante saber que o mundo dos investimentos não é uma ciência exata. Por exemplo, imagine que conhece alguém que investiu num produto financeiro no passado e conseguiu ter uma ótima rentabilidade. Esse facto não lhe garante que ao investir nesse mesmo produto venha a ter a mesma rentabilidade.

Já no caso de estar a pensar investir um pequeno montante, deve informar-se antecipadamente sobre os custos associados às comissões de gestão. Pois os lucros que conseguir gerar podem não ser suficientes para cobrir estas comissões, e acabar por não ser uma boa escolha de investimento.

Por isso, numa fase inicial aconselhamos a pedir ajuda de um profissional especializado, de forma a ter uma maior noção de todos os prós e contras de cada investimento para o seu caso concreto.

5 - Ao decidir investir uma parte das suas poupanças pense se pode suportar a perda

Como já referimos neste artigo, todos os investimentos trazem riscos associados. E, por norma, quanto maior é a rentabilidade de um produto financeiro mais elevado é o risco. Por isso, antes de investir deve sempre ponderar qual é o valor que pode suportar numa perda.

Idealmente, antes de começar a investir deve garantir que uma parte das suas poupanças estão guardadas num fundo de emergência. Ao ter a sua vida financeira equilibrada e com um fundo de emergência que permite cobrir as suas despesas no mínimo por seis meses, então é possível aplicar o resto das suas poupanças em investimentos. Ao saber exatamente qual é o valor que pode suportar em perdas, sabe que se algo correr mal vai manter a sua vida financeira equilibrada. Claro que um cenário de perda não é desejado por nenhum investidor, mas sempre existem riscos associados. A possibilidade existe e deve ter consciência de tal.

6 - Diversificar pode ser a melhor solução para investir uma parte da sua poupança

No mundo dos investimentos fala-se muitas vezes sobre a chave do sucesso passar por diversificar os investimentos. Mas afinal, porque é que diversificar é uma boa opção? Porque ao ter uma carteira com produtos financeiros diversificados, não só garante um maior equilíbrio, como diminui o risco do seu investimento. Ou seja, ao investir em produtos diferentes, de mais que um sector, com prazos e riscos distintos, caso existam perdas estas podem ser diluídas no saldo positivo de outros investimentos.

Além disso, ao distribuir as suas poupanças em vários tipos de ativos que não estão relacionados vai conseguir potenciar a rentabilidade dos seus investimentos. Por isso, tenha em mente estes conselhos de forma a criar uma estratégia que garanta alguma estabilidade ao tipo de investimentos que pretende fazer.

7 - Perceba o que influencia o risco de um investimento

Por último, antes de começar a investir uma parte das suas poupanças é essencial perceber o que influencia o risco de um investimento. De uma forma simples, existem vários fatores que influenciam um risco de um investimento, no entanto podemos indicar-lhe três exemplos:

  • Globalização dos mercados financeiros: Se um mercado financeiro tiver uma quebra, esta pode ter um impacto noutro mercado. Por exemplo, se existirem recessões económicas, quebras de índices de confiança económicas ou mudanças estruturais económicas, estas podem ter um impacto em diversos ativos.
  • A complexidade de um produto financeiro: Os produtos financeiros complexos podem trazer bastantes riscos associados. Afinal, estes produtos são de difícil análise, onde é complexo perceber o risco real do investimento.
  • A rentabilidade do ativo no prazo estipulado: Quanto maior for a rentabilidade de um produto num prazo menor, maior é o risco associado a este investimento.

Estude o mundo dos investimentos

Se já tomou a decisão que quer investir uma parte das sua poupança para maximizar o seu dinheiro, então é hora de estudar a fundo o mundo dos investimentos. Dito isto, recolha o máximo de informação sobre o produto que pretende investir, assegure-se que as suas fontes são fidedignas e analise o histórico da cotação ou o atual contexto do produto e mercados.

Para além disso, esteja a par das opiniões de especialistas e informe-se sobre o que influência o preço do ativo. Caso precise de ajuda inicialmente ou durante todo o processo, procure a ajuda de profissionais especializados, que podem serem intermediários financeiros certificados ou o gestor de contas do seu banco. No entanto, nunca deixe de acompanhar os seus investimentos, mesmo que tenha um profissional a gerir os mesmos.

Nota: Para alguns produtos financeiros, o site da CMVM pode ser uma boa fonte de informação e análise de determinados ativos. Não se esqueça de medir sempre o risco ao investir uma parte da sua poupança e fazer simulações de comportamentos, caso pretenda investir em ações.

Partilhe este artigo
Artigos Relacionados
Ver todos
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais
Deixe o seu comentário

Indique o seu nome

Insira um e-mail válido

Fique a par das novidades

Receba uma seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser para receber a seleção de artigos que escolhemos para si.

Ative as notificações do browser
Obrigado pela subscrição

Queremos ajudá-lo a gerir melhor a saúde da sua carteira.

Não fique de fora

Esta seleção de artigos vai ajudá-lo a gerir melhor a sua saúde financeira.