Trab. Independentes

As férias de um freelancer: como organizar o trabalho e as finanças pessoais

Se é freelancer, pegue no calendário, marque as suas férias e descubra neste artigo como organizar o trabalho e o orçamento.

Lídia Dias Lídia Dias , 13 Agosto 2019

"Quero dizer adeus à rotina das 9 às 18”. É este o ponto de partida para muitos dos profissionais que optam pelo trabalho freelancer para conseguir flexibilidade, controlo de produtividade e maior motivação.

O reverso da moeda é que, enquanto freelancers, temos tendência para estar constantemente a pensar em trabalho. Os fins de semana surgem com as fronteiras de tempo cada vez menos definidas e quando chega o período do verão e a família exige o nosso tempo, o pânico instala-se: como vou manter os meus rendimentos no período de férias?

Ao contrário de quem trabalha por conta de outrem, o trabalhador independente não recebe subsídio de férias. Mas isto não é motivo para adiar as tão desejadas (e necessárias!) férias. Para que possa manter o nível de produtividade, tem de cuidar da sua saúde e garantir algum descanso.

Ninguém é produtivo 7 dias por semana, 365 dias por ano. Para além da redução da produtividade, não descansar pode levar a casos extremos de burnout. Pegue no calendário, marque as suas férias e continue a ler para descobrir como organizar o trabalho e o orçamento.

Leia ainda: Calculadora Segurança Social Trabalhadores Independentes 2019

Poupe durante todo o ano 

rapariga de férias à frente de uma caravana

Quando se é freelancer, ir de férias pode causar mais ansiedade do que prazer. Enquanto freelancer, quando não se trabalha, não se recebe. Embora isto seja verdade, é importante ver as férias como um investimento no seu negócio, uma oportunidade de parar e regenerar forças.

Para quem trabalha de forma independente, ir de férias significa não receber, uma vez que o pagamento é feito à peça ou ao projeto. Isto, em combinação com o aumento de gastos natural das férias, pode criar muita ansiedade e desequilibrar o orçamento familiar.

A nossa sugestão é que crie uma conta-poupança específica para as férias. Defina um valor mensal e faça um reforço, nesse valor, todos os meses. O objetivo é que, ao chegar às férias, tenha dinheiro suficiente nesta conta-poupança para os gastos que não lhe dão descanso: renda ou prestação do crédito, água, luz, etc. Será como criar um subsídio de férias para si próprio. Na realidade, em muitos países não existe o conceito de subsídio de férias, este valor é diluído no vencimento ao longo do ano.

Se já tiver algumas poupanças de parte, estude algumas hipóteses de investimento como, por exemplo, os fundos. Fazer o dinheiro crescer é a estratégia que lhe permite maior saúde financeira e o investimento (desde que ponderado e com noções de risco) é a melhor forma de engrossar o orçamento.

Leia ainda: Dicas para a gestão de um negócio de freelancer que ajudam a poupar 

Organize e planeie com antecedência

Prever datas de entregas e garantir que cumpre todos os prazos é o primeiro (e mais importante) passo a dar para ter umas férias mais descansadas. Faça uma lista de tarefas a cumprir até ao primeiro dia de férias (seja razoável!) e não aceite mais trabalhos do que aqueles que consegue terminar.

Uma dica de planeamento bastante útil é fazer um mapa de tarefas. Com o calendário aberto, marque o seu primeiro dia de férias. De seguida, marque todos prazos até um mês antes dessa data. Calcule o número de horas de que necessita para cada tarefa. Estabeleça um número máximo de horas a partir das quais terá de rejeitar clientes.

E por falar em rejeitar clientes, não tenha medo. É preferível ter de rejeitar uma proposta de trabalho do que não entregar a horas ou entregar um trabalho feito à pressa. É a sua imagem profissional que está em jogo. Avise todos os clientes de que vai de férias, com antecedência. Envie um email com o período de férias e o aviso de que estará com acesso limitado ao email e ao telemóvel. Só assim poderá realmente descansar.

Antes de ir de férias, aproveite para organizar também o regresso. Tire um dia só para ler e responder emails e fazer uma lista de tarefas urgentes. O Asana e o Trello são duas excelentes ferramentas de organização que lhe podem ser bastante úteis, não só no regresso ao trabalho, como durante todo o ano. Aposte na organização como prioridade de trabalho. De outra forma, sentirá o stress do dia a dia a voltar em minutos!

Leia ainda: Web Summit: 6 coisas que deve saber sobre trabalho como freelancer

Vá de férias mais vezes 

pessoa com os pés na areia da praia
Processed with VSCOcam with q5 preset

Todas as áreas profissionais têm períodos mais calmos e outros de maior exigência. Em alguns casos, os períodos de menor demanda coincidem com os meses de verão; noutros casos, pelo contrário, estes são os meses mais agitados. Enquanto trabalhador por conta de outrem, estamos, muitas vezes, limitados a mapas de férias e alturas específicas do ano.

Se é trabalhador independente, a boa notícia é que pode ir de férias quando quiser e, assim, evitar as épocas altas, em que a confusão e os preços estão no auge. Em casos de clientes fixos ou projetos de longa duração, faça uma gestão entre prazos de entrega, períodos para alterações e o próprio gestor de projeto. Marque as férias uns dias após as datas de entrega. Desta forma, terá margem para fazer alterações, caso necessário.

Outra estratégia que pode adoptar é tirar férias mais vezes, durante períodos mais curtos. Uma escapadinha de fim de semana alargado tem menor impacto no trabalho e pode ser igualmente revigorante. O freelancer conhece o seu mercado e o seu negócio como ninguém. Cabe a si decidir qual o período do ano em que tem menos trabalho e no qual será mais fácil usufruir de férias, sem stress nem preocupações.

Leia ainda: Dicas para iniciar trabalho como independente, tendo um trabalho normal

Ficar offline sem desligar 

Se desligar por completo não é opção, temos outra alternativa para si. Vá de férias, leve a família, o cão e o computador, mas defina períodos restritos para trabalhar. Pode ser logo de manhã, enquanto o resto da família ainda está a descansar, ou após o almoço, quando os mais pequenos estão a dormir a sesta.

Fora destes horários, desligue o Wi-Fi ou os dados móveis e mantenha-se afastado do computador. Avise previamente os clientes de que estará com acesso limitado e comunique um horário no qual pode ser contactado. Lembre-se: investir no descanso é investir no seu trabalho.

Leia ainda: As obrigações fiscais de um freelancer

Partilhe este artigo
Etiquetas
  • #férias,
  • #Freelancer,
  • #freelancer emprego
Tem dúvidas sobre o assunto deste artigo?

No Fórum Finanças Pessoais irá encontrar uma grande comunidade que discute temas ligados à Poupança e Investimentos.
Visite o fórum e coloque a sua questão. A sua pergunta pode ajudar outras pessoas.

Ir para o Fórum Finanças Pessoais

Deixar uma resposta (Podemos demorar algum tempo até aprovar e mostrar o seu comentário)

Um comentário em “As férias de um freelancer: como organizar o trabalho e as finanças pessoais